27/10/2012

Eleições SL Benfica

Terminou ontem às 22:40 a odisseia que algum tempo me tomou, e imensa realização me deu. O SL Benfica, com os seus adeptos e sócios, demonstrou ontem uma dimensão activa á altura de um nome que se julgava adormecido, e foi desta forma que conseguimos não só o MAIOR número de votantes de toda a história do SL Benfica, como o maior número de votos numa lista concorrente á lista A. Nesta importante prespectiva, agradeço desde já a todas as pessoas que apoiaram este movimento, mensagens, emails e demais iniciativas de colaboração comigo e com a campanha. Um ‘agradecimento especial’ também por todas as outras chamadas que resultavam de ofensas, ameaças e perseguições, dando-me a ideia que mesmo com humildade, rectidão e atitude proactiva, conseguimos provocar algum desconforto democrático e temor de quem tal engenho utilizou para apaziguar os seus fantasmas. Os resultados de ontem são hoje uma evidente demonstração de diversas situações; entre elas, e a de maior prioridade ao momento, passa por ter contribuído para uma maior democraticidade, vitalidade e liberdade deste nosso Benfica. É não só com orgulho que me senti parte deste grande desafio, criando história e que a mesma lavrou em resultados históricos na longa vida do Benfica com a maior votação se sempre, como feliz, pois mais uma vez o Benfica indubitavelmente marcou a minha, de forma absolutamente pura e genuína. Os benefícios tentaram ser alicerçados ao máximo, cultivando assim, a ideia do não-silêncio, e da discussão do Benfica. Ainda, espero eu, a prespectiva de uma competitividade salutar na medida em que outros projectos podem surgir com novas soluções, assim como uma conduta e de vigilância constante dos adeptos do Benfica, na procura de um ideal comum a todos nós, que passa pelo sucesso do Benfica; pois independentemente do que se vote ou pense, a realidade é que o Benfica é nosso, e nós todos somos o Benfica, somos o maior clube do mundo. Obrigado por tudo.










24/10/2012

Professor Doutor Fernando Henriques Cardoso

Um dos comportamentos típicos e reiterados do ser humano enquanto ser social, é observar o valor de variados momentos apenas quando diz ‘Mas que saudades’, em detrimento de os viver com a consciência real ou aproximada de sua efectiva importância.
Por esse secular fenómeno, foi com o maior orgulho que me fiz presente na cerimónia solene do Doutoramento Honoris Causa do Ex-Presidente da República do Brasil, Professor Doutor Fernando Henriques Cardoso.
Na presença das mais ilustres e relevantes individualidade do país, a Universidade Autónoma de Lisboa, foi escolhida como mui nobre instituição, para eternizar este marco á escala mundial, onde se escutou a fantástica intervenção de sapiência do Professor Doutor Fernando Henriques Cardoso, relatando uma visão geral sobre a conjuntura que se observa nos dias de hoje com esta crise económica sem precedentes, denotando toda a sua boa reputação, virtude, mérito ou acções de serviço que transcenderam famílias, pessoas e instituições.












16/10/2012

Rui Rangel Benfiquista

SABEM O QUE É SER DO BENFICA?!

Ao contrário dos demais clubes do mundo, sei que ser BENFIQUISTA é ser diferente. Ninguém pode ser do BENFICA por gostar da cor, ou simplesmente porque até simpatiza com os atletas e restante administração. Ser do BENFICA, exige de todos e cada um de nós, tanto mais que isso. Ser do BENFICA, traduz-se em palavras fortes e sentimentos nobres. Falamos de Paixão por um clube, Amor por uma história, um passado e uma bandeira. Amor por ser BENFICA.
Falamos de um sentimento inexplicável, transversal a sexos, idades, ordens sociais, religiões e mesmo ideologias, onde acaba por se comprovar que os homens choram mesmo, se pelo BENFICA tiver de ser.

Ser do BENFICA é ‘ser BENFICA’!

