24/07/2010

Pois...

Quando somos crianças fazemos coisas estúpidas, inconscientemente. Quando crescemos fazemos ainda mais coisas estúpidas. A diferença ? Fazêmo-las conscientemente e só mais tarde nos apercebemos das consequências. Daí ter surgido a palavra "arrependimento".

16/07/2010

14/07/2010

Longe do mundo...

Perdona mis manías, no doy para más
No se aparentar, soy como soy...

'Bonita a menina'...

Días que se van y no han de volver
Puede ser que la voz de tu paz
Y el amor me ayuden a cambiar
Y me hagan ser mejor...


Usted no tiene la culpa ... es que yo todavía no se puede no mas mirar, yo todavía no puede te aceptar distanciadad e. .. Disponibledad con esso ...
Me Excusa.

Aunque es muy triste, decepcionado ... No puedo negar que te amo, y no voy a hacer nada para cambiar eso ... Aunque ya no mas vivas en mí, vives en mis sueños, y esos son sólo mios ... No, ni a nadie ...
En mis sueños no hay fotografías o ligereza, en mis sueños son perfectos, y no me quiero más despertar ...
El tiempo ...
Me excusa... Porque quiero ser mejor.
...-.. .......

12/07/2010

Eu

Quero dançar em cima do Mundo que é só meu. Guiar-me por paixões animalescas. Respirar e gritar fundo ao mundo teu... Girar e Rir para as atitudes mais grotescas. Quero ensaiar palavras e frases perfeitas. Ou então fazer um monólogo duro. Para depois dizer com Impulsividade! Arranhar paredes com ansias de futuro! Deixar-me fluir na Criatividade...

Bruna Diogo Santos

Fábio na piscina com os grandes

Então, o meu onze:

Casillas; Coentrão, Piqué, Mertesacker e Sérgio Ramos; Xavi e Schweinsteiger; Iniesta, Mesut Özil e Mueller; Villa.

London



07/07/2010

Cape town


Ao final da tarde de um dia muito ameno era esta a vista junto ao farol do Cabo da Boa Esperança.

05/07/2010

Crescer

Tu aprendes a diferença. Depois de algum tempo aprendes a diferença, entre dar a mão e acorrentar um alma. E aprendemos que amar não significa apoiar-mo-nos, e que companhia, nem sempre significa segurança. Aprendemos também que beijos não são contactos, e presentes, muito menos são promessas. Começamos a aceitar as nossas derrotas com cabeça erguida e os olhos mais á frente, com a graça de um adulto, e não mais com a tristeza de uma criança. Aprendemos a construir todas as nossas estradas hoje, porque o terreno de amanhã é incerto demais para os planos, e piora, pois o futuro tem o costume de cair em meio nano-problema.
Depois de alguém, aprendemos que o sol queima se ficarmos expostos por muito tempo, e aprendes que não importa mais o quanto tu te importes, porque algumas pessoas simplesmente não se importam. Não se importam de aceitar o quanto tão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-te de vez em quando, e nós vamos precisar de a perdoar por isso.
Vais aprender que falar pode aliviar dores emocionais, aprendemos que 'demora-se anos para construir confiança, e apenas segundos para destruí-la', e ainda saberás que podes fazer coisas num único segundo, ás quais te arrependerás para o resto da vida. Aprendo que verdadeiras amizades, verdadeiros amores, continuam a crescer, mesmo a longas distâncias, e aprendes que o que importa não é que te tu tens na vida, mas sim quem tu tens na vida. Os bons amigos, são a família que nos permitiram escolher. Aprende-se que não temos de mudar de amigos, se compreendemos que os amigos mudam, e entendes que o teu melhor amigo e tu, podem fazer qualquer coisa, ou mesmo nada, mas terem óptimos momentos, juntos.
Descobres depois mais tarde, e noutro nível, que as pessoas que mais te importas na vida, são aquelas a que te uniste muito depressa, por isso, devemos sempre deixar as pessoas que amamos, com palavras de amor, afinal, pode ser a ultima vez que as vemos. Vais analisar que as circuntâncias e os ambientes, têm influência sobre ti, mas infelizmente para o mundo, nós somos responsáveis por nós.
Começas a aprender que não te deves comparar com os outros, mas antes com o melhor que podes ser, descobres ainda que se leva muito tempo, para te tornares a pessoa que queres ser, e que o tempo é curto. Não importa sequer onde tu chegas, mas sim para onde estás a ir.
Aprendes que ou tu controlas os teus actos, ou eles vão controlar-te a ti. Aprendes que ser flexível, não significa ser fraco, ou não ter personalidade. Aprendes depois ainda, que heróis, são apenas pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências.
Tal como eu, aprendes que a paciência requer muita prática, e reparas no impossível... reparas que ás vezes, a pessoa que esperas que te dê pontapés quando caíres, é das pouco que até te ajudam a levantar. Aprendes que maturidade tem mais haver com o tipo de experiências que tiveste e o que aprendeste com elas, do que quantos aniversários já celebraste. Aprendes ainda, que há muito mais dos teus pais em ti, do que tu suponhas. Aprendemos que nunca se deve dizer a uma criança que os sonhos são disparates, porque afinal, poucas coisas são tão importantes, e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Depois aprendemos ainda que quando se está com raiva, tem-se o direito de se estar com raiva, mas não te dá o direito de ser cruel.
Mais tarde ainda, aprendemos que só porque alguém não ama da mesma forma que nós, não significa que não está a amar com tudo o que pode, pois na verdade existem pessoas que nos amam, mas não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprendes que nem sempre é suficiente seres perdoado por alguém, pois maior parte das vezes, temos de aprender a perdoar-nos a nós próprios.
Aprendemos que a mesma severidade com que se julga, nós seremos em momento algum, condenados.
Lembra-te sempre, que não importa na realidade em quantos pedaços o teu coração foi partido, porque o mundo não pára que o concertes.
Porque o tempo não é algo que volta para trás, devemos plantar o nosso jardim, e regar a nossa alma, envez de esperar que alguém nos traga flores.
Aí, aí sim, aprendes que afinal podes suportar, aí entendes que afinal, és forte... Afinal posso ir muito mais longe, depois de pensar que já nem se podia mais... Aprendemos então que a vida tem valor, e nós temos valor á frente da vida.
As nossas dádivas são traidoras, e fazem-nos perder o bem e conquistar, senão fosse o medo de tentar!

