31/03/2017

DEIXEM DE ‘BATER’ NO ESCULTOR!

Ligeiramente mais perigoso que o discurso populista, é o populismo no pensamento. O primeiro pode apenas ser habilidade.
O país observa o busto do Cristiano Ronaldo no Aeroporto da Madeira e, revolta-se em desdobradas críticas ao autor, capazes que esventrar um ego dos mais vigorosos, e condenar o homem em praça pública, que já não sabe para onde se virar.
Talvez fosse bom recapitular os «magistrados de sofá», que o busto foi criado por um cidadão português, que sempre viveu na Madeira, autodidacta, que mesmo desempregado, o ofereceu ao Governo Regional da Madeira para o disporem em local que bem entendessem, como tributo ao novo patrono do aeroporto. Se gosto ou não do resultado final, certamente que terei igualmente uma opinião.
Mas sou obrigado a canalizar a minha reivindicação neste sentido.

1. Já vi muitos corruptos serem votados.
2. Já assisti a assassinos aplaudidos à entrada do tribunal
3. Mesmo reclusos de milhões desaparecidos em offshores, festejarem através da janela da cela uma vitória nas eleições autárquicas.

Sempre com o arrimo do magnânimo povo que é soberano.


Por sua vez, alguém que dá do que melhor sabe, dedicando o seu tempo, trabalho, empenho, ser censurado ao ponto de se comentar «ser justo que o mesmo fosse processado judicialmente», é no mínimo tormentoso reparar na injustiça que existe na “justiça” popular. Desprendam esse ónus, gente.
Acalmem os carregamentos de lenha, desfaçam-se dos fósforos, porque o tempo dos autos de fé, já lá vai. Seria profícuo que esse dedo inquisidor tivesse igualmente ficado adormecido, nesses idos de opressão em praça pública.

Chegámos ao cúmulo do autor do busto necessitar de vir a público, pedir desculpa pelo seu trabalho, que por sinal o ofereceu. Não é de todo razoável.
Ninguém merece ser reputado dessa forma. Muito menos que desse julgamento se retirem bombas de difusão social, prejudiciais para qualquer dos visados.

Podemos só dizer, «Não gosto»?