julho 11, 2011

Bodas de prata


25 anos é realmente muito tempo. Passa-se por acidentes, operações, e até filhos. Há quem viva tão menos que isso. Na realidade, 25 anos são uma vida, e uma vida repleta de uma causa nobre quando é passado ao lado de quem se ama, quando é passado para quem se ama. Uma entrega definitiva, uma tatuagem na alma, bem cravada até ás veias. 25 anos de união, é mais que uma história linda de amor, pois nos dias que correm é mesmo uma rara linda história de amor. 25 anos, são a fiável cooperativa de ensino, reconhecida universalmente, que torna as partes em sofisticados auto-psicólogos, hetero-psicólogos, capacitados de medir tudo, apenas olhando. Não existem 25 anos porque sim, ou porque parece bem, ou porque tem de ser.
De 25 anos, retira-se ilações, lições e teses complexas, capazes de cilindrar o mais sábio dos filósofos. 25 anos de co-habitação, implica sacrifícios, provas e dilemas. Dilemas esses que normalmente acabam em mais sacrifícios. Simbiose de almas, simbiose de espíritos, sorrindo camufladamente com a certeza de serem um.