No more Gruppies

Há coisas espantosas sabiam? O mundo da internet, é feio de segredos, truques e questões que á primeira vista uma simples resposta fica aquém do que desejamos. As redes sociais, estão cada vez mais em voga, e por agora até já se fazem declarações consideradas socialmente importantes. O hi5, sucumbiu ao enorme poder de manipulação do facebook. E mesmo no facebook, existem alguns segredos, ou pormenores que a maioria da população desconhece. É o exemplo de contactos pendentes de aceitação durante meses, e mesmo anos. Ora, eu tenho facebook, há uns 2 ou 3 anos, embora nunca o tenha explorado sem ser os ultimos 2 meses. Como me apareceram contactos adicionados aos quais eu nunca aceitei, nem convidei sequer para 'amigos', ás vezes essas situações podem gerar as mais parvas discussões, nas mais infantis cabeças. Andei á procura de informação, claro, e até falei com a pessoa adicionada em questão, que me disse, 'mal abri o face, tinha lá o teu convite no email, mas atenção que isso tem a ver com listas de contactos do msn' ... Boa, isso em nada melhora a minha situação. Percorri todos os passos possíveis, e nada de explicação para o sucedido. Até que por pura das sortes em casa de um amigo meu, ele disse-me 'Ivo, quero abrir um facebook, todo o mundo tem um, e eu também gostava, ajudas-me nisso?' e eu... 'Claro'. Pedi-lhe o email, e registei-o. Mal abro, ou tento a primeira página dele, aparece-me a opção 'Ainda não tens amigos, o Facebook vai usar os teus contactos do Hotmail, para ver quem podes adicionar'. Ora, carreguei ok, e foram automaticamente enviados 114 convites de amizade. Ora, começei a rir-me e entendi a pessoa com quem tinha falado, que se motrou super simpática na tentativa de me explicar o que também não sabia... apenas disse 'isso tem a ver com listas de contactos do msn' ...
Mistério resolvido, quando criei o meu Facebook, sem amigos, o facebook verificou a existência de contactos no hotmail com face, e os que não, fez aquele convite parvo, e enviou para o email. Isto há com cada uma...
Não pensem que este é um post sem importância! Mas isto é tudo muito importante, vejam só as atrocidades que se cometem por causa de algo significante como isto.
Oh, weel, importante é saber que fizemos sempre o correcto. Ufffa... que susto! =) Abraços!

WTF???

I'd do anything to stay with you[6/=9] <3 diz: Scott? Is this Scott?
Ivo Filipe Almeida diz: no!
I'd do anything to stay with you[6/=9] <3 diz: Who is it?
Ivo Filipe Almeida diz: Ivo and u?
I'd do anything to stay with you[6/=9] <3 diz: Oh I'm Kate
Ivo Filipe Almeida diz: Kate?... hum.. hello kate
I'd do anything to stay with you[6/=9] <3 diz: Want to talk dirty?
Ivo Filipe Almeida diz: no tks... bye.

01/07/2010

Amei-te

Amei-te mil vezes.
Amei-te antes de te conhecer,
antes do tempo, da vida, de tudo.
Amei-te quando ainda não sabia quem eras,
quando ainda não tinhas voz, nem nome, nem idade.
E disse-to por mil vezes.
Por mil vezes to escrevi,
em bilhetes, cartas, paredes e postais.
Mesmo quando não sabia como to fazer chegar, escrevi-to.
Em esplanadas, aeroportos,
países com estranhos costumes, lugares sem nome.
Por todo esse mundo
te proclamei um amor informe, inominável, incompreensível.
Passaste mil vezes na minha vida.
Dei-te todos os nomes, todas as moradas e aparências.
Ou nem te dei nada porque não sabia como.
Cruzaste-me em dias sem sol,
em nevoeiros sem memória, em roupas desalinhadas,
ruas, becos, praças vazias,
linhas cruzadas e semáforos fechados.
Momentos houve em que me atropelaste as mãos,
cravaste unhas, chamaste-me pelo nome
e atiraste-me de encontro ao desespero.
Foste tudo sem nunca seres nada.
Acreditando em ti, vivi só mas nunca sozinho.
Fui a inquietação,
o desassossego amargo dos quartos de hotel por onde passei,
as lágrimas que aprendi a conter,
as malas que nunca desfiz,
o passaporte em dia e o bilhete para lado nenhum.
Fizeste de mim tudo isso e muito mais.
E de todas as mil vezes em que te amei
jurei a mim próprio que seria a última,
que depois dessa vez o amor secaria
como um pedaço de pele arrancada à vida
que mirra até se tornar sudário,
mortalha de ninguém.
E de todas essas mil vezes,
fracassei por completo...
Hoje...