Atendendo a todas estas realidades completamente alheias ao nosso controlo, quem senão nós, sim, nós adeptos, sócios, amantes e apaixonados por este nosso BENFICA, temos toda a legitimidade de cada vez mais fazer parte deste nosso amor. Não fazer parte festejando os golos e as vitórias, nem mesmo, e apenas, comentando o que os jornais tanto intrigados com a nossa grandeza, vão lançando em verborreia invejosa. Não. Fazer parte activa deste BENFICA, saber a realidade de todas as situações, é denotar e ter opinião sobre quem está á frente, o que fez, e o que tenciona fazer. Após onze, sim onze anos de uma presidência, que em sucessos, se enquadrava em muitos clubes apenas aspirantes a Grandes, recheados de promessas e devoções, que ficaram por terra quando o factor monetário mais alto falou, e até se opinava por sua vez, construir um estádio em simbiose com o nosso maior rival, a fim de minimizar os custos. Caros BENFIQUISTAS, isso não é gestão! É perder a soberania, uma alma, de um espirito e uma mística. Sim, quem não vive o BENFICA não sabe, mas o nosso BENFICA, é muito mais que um nome, uma bandeira ou um estádio. O BENFICA, tem uma alma, um espirito e uma história.

É então em momento de eleições, que todos nós, amantes do BENFICA, merecemos ser esclarecidos, merecemos ouvir falar do que realmente não nos deixa mais crescer como outrora. Merecemos, por um BENFICA que nunca virámos costas e o sentimos, sentar os candidatos frente a frente, cara a cara, e que Luis Filipe Vieira nos esclareça o porquê deste défice de resultados, o porquê desta venda de património, o porque desta dívida, o porquê deste passivo ser superior ao passivo conjunto dos dois nossos maiores rivais! Urge esclarecimento, não apenas porque estamos a falar de condutas semelhantes ás de corrupção, mas especialmente porque estamos a falar do NOSSO BENFICA!

A BENFICA TV, como órgão de comunicação social, é por excelência a plataforma logística capacitada para nos informar, e esmiuçar estas eleições, mas infelizmente não o faz nem vai fazer! Não o faz porque as cotas que todos nós pagamos (Que aumentaram), porque o bilhetes que todos nós comprámos (Sem resultados), porque todo o tempo e amor que disponibilizamos não se revertem em crescimento para o nosso BENFICA, não servem os nossos adeptos, e preferem deste modo bloquear a informação, deixar os BENFIQUISTAS no escuro, de forma a que a falta da informação relativamente á praticamente ‘FALÊNCIA TÉCNICA’ em que o presidente cessante nos colocou, seja banalizada, e até ignorada. A não-democracia praticada pela actual direcção, é gritante, quando ao fim de onze anos de lista única, uma lista com valor e legítima, ao formalizar aos sócios a sua candidatura, a BENFICA TV, monopolizada por interesses pessoais e ditatoriais, não comparece ao contrário dos demais órgãos de comunicação social. Está visto que os interesses do BENFICA não são de forma nenhuma os prioritários para a direcção de Luis Filipe Vieira.

O candidato á presidência do BENFICA, RUI MANUEL DE FREITAS RANGEL, quando ontem decidiu dar vóz a todos nós que queremos um BENFICA para verdadeiros BENFIQUISTAS, foi esclarecedor e prático, reiterando mais uma vez a TOTAL disponibilidade para o DEBATE PÚBLICO que todos nós, BENFIQUISTAS merecemos!
RUI RANGEL assim o fez, não apenas por ser um homem da justiça há 30 anos, não apenas por ser uma das mais mediáticas figuras nacionais que sempre pautou a sua vida pela exactidão das suas palavras e pela rectidão dos seus actos, mas acima de tudo e indubitavelmente, por ser um de nós, por SER BENFIQUISTA!

Luis Filipe Vieira, ao não aceitar o desafio, ao não esclarecer os BENFIQUISTAS sobre os temas que deve fazer, é sem dúvida, e mais uma vez, preocupar-se mais com interesses de ordem pessoal, que no real interesse no BENFICA. O BENFICA, sou eu, és tu, o BENFICA somos todos nós! Quem olvida tal situação, não merece sequer estar associado a este nosso clube, e não pode de todo, ‘SER BENFICA!’


                                          Vota Rui Rangel!

