setembro 26, 2011

Objectivo: 150% de bem com a vida

Mais que ateu, sou antí-agnóstico (se é que a expressão existe). Senão é metafisico então o meu quociente de inteligência ficou sempre aquém de tal fenómeno. Invariavelmente, algo vai tentando equilibrar os devaneios impetuosos e alucinantes que diariamente me forçam entrada no cérebro, já que os ouvidos tanto se negam a aceitar. Sempre tento ver o lado positivo nas pessoas, ainda que o lado mais positivo, seja apenas esta minha ideia de existir um. Contudo, de felicidade vivem os ignorantes. Na realidade, a demonstração de urgência parva e preocupação aflitiva, de um medo constante de poder vir a vencer este duelo só teu, emergente de forma tudo menos subtil, que pode sempre a meu ver, ser uma estupidez, mas não revela definitivamente o teu mau génio. Isto sou só eu a pensar, mas cada dia é mais difícil acreditar em mim. Que nem bálsamo pacificador desta angustia, surge-te então, diante dos teus olhos aflitos, ao estilo de génio da lâmpada, o dito equilíbrio. Equilíbrio, esse justiceiro tão mais frio que a mais apurada ironia, e te faz ver só mais uma vez, que travaste uma luta contra ti próprio. Não rapaz, essa não é a minha luta. A minha luta é outra, a minha luta é dar o melhor, é crescer e dar valor aos princípios. Na minha luta, não te inscreveste, já desclassificado há muito tempo. Lamento por ti, mas o retrovisor, embaciou.