09/10/2016

Estou em choque, e custa-me a dizer isto, mas desta vez coloco-me ao lado do Partido C…. Calma. Respira Ivo.
Aqui vai. - Com o programa “Revive”, coloco-me ao lado do Partido Comunista. Já disse! Feito. Adeus, boa noite.


NOTA: O programa “Revive”, é um programa governamental em que os Ministérios da Economia, da Cultura e das Finanças, permitirão a concessão a privados em 30 concursos públicos para o desenvolvimento de projectos turísticos de 30 imóveis do Estado sem utilização. Degradados.
Em primeiro lugar é importante salientar que eu não tenho nada contra o programa. Aliás, compreendo que o Estado não detenha capacidade financeira para a manutenção dos Museus nacionais, e que se propende a convocar as iniciativas privadas, contudo, eu sou um tanto sentimental no que respeita à história do meu país.
Absolvam-me desta mariquice. Um dia faço-me homem e isto passa-me.
Inicialmente os imóveis a concurso serão o Forte de Peniche, Forte do Guincho, Castelo de Vila Nova de Cerveira, Mosteiro de Santa Clara a Nova, entre outros.
Quanto ao Forte de Peniche, acima de fazer peculiar sentido para o Partido Comunista Português, a realidade é que também o deveria fazer para qualquer Democrata.
Eu não tenho a certeza que as pessoas saibam para que serviu o Forte no tempo do Estado-Novo, mas a Wikipédia actualmente já não é vergonha para ninguém, e eu sou deplorável para ensinar. Vamos lá, sempre é melhor que o Love on Top.
Até porque pelo andar da situação, a Wikipédia será a única forma de se informarem sobre a história do Forte de Peniche. Quando este se transverter uma belíssima residencial, de luxo concerteza, poucos historicistas permanecerão lá para as vossas dúvidas mais legítimas. É um palpite.
Na verdade este é um futuro muito presente no nosso passado.
Assistimos ao mesmo na Rua António Maria Cardoso, com a Ex sede da PIDE (Wikipédia para os distraídos!), onde me evidenciava ser um local por excelência de homenagem e culto aos muitos que resistiram ao Estado-Novo, todavia, não temos sido definitivamente um país com o cuidado de preservar a memória.
O edifício da Pide já é um empreendimento de luxo, aproxima-se a pousada do Forte de Peniche, e aguardo impaciente pelo SPA do Tarrafal.
Estamos a criar gerações de jovens sem memória, estamos a criar gente sem história. Quando a memória e a história não se encontram, encontram-se os cataclismos sociais.