21/09/2016

JÁ LI O LIVRO PROIBIDO – E O AUTOR É INSANO!

Todos nós já escrevemos algo demais. Algo que posteriormente apagámos. «Espera que aqui passei os limites. Vou corrigir, antes que me corrijam». O Arquitecto António José Saraiva, nunca apagou nada. É um incontinente editorial.
Criatura sórdida e director do Jornal Sol, que decidiu editar um livro onde escarnece de forma imunda, repugnante e infeliz, a vida privada de 42 figuras públicas portuguesas. Trata-se então, de uma devassa gratuita da intimidade, sem outro objectivo que não o de penetrar, ferir e lucrar com toda essa tabidez que habita no córtex frontal deste prodígio.

São relatadas conversas privadas e pormenores íntimos destas personalidades portuguesas. Revelações sobre orientação sexual, infertilidade, ódios de estimação, intrigas, insultos e jogos de bastidores. O pináculo desta ingerência no respeito e boa imagem, é o relato de uma conversa privada com uma pessoa que já faleceu, acerca da vida sexual de uma figura pública. Bingo na javardeira.
A selecção das pessoas visadas pelos desconchavos de António José Saraiva, destapa um recalcamento profundo com uma retaliação notória, porque naturalmente, existem muitas outras figuras relacionadas entre partidos, cores, agremiações e obediências, que passam incólumes a todo este vexame desprezível.
Para apresentação de sebenta devassa da vida privada dos muitos visados, foi convidado o Ex Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho.
Contemplar Pedro Passos Coelho a apresentar uma obra(?) desta natureza acerca de gente que lhe é contígua, deixa-me a ponderar que ou o apresentava, ou o próprio era visado no livro.
Se não foi possível impedi-lo, ao menos que sirva de malicioso exemplo. É que quando não há vergonha, não há remédio.
Ora aqui está um texto que provavelmente o deveria ter apagado antes de o publicar.