Rui Rangel - Benfica

Caros consócios,

É desígnio da nossa candidatura recuperar os valores, a grandeza histórica, a vida e essência que marcaram o Sport Lisboa e Benfica. O desafio é enorme, a situação difícil, mas temos a paixão, a entrega, as ideias e o projeto adequado.

Construiremos uma equipa vibrante, apostaremos na formação, queremos ver, no futuro jovens portugueses guindarem-se à nossa equipe principal. De
acordo com a nossa história, a nossa identidade, a matriz que já foi nossa.

Pugnaremos por um modelo económico líder que nos permita ser uma referência no desporto Português. Dotaremos o clube duma estrutura profissional e de vanguarda (e de benfiquistas) e voltaremos a ser uma força desportiva capaz de trazer sonho, paixão e alegrias (como no passado) aos sócios fazendo do Benfica uma instituição inexpugnável e liderando pelo exemplo – vergonha é não ser um exemplo.

O Benfica será propriedade dos sócios, para sempre, e dotado da estabilidade necessária que nos permitam voltar a ser um dos maiores clubes europeus, também no Século XXI.

Recebemos das nossas glórias, e em especial de Cosme Damião, uma herança única e indiscutível. Somos obrigados a ser leais aos nossos valores e à nossa história. O nome do Benfica tem que ser admirado e respeitado, o nosso estilo será baseado no talento, no esforço, e na busca permanente da vitória. Emocionar, vencer e convencer.

A este propósito, não podemos ignorar o momento difícil que todos no nosso país vivem. O Benfica não pode ignorar as dificuldades de tantos Benfiquistas, e esta dimensão solidária será um desígnio fundamental do nosso projeto. A solidariedade e um projecto social são marcas indeléveis da mística Benfiquista.

Os Benfiquistas têm que estar mais do que nunca unidos para levar em frente este projeto. Contra o desencanto, com trabalho e com dedicação. Juntos vamos recuperar a paixão. Os sócios todos juntos construirão um grande projeto transparente e ganhador.

Rui Rangel




                  




05/10/2012

5 de Outubro

Em tempos que um povo celebra a implantação de uma república inconstitucional, erguida sobre um regicídio sem consulta popular, e omite quase por completo o verdadeiro significado do 5 de Outubro, urge necessidade de deixar explícito um pouco do real significado do dia de hoje. O 5 de Outubro é actualmente fazer uma introspecção sobre como uma implantação se sobrepõe a um nascimento. Sinais dos valores que temos. Por isso hoje celebro o Tratado de Zamora, que foi um diploma resultante da conferência de paz entre D. Afonso Henriques e o seu primo, Afonso VII de Leão e Castela. Celebrado a 5 de Outubro de 1143, esta é considerada como a data da independência de Portugal.
Relativamente á possibilidade de existir uma alteração para um sistema monárquico, essa está actualmente vetada por força do Artigo 288º B), da CRP.
Na realidade nem sei até que ponto não se deve falar de um carácter contraditório com alguns principios fundamentais da nossa Constituição, como por exemplo a livre ideologia politica consagrado algures no espirito da lei do art 13º. Essa limitação imposta pelo Art. 288º b), mostra-nos a democracia mais fantasiada de todas. É um reflexo de bloqueamento mental, na vã espectativa de que se caía no esquecimento de que uma monarquia, acima de opções sociais, é sem dúvida das únicas formas que dão alma a um país. Em alturas em que se vende luz, espáço aério, património e até a própria língua com acordos impensáveis, o país é visto por uma república que olha para fronteiras e contas bancárias. Um país é mais do que isso. A monarquia mostra um país além fronteiras, com um espirito, e uma alma que só se sente quando é impulsionada por uma monarquia que arrasta consigo toda uma história, um passado que a todos nos deve orgulhar. Especialmente em momentos mais complicados, poderia sim o regime misto, além da divisão de poderes (Seg. Social, Finaças - Ex: Monarquia Inglesa), também trazer de certa forma a esperança e alento a milhares de portugueses que estão desacreditados de um país sem alma. Em modesta opinião, urge a alteração do Art 288º B) que diz que é "inalterável a forma repúblicana de governo", para um sensato "Inalterável a forma democrática de governo", e isso sim seria uma real democracia, e um vantajoso passo para um futuro sem esquecer de onde viemos. Viva Portugal!