31/03/2009

Elogio ao amor puro. Miguel Esteves Cardoso

Eu queria muito ter escrito algo do género. Simplesmente, genial, simplesmente 100% de acordo.

"Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há,estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje. Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do “tá bem, tudo bem”, tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas. Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?
O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida,o nosso “dá lá um jeitinho sentimental”. Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar.
O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto. O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor. A “vidinha” é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio,não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende.
O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe.Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem. Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado,viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir. A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a Vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também"

27/03/2009

Lonely

There was a party in Samantha's home. I woke up, on the floor and looked to Jeniffer. Her arm curved to the floor, her finger's inches from Petter's. I wondered whether they had fallen asleep holding hands. The ideia made me fell strangely lonely. I wish you were there, pequenina*
IA

25/03/2009

Hei-de parar de rir, só não sei é quando

Andava eu pela blogosfera, quando encontrei algo maravilhoso. Não resisto a deixar-vos aqui esta pequena maravilha.

Padre em Lisboa recusa baptizar crianças com nome «Lucílio»

O anúncio aconteceu na missa dominical das 12.30 horas, na Igreja do Rato, em Lisboa. O padre João José Marques Eleutério, fervoroso adepto sportinguista, não calou a revolta pela derrota do Sporting no dia anterior para a Taça da Liga. Sobretudo pela forma como aconteceu. Por isso fez questão de o dizer durante a homilia.
«Aproveito para vos anunciar que, enquanto for responsável por esta paróquia, não faço tenções de baptizar nenhum menino chamado Lucílio. Queiram dispor para tais propósitos dos serviços de uma paróquia vizinha», garantiu o pároco na missa, manifestando-se «incomodado» com a arbitragem de Lucílio Baptista.

E já agora, estava eu de manhã quando me apercebi desta pequena maravilha criada de um Sportinguista, para o Sporting.

(Isto até agora está a ser um espetáculo)

24/03/2009

Cardozo Querido

Sem dúvida que a fama persegue-me. Mais uma vez, em forma de blog. Suspirava eu entre dentes pela bela vida que levava, quando forçosamente me confrontam com escritas de baixo nível, diria até a roçar o denegrente, que encontra como teor, um possível largo numero de visitas, apenas e só por abordar o meu nome. E vai daí, talvez não.
O desajeitado, intitula-se 'Maricas', e o blog é o Cardozo Querido.
Criado de um dia para o outro, mas ainda assim espigadote no que toca a relatos suburbanos e falsos sobre terceiros, coabitantes com a determinada ideia de uma leve dor de cotovelo alojada no dito esquerdo, apenas e só por ter estado na presença de determinada actriz da televisão.
Quanto á aquisição da dita coroa de plástico, com os piscas, qual bem conheço, pois a 'Susibella' me tentou danificar o lóbulo cerebral esquerdo, sem sucesso, pois conseguiu nos dois, tenho parte, pois contribuí monetariamente com este meu enorme coração e espírito de regabof. Mas disso não se fala pela blogosfera.
Meu amigo, quem pode pode, e o Ivo... Pode!

Ps: Acho parvo o dicionário do blogspot não reconhecer a já familiar palavra 'Regabof'.
Portugal assim não avança, e com Cardozo Queridos's, também não.
IA

21/03/2009

Benfica, Carlsberg Cup

Eu tenho de dizer algo sobre esta vitória. Mais uma vez o árbitro quis ser o protagonista no jogo. E conseguiu. Foi das piores arbitragens que já presenciei. Tão má, que mesmo sendo benfiquista, esta taça, não tem o sabor de outrora, não tem a glória a que o meu Benfica me habituou mesmo que por raras vezes. Tudo isso graças ao senhor Lucílio Baptista.
Julgo que os Sportinguistas se devem sentir injustiçados, mas mesmo eles não devem atribuir responsabilidades ao Benfica.
Não entendo que o Sporting foi mais prejudicado que o Benfica. Infelizmente para o Sporting, um dos muitos erros de arbitragem durante o clássico, teve como consequência um penalti, e um golo para o Benfica.
Não se deve contabilizar quem foi mais prejudicado pela arbitragem, olhando ás consequências dos erros.
Vi o Derlei, jogar 90 minutos, e não olhar para a bola em nenhum dos duelos que travou, apenas agressões.
O jogo foi o que foi, e tudo responsabilidade do árbitro.
Tenho a perfeita consciência que qualquer que fosse o vencedor hoje, iria sentir-se injustiçado, pior ainda o Sporting, na condição que foi. Um penati que para além de não existir, o fiscal de linha, bem que insistiu em gritar-lhe que não era penalti, mas o Lucílio Baptista insistiu em ser regular no encontro, e mais uma vez, fez asneira.
Futebol Português tem realmente muitos problemas, espero que a arbitragem não seja a raiz de todos eles. Parabéns ao Benfica, Parabéns ao Sporting, estiveram muito acima da equipe de arbitragem.
IA

