janeiro 07, 2015

Je suis Charlie.

É precisamente quando o terror ganha, que se deve ao mundo a coragem de suportar pé firme na luta pelos direitos humanos. A Liberdade de expressão, como pedra basilar de um ser livre, autónomo e feliz, merece e tem de ser defendida.
Quando o terror ganha, devemos usamos a melhor de todas as armas. A coragem que diz não ao medo. A coragem de mostrar aos assassinos que jamais colherão os frutos desse acto bárbaro.