28/09/2011

Chanceler alemã II

Já eu tinha manifestado a minha opinião sobre a Chanceler Merkel, (leia-se Chanceler Merkel), e o melhor estava ainda para vir. Não foi preciso aguardar muito tempo para a daquela cabecinha sair mais uns rasgos dessa personalidade já tão evidente. Chanceler Merkel, disse enquanto a Europa e o mundo se preocupa em resolver a situação da Grécia, e tem atenções viradas para uma eminente bancarrota deste nosso condomínio de 50 países. A chanceler alemã fez, no último domingo, o reflexo final das suas intenções. «os países que não cumprirem os rácios de défice e de dívida pública definidos pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento devem perder parte da sua soberania».
Tal como tinha frisado, as prioridades de preocupação estão sempre bem catalogadas para a Alemanha.
Quando em tempo se viu o mundo a lutar contra uma Alemanha bélica a querer domina-lo, hoje damos de barato a mais uma investida desta moderna Alemanha a tentar controlar tudo. Desta vez acabou-se a Alemanha bélica, hoje é a Alemanha financeira/económica, que no entanto ainda vou tentar olhar para estes dois desenho e tentar descobrir as oito diferenças.

26/09/2011

Objectivo: 150% de bem com a vida

Mais que ateu, sou antí-agnóstico (se é que a expressão existe). Senão é metafisico então o meu quociente de inteligência ficou sempre aquém de tal fenómeno. Invariavelmente, algo vai tentando equilibrar os devaneios impetuosos e alucinantes que diariamente me forçam entrada no cérebro, já que os ouvidos tanto se negam a aceitar. Sempre tento ver o lado positivo nas pessoas, ainda que o lado mais positivo, seja apenas esta minha ideia de existir um. Contudo, de felicidade vivem os ignorantes. Na realidade, a demonstração de urgência parva e preocupação aflitiva, de um medo constante de poder vir a vencer este duelo só teu, emergente de forma tudo menos subtil, que pode sempre a meu ver, ser uma estupidez, mas não revela definitivamente o teu mau génio. Isto sou só eu a pensar, mas cada dia é mais difícil acreditar em mim. Que nem bálsamo pacificador desta angustia, surge-te então, diante dos teus olhos aflitos, ao estilo de génio da lâmpada, o dito equilíbrio. Equilíbrio, esse justiceiro tão mais frio que a mais apurada ironia, e te faz ver só mais uma vez, que travaste uma luta contra ti próprio. Não rapaz, essa não é a minha luta. A minha luta é outra, a minha luta é dar o melhor, é crescer e dar valor aos princípios. Na minha luta, não te inscreveste, já desclassificado há muito tempo. Lamento por ti, mas o retrovisor, embaciou.

22/09/2011

Vida em mim


Há presentes que me fazem os olhos brilhar. Por norma, livros sempre foram uma perdição, no entanto, depois de 'Sinto muito' do Dr. Nuno Lobo Antunes, só mesmo este, para continuação de noites em claro sem conseguir retirar os olhos desta PEQUENA maravilha da literatura. Quem será mesmo o autor?

11/09/2011

O teu beijo


As crianças têm uma magia e criatividade impressionante. Eu não fugi á regra, e hoje sei que são esses dos melhores momentos que podemos passar. Vivemos para fazer o que nos dá prazer, e todas as outras crianças nos compreendem. Desde pequenino sempre dei valor aos bons momentos que vivia, e pedia para que durassem «só mais um pouco». Sem fazer psicanálise, surgia assim a primeira grande teoria capaz de devastar a cronologia natural.
Quando iniciamos a actividade que mais prazer nos dá, deveria abrir-se aí uma outra dimensão, em que o espaço temporal fosse tão mais extenso e lento. Poderíamos acabar de jantar ás vinte horas, e estar a jogar playstation sete horas seguidas, para no fim nos conseguirmos deitar ás vinte e uma.
Mas, uma das características mais arrepiantes de uma vida adulta é o realismo, os pés na terra, a responsabilidade; e por isso, todos nós sabemos hoje que é impossível viajar para outra dimensão, reduzir o período de trabalho ou prolongar o de férias. Os dias têm 24 horas e nós trabalhamos oito, quer se goste ou não. Todos nós já conhecemos o Pai Natal, e até o papão já saiu do armário para se transformar na crise do milénio.
Mas a realidade, é que por agora, que nem regressão á infância, o tempo pára, o som diminui, e só o coração se ouve. Afinal, tornou-se possível de há um ano para cá, moldar o tempo, inventar sorrisos, e arrendar dimensões onde um minuto equivale a uma vida. Foi ao fim de tanto tempo, que descobri a chave de desbloqueio ou o pin de acesso ao mundo dos sonhos, como as crianças têm. Foi assim que descobri, porque hoje conheço o teu beijo.