F.C.Porto Vs Manchester United

Foi mesmo o pior adversário, que poderia ter calhado ao Porto, para mim Benfiquista. Perspectiva é simples. O Futebol Clube do Porto, será eliminado pelo Manchester, mas nenhum Portista vai hesitar em dizer que não eram obrigados a nada, afinal tratou-se de uma derrota com o poderoso Manchester United. Por outro lado, se tivesse calhado o Villa Real, ou o Bayer, o Porto iria ser eliminado na mesma, mas desta vez não teria tanta desculpa.
No pior dos cenários, e por espírito divino, imaginemos que o Futebol Clube do Porto, por algo metafisico, elimina o Manchester, para além dos piores dias da minha vida chegarem, ainda se vai agregar, a garganta incansável de qualquer Portista, entenda-se fanático. Foi mesmo o pior adversário.
IA

20/03/2009

Dia de muita sorte + Núria Madruga

Dia engraçado, com pessoal cinco estrelas e ainda com a Núria Madruga. Mas ainda me consegui assustar ontem. Depois de muita rambóia lá fomos para o D'alma Lounge. Tudo muito animado, mas o jantar só começou lá para as 23 horas, felizmente tenho pessoal muito porreiro que não comeu tudo, e se há coisas que não suporto, é ver deixar restos. Crime! (Alarve!)
Resumo, no fim do jantar levantei-me a mesa e fui á rua ver a Núria Madruga passar. Entretanto, lembrei-me que não tinha o telemóvel no bolso, corri de novo para o D'alma Longue, e estavam as mesas vazias, já sem toalhas. Wc, nada. Faca no espírito, álcool no coração. Felizmente, apanharam o telemóvel e entregaram-no no balcão.
Um belo susto, só para eu não me armar em artista.

PS: Disseram-me ainda que caso eu não reclamasse o telemóvel, iriam amanhã procurar na lista telefónica a palavra 'Home' ou 'Mom', ligar e contar o sucedido. Organizadinhos, hein? Palminhas para o D'Alma Loungue
.
IA

17/03/2009

Amizade

Desculpem, mas hoje apeteceu-me. Quero felicitar e informar o quanto já são especiais este certo e actualmente raro tipo de pessoas. Quero felicitar todos aqueles que ainda tem a camaradagem de soltar-se num abraço a um amigo, logo agora que os sentimentos mutuamente nutridos se manifestam numa troca de olhares rápida.
Quero realçar todos aqueles que dão valor á amizade, e fazem da confiança o alicerce principal da mesma.
Tristes os recentes inteligentes hipócritas, que disfarçam o cinismo com uma falsa inteligência.
A cada minuto sinto mais vontade de admirar os puros que conseguem sorrir espontaneamente do coração com a vitória de um amigo, assim tal e qual fosse uma vitória nossa.
Esse gente está a tornar-se rara.

16/03/2009

Para que baixar as armas, quando os fracos são para abater?

Quando no fórum Relvado Tuga, após a derrota do SL.Benfica com o Vit.Guimarães, eu comentei,'Um murro no estômago, foi isso. E o definitivo adeus ás aspirações ao título, se é que ainda existiam.'
Não foi necessário esperar muito tempo, para me surgir uma resposta directa, e que demonstra o quanto tão pouco sensíveis os adeptos são, ressalvando o fanatismo acima de qualquer outro valor.
Lamento, sou só eu que estou sensível, e cheio de raiva dos Vimaranenses.
IA

