junho 21, 2015

Cavaco Silva, diz não à Grécia

As declarações do nosso PR são incuriais. Pouco ponderadas.


- Como pode o mais alto Chefe de Estado dizer que não há excepções, quando facilmente se pode formar uma vasta lista das excepções em países como a França e Alemanha no que concerne ao seu défice, pois nunca os aceitaram discutir em conjunto com os outros.


- Como pode dizer que não há excepções, quando a medida Europeia que mais fez descer a dívida pública dos Estados-Membros, foi a adjudicação destas pelo BCE, e pela Quantitive Easing, onde a Grécia se vê agora fora dessa possibilidade.


Numa questão estamos de acordo, desejo que seja alcançado um entendimento, porque se isso não acontecer, estamos confrontados com um problema extremamente sério.


Todavia, à falta do silêncio apropriado, devemos um discurso com seriedade e prudência.