janeiro 30, 2012

Genéticamente foleira

"Pior, ela não é feia... Ela é geneticamente foleira. A frase desperta-me da inércia de mais uma viagem a caminho de casa. Ao meu lado, duas produtoras de televisão ou algo parecido falam de outra pessoa. A conversa chega-me aos ouvidos entre-cortada, entre a poesia de Carlos Drumond de Andrade e os ruídos de fundo. Passa-me quase ao lado até que a expressão 'geneticamente foleira' me faz erguer o sobrolho de curiosidade. Confesso que me deixou deliciado. Não ouvia uma tão ridiculamente engraçada desde 'trolha enough'. Na altura, pouco mais que adolescente e trocava um piropo com um amigo meu, entre risadinhas tão parvas quanto cúmplices. Era adjectivo obrigatório sempre que um de nós, movidos pelo natural explosão de hormonas, conheciamos uma rapariga gira ou fisicamente apelativa, mas aquém das nossas exigências intelectuais. A 'trolha enough' tinha para nós um significado muito idêntico ao de hoje. Voltando ao epíteto 'genéticamente foleira', tanto quanto percebi, establece que os traços fisionómicos por exemplo, podem constituir um motivo de avaliação social. Segundo a interlocutora, há características que determinam se a pessoa é ou não 'genéticamente foleira', e dificilmente são contornadas pelo estatuto ou quaisquer outros adereços adquiridos. Não me vou apoderar da expressão, mas confesso com algun embaraço que me recordo dela para 'etiquetar' algumas figuras que conheço. É discutível, facciosa e até segregadora, mas simplifica muitas considerações. Uma vez ou outra, dou por mim a pensar nesta ou naquela pessoa bem sucedida, elegante e intelegente a quem falta um "je ne sais quoi". No caso de ausência de "je ne sais quoi", é o promenor que a faz ser 'genéticamente foleira'. Uma patetice, claro..."

Entre marido e mulher...

Aquilo lá para os lados do frio, deu-se um arrufo de namorados não foi? São fases nas relações, que todos passamos por elas. A deles chama-se «Merkel afina o Franciú!»

janeiro 28, 2012

Us

If you can promise me anything... Promise me that whenever you're sad or unsure, or you lose complete faith, that you'll try to see yourself through my eyes, coz for me... You know how to be perfect. Thank you for the honor of being my babe. I'm a man with no regrets. How lucky i am. You made my life princesa, and always love you!


janeiro 25, 2012

Mais de 40 mil não chega


É uma prova de desagrado geral para com o estado do país, desta forma directamente na pessoa do Presidente da República, após as infelizes, quiçá vergonhosas declarações que o mesmo proferiu. Já tratou de tentar reparar o erro, não só com novas declarações, como por carta escrita á Lusa. Tratou-se simplesmente de uma tentativa vã de «tentar desculpar o indesculpável». Ficou na boca do país e pior que isso, na memória dos cidadãos, gerando-se assim uma corrente reivindicativa que tratou de colocar em alvoroço toda a classe política Portuguesa. Por sua vez, esta mesma classe, fala agora com uma revolta compreensível, mas assim como qualquer radicalismo, há-de se fazer atenção ao fundamento e ás medidas que nos propomos a tomar. A petição electrónica, é uma demonstração de um descontentamento geral, do qual o avultoso número de signatários já fala por si. As mais de quatro mil assinaturas são necessárias para uma apreciação por parte da AR, contudo, é também importante de esclarecer, que ESTA petição não é admissível de apreciação pela assembleia da república, pois estamos perante uma petição de «objecto impossível». A nossa lei fundamental, chama-se Constituição da República Portuguesa, e é precisamente este diploma que não permite a demissão do Presidente do república, que não responde sob nenhum outro órgão de soberania. Compreende-se da leitura da lei, que o Presidente da República, apenas pode terminar o exercício das suas funções como tal, numa perspectiva voluntária, ou involuntária. Entenda-se que a voluntária é o próprio demitir-se por opção, ou em razão de problemas de saúde, e involuntária é apenas a morte. Significa isto, que a Constituição não prevê a demissão do PR, baseando-se no fundamento da petição.
Este era um esclarecimento que urgia nos cibernautas mais revoltosos.
No entanto, no meu ponto de vista, tal como acima descrito, esta petição surge sendo o ideal, porventura, numa perspectiva de primeira grande manifestação da participação dos cidadão na vida política. Tento havido muitas criticas relativas á falta de participação dos cidadãos, estamos a realizar um exemplo de participação ordeira, sem recurso a manifestações violentas e que tem como base a demonstração do descontentamento português com o PR. É como tal que se mantém na extrema importância todos os portugueses que se revejam na revolta a que esta corrente nos alude, constar como signatário.

janeiro 23, 2012

Nova super estrela

Mas qual Facebook? Na Blogosfera, Aníbal Cavaco Silva tem feito amigos a uma velocidade estonteante!

Sporting 2012


A questão já nem é o azar do Sporting ao não conseguir vencer um único jogo no ano de 2012. Falamos agora da tremenda sorte que vão tendo. Hoje no Algarve, foi mesmo uma tremenda sorte terem conseguido o empate. Quem vos ouviu...

janeiro 22, 2012

Há pessoas que se acham importantes


E há outras que são.

Brincar com coisas sérias

Ela inclinou ligeiramente a cabeça para trás, e fitou-o nos olhos e o sorriso maroto evaporou-se-lhe da boca e o rosto perfeito tornou-se meigo e doce, tão langoroso e suave como a resposta que soprou num murmúrio ardente. "Olá".
Pela primeira vez tão perto um do outro, pôde ele cheirar-lhe o perfume de rosas e ela sentiu-lhe o cheiro a rapaz que já era homem. Os olhos de mel, fundiram-se com os castanhos dele, as respirações enlaçadas num único fôlego, os corações inflamados de ardor, ambos perscrutando o rosto do outro com a intensidade de quem sabe que encontrou o amor.
Incapaz de resistir, ele inclina-se devagar sobre ela. Foi apenas um movimento ligeiro, mas o suficiente para lhe tocar os lábios aveludados, primeiro ao de leve, como quem prova um doce, depois com sofreguidão, a gula tornada fome; eram pétalas açucaradas, gomos deliciosos que se abriam como uma flor diante do Sol. O dia fez ambos perderem-se para lá do horizonte, num paraíso de sensações e sentimentos, afogados um no outro, derretendo-se num amor incandescente. Era como se nada mais existisse no mundo; apenas havia o outro e aquele instante em que os lábios se colaram e os dois se fundiram num só.
O primeiro beijo.