dezembro 22, 2014

"THE INTERVIEW" - A VERGONHA DA SONY

É vergonhosa a posição da Sony.
Vergonhosa, porque revela a cobardia perante as ameaças, vergonhosa porque demonstra a irresponsabilidade de se abrir o precedente da opressão, da chantagem, da chantoeira.

É tudo isto e ao mesmo tempo, o maior marketing possível ao humano consumidor. É o jogo com os seus instintos. É privar o homem do que é pecado. Ora, o homem é pecador por natureza, curioso de raiz, e rebelde na bisbilhotice.

 A história demonstra-nos isso em saliente memória. O Líder religioso do Islão Ayatolla decretou pena de morte ao escritor Salman Rushdie, por considerar herege o seu livro “Os versículos Satânicos”. Resultado, foi best-seller, e o livro mais vendido da editora Viking. Salman Rushdie ainda hoje sob ameaça, continuou e continua a escrever, agregando milhões de leitores, milhões de vendas.

Passaram-se 35 anos, e pessoas como Salman Rushdie arriscam a vida para fazer notar a rainha das liberdades do ser humano, “A Liberdade de Expressão”.
Em pleno Século XXI, o homem vai à lua comprar terrenos, realizam-se transplantes a fetos, tiram-se fotos de Marte, enquanto isso, tantos não sabem o significado da palavra Liberdade.

Se é de lamentar a visão ditatorial de quem proíbe determinado conteúdo, é também Vergonhosa esta postura de vitimização em que a Sony Pictures se demandou, apontando o dedo aos grandes e fortes que são tiranos.

 É vergonhosa a posição da Sony.