maio 05, 2012

Beco sem saída

Coagido brutalmente a cogitar sobre  o tema, as eleições em França, têm vindo em boa parte dos nossos noticiários, como pedra fundamental e preponderante para Portugal. E daí, talvez não seja de todo falso. Enquanto a maioria da Europa tem optado por se ir enconstando a uma direita, é esta França de última rátio, que contraria a unificação, e se coloca mais á esquerda. Temo sériamente que Francois Holland foi nada mais que uma campanha eleitoral (óbvia) requintada para abater um gasto e paupérrimo Sarcozy, de costas voltadas com o povo mais politizado da Europa. Significa isto a meu entender, que por outro lado, e  infelizmente para grande parte da Europa, essa dita pressão acalmará, e (até o argumento que em tanto desequilibrou a campanha eleitoral), o rasgar de certos e determinados acordos com a germania, não se irão materializar. Ou isso, ou França dentro de pouco tempo será economicamente Portugal.