setembro 28, 2016

Dizem que partiste há dois anos

Dizem que partiste há dois anos, mas comento que foram todos aldrabados.
Ainda ontem eram quatro e meia da manhã e me cobriste com o lençol que eu sempre insisto em dormir por cima. Deste pelo meu frio, pulaste dessa tua ausência e, ficaste a olhar para mim.
Tem sido difícil não puder resmungar contigo também.
Têm sido dois anos de piscinas sem pé. De alto mar sem bóias que flutuem. Dias do meu corpo de gigante a residir num pequeno frasco de compota. Dóis-me e não sei mencionar onde. Explicar?
- Mas Sr. Doutor, eu juro que me dói!
Ele não entende Avó. Ele não sabe de uma dor que não sente.
A tua saída viola-me o sangue, violenta-me o espirito. Subtrai-me o sorriso e desenraíza-me a carne.
Olha para ti. Mal sabias ler e deste-me a maior lição de todas. Sem te pedir ou desejar, dedicaste-me o livro do sofrimento. Quando o terminei, Amo-te cada vez mais.
Diz-me tu, mas que lição é esta?
Promete que vais aparecendo…
Amo-te*