06/05/2012

Semana de pão e circo

Governar implica estar atento aos sinais e reais inquietações de quem é governado. Esta semana, bastavam alguns minutos á mesa de um qualquer café, para se perceber duas dúvidas dos cidadãos. Uma, quando é que o Pingo Doce volta a reduzir os preços? A outra, como é possível Rita Pereira receber milhares de euros para aparecer vestida na Playboy? Para lá das acusações de dumping ou dos aspectos colaterais á iniciativa, o que interessa a quem faz contas á vida, é saber se a cadeia de supermercados vai repetir a graça. Já se discutem técnicas para conseguir transportar mais paletes de leite em menos espaço, elaboram-se roteiros que permitem abarcar o maior número de artigos. O próprio dono das lojas, Soares dos Santos, que até nem sabia da promoção, aguarda com impaciência que algum empregado se descaia, para ficar a conhecer outra acção do género. Mas a grande dúvida, que atormenta os autóctones, passa por saber como é que Rita Pereira conseguiu revolucionar uma revista que vive do nú, ao criar uma nova figura, a da 'coelhinha vestida', uma mudança da publicação um dia sonhada por Hugh Hefner, que pode ser sintetizada com o título de um filme - 'Do cabaré para o convento'.