03/02/2010

Vitor Espadinha

Julgo que Vitor Espadinha é, de certeza o mais multifacetado artista português. é um péssimo cantor, mas também um péssimo actor, um péssimo apresentador de televisão, e, se o tivessem deixado, estou convencido de que tinha todas as condições para ser também um péssimo toureiro. O trabalho de Vitor Espadinha que mais estimo é a canção sou portuga, em que a certo passo, Espadinha murmura: "E na tropa/sempre fui alferes./Nunca fui / um desses quaisqueres./ Um daqueles/'Vai ali','Já vou'/Sou portuga..." À milésima vez que se ouve, continua a ter piada.

02/02/2010

Feiras

Os feirantes, donos de carrosséis, protestam. Protestam o quê?
Protestam o facto de serem obrigados a cumprir normas de segurança por forma a que os utentes não estatelem as trombas e os ossos no chão de gravilha das feiras.
E por isso estão indignados. Em seu sentimento, urge a realização do que entendem e querem. E querem o quê?
Querem manter o direito de continuar a estropiar gente, pois querem.
Ver se entendo estes senhores...
Constituição da República Portuguesa, é um facto que consagra o direito á reunião e manifestação, (consagrado no artigo 45º 1) e 2) do mesmo diploma).
Porém, só um conselho; Os artigos; 24º 1); 25º 1); 27º 2) da mesma legislação (CRP), também devem ser lidos, pode ser?
Aqui para nós, sem irmos mais longe, a matéria que se aborda, não é em termos sancionatórios, de direito constitucional, no fundo o que estes senhores andam e andaram a fazer durante todos estes anos, é da competência de legislação penal.
Vamos lá tentar viver em sociedade.
IA