abril 22, 2015

6-1 - Pesadelo em Munique

Ontem deu-se o terror em Munique. O F.C.Porto foi goleado pela melhor equipa em prova, que só precisou de 37 minutos para arrumar com esta celeuma da esperança Portuguesa.

Não foi estranho notar que muitos adeptos do F.C.Porto, após a primeira mão, e no fervor natural da emoção, sentissem que o favoritismo era seu, e que a passagem às meias-finais um corolário da radiosa exibição no Dragão.
Porém, o que me faz alguma confusão, é o Treinador, Sr. Lopetegui, partilhar dessa superfluidade de euforia, que veio a alterar substancialmente as suas resoluções tácticas.


Acompanho com gosto este Bayern de forma mais rigorosa desde Guardiola, e desde logo me apercebi que funciona como um compressor. O treinador do Porto deveria ter preparado os seus jogadores para essa situação, a si mesmo, e jamais colocar-se em campo linhas tão recuadas, o que gerou (naturalmente) um sufoco de 45 minutos, cinco golos, e a eliminatória resolvida em 37 minutos.


O Porto (sem Danilo e Alex Sandro) foi eliminado pela melhor equipa da actualidade, porém, também não foi essa equipa que os eliminou. Não se enganem.

Estas derrotas são engenhosas em desmotivar, cerceando a confiança e inspiração de uma equipa, e por isso, sabiamente os adeptos correram em massa ao aeroporto, recebendo os jogadores, e demonstrando que é importante saber perder.