15/03/2016

Marcelo Rebelo de Sousa, o "Quase Feminista"

Este meu malicioso automatismo de delinear perfis com uma antecedência tal que roça a demagogia, ainda vai acabar comigo…
Desde início, disse que Marcelo Rebelo de Sousa partia nesta odisseia com a colossal bonificação de ser sucessor de Cavaco Silva. Todavia, tem o seu elo mais fraco: - O de ser um decisor medíocre.
Um formidável comentador, temerário assistente, porém, fraco juiz.
Até então, Marcelo Rebelo de Sousa enquanto Presidente de República tenta agradar a Deus e ao Demónio.
Replica tudo em concisas e perspicazes deduções e, imediatamente todo o seu inverso.
Tenho firmeza na lufada de ar necessário que Marcelo nos presenteará no pós-Cavaco, contudo, ele terá de ser Presidente da República, tomando decisões pragmáticas.
Por ora, e no início, muitos cairão no erro de confundir as respostas empáticas, com ponderação e equilíbrio, mas quando os jogos amigáveis se volverem profissionais, exigir-lhe-ão que seja um Presidente com decisão.
Há temas estruturantes em que o “Nim” não será uma atitude.