12/09/2015

MINHA SOLIDÃO NECESSÁRIA

Queria muito escrever sobre a minha relação com a solidão, fiz a minha pesquisa habitual e, desisti. Deixo o meu sentimento nas palavras de génios.

Só quando estou sozinho me sinto totalmente livre. Reencontro-me comigo mesmo e isso é agradável e reparador. É certo que, por inércia, quanto menos só se está, mais difícil é ficá-lo. Mesmo assim, numa sociedade que obriga a ser enormemente dependente do que é externo, os espaços de solidão representam a única possibilidade se fazer contato novamente consigo. É um movimento de contracção necessário para recuperar o equilíbrio
Mireia Darder

A “Sociedade do Cansaço” (Ed. Relógio D’Agua, de Portugal), defende a necessidade de recuperar nossa capacidade contemplativa para compensar nossa hiperatividade destrutiva. Segundo esse autor, somente tolerando o tédio e o vácuo seremos capazes de desenvolver algo novo e de nos desintoxicarmos de um mundo cheio de estímulos e de sobrecarga informativa.

Esquecemos que ninguém está mais activo do que quando não faz nada, nunca está menos sozinho do que quando está consigo mesmo”.
Byung-Chul Han