março 23, 2016

Saudade

Saudade,
Querer a luz de uma janela que não abre.
Adormecer um sono ausente de verdade.
É estar liberto sem liberdade.
Viver um tempo com outra idade.
É ver o fim sem que ele acabe.
Saudade,
É pisar um solo que foi manhã e agora é tarde.
É viver um fogo lento que não arde.
Estar inteiro pela metade.
Viver metade, sem ser cobarde.
É ser poeta...
Saudade,
É estar em pé.
Querer um mundo que não é mas que uma sombra.
É ser capaz de ver a paz onde se esconde.
Amar de longe, estando tão perto.
Amor que dói por ser tão verdadeiro.
Saudade,
É dizer a quem se ama que se guarde.
Descer ao fundo sem sentir que que o fundo acabe.
É ser contente sem felicidade.
Ter a certeza do que não se sabe.
É ter razão sem sentir vaidade.


Pedro Abrunhosa & Duquende