12/03/2009

Altura

Olá pessoal, e desculpem-me a ausência. Queria deixar aqui uma situação bem expressa, tendo em conta certos comentários quando eu chego a um local que já não visitava á algum tempo, ou mesmo quando me encontro com pessoas que me viam por fotografias ou vídeos.
A situação é, eu não me deitei um dia com 1,40m e acordei no outro com 1.90m. Ou seja, eu tenho vindo a acompanhar o meu crescimento, isto não foi um espasmo que me esticou as pernas. Só para se entender.
É facílimo ser alto, nós cabemos em quase todos os carros,(excepto o Peugeot 106 da Susibella) desde que no local de pendura ou condutor, podemos tomar banho de imersão sem ficar com as pernas e fora, e acima de tudo, para desfazer um mito, é raríssimo nós dar-mos cabeçadas em algum lado, depois de já conhecer-mos a casa. É muito raro. Ainda assim, existem alguns problemas, eu quando vou a uma casa de banho pública, para sacudir, tenho de focar as bola e naftalina, senão quando levanto a cabeça, tenho uma quebra de tensão e caio, mas já estou a recuperar.
E há outra situação. O quarto escuro, que só por si já é um jogo estúpido. Eu antes jogava a isso e já era grande, e muitas pessoas não entendem uma situação, que eu vou passar a explicar, Eu no escuro, também sou grande.. Portanto, isto não é uma situação que quando eu vou para a luz começo a esticar, não é.
Isto porque normalmente, no quarto escuro descobrem-se as pessoas através da cara, e... não vamos continuar.
BN

05/03/2009

Soutien e Queca

Algarve mais uma vez, e desta vez em faro. Depois do 'We have bleeding', do 'We sell understends' e do famosissimo 'We have great supporters', aparece-nos mais uma relíquia desde nosso povo do sul.

04/03/2009

Dia de jogo

E hoje é dia de jogo, e o Ivo com uma bruta dor de garganta. Vai ser muito giro.
IA

03/03/2009

Pesadelo

Sabem daqueles pesadelos, que só reparamos que o são, quando acordamos notoriamente ofegantes e a transpirar. Bem eu acordei de um desses agora mesmo...
IA

02/03/2009

Bom dia olfacto

Só passei para deixar exposto a quantidade de bons cheiros que me atordoaram nesta manhã de segunda. Portanto:

- Champô de leite de amêndoas e mel;
- Um outro que eu não sei o nome, mas cheira a frutas;
- Pasta dentes que cheira a gomas;
- Desodorizante, Axe África;
- Gel, Shock Waves;
- Perfume, Valentino;
- Cheirinho a bolo, que a mama fez no dia anterior.

Portanto como vêem estive bem perto, de acasalar comigo. Iria ser um problemas daqui a uns anos quando a morte abrisse o Direito sucessório.
E agora, lamento mas não posso contar-vos mais nada, porque hoje há 'Regabof' na UAL.


IA

01/03/2009

Crescer um pouco

Desculpem pessoal, este é comprido.
Houve tantas coisas que não soube dizer. Nem mesmo, tendo um ecrã de um computador à minha frente, nem mesmo não tendo que lidar com os olhares profundos de inquisição, surpresa, angústia, preocupação, compaixão, raiva que me fazias... Não soube dizer "amo-te" sem recorrer à ironia, não soube dizer "odeio-te" sem sorrir, sem um tom de brincadeira.

Não consigo dizer que estou triste, muito menos explorar as razões que me fazem estar triste, porque não sei como deixar que tenham "pena" de mim ou que me ajudem, costumo ser eu a cumprir esse papel, a perceber o que está errado com toda a gente e a corrigi-lo, mesmo sabendo que não devia, mesmo não querendo fazê-lo. Não consigo evitar.
Um amigo, por definição seria alguém com quem partilhamos todas as nossas alegrias e tristezas, todas as nossas conquistas e derrotas, todas as nossas convicções e inseguranças. Alguém que conhece todos os nossos defeitos e qualidades, isso implica conhecer-nos tão bem que conhece todos os nossos medos e sentimentos. Tive uma conversa precisamente contigo sobre a amizade. Por isso tenho-me questionado sobre a quantidade de amigos, verdadeiros, não apenas conhecidos, que podemos ter. Depois de pensar bastante nisto e em todas as relações de amizade que supostamente poderia considerar ter , descobri que um ínfimo número delas me conhecia tão bem, que pode perceber as fragilidades que tento a todo o custo esconder.
E só há um responsável por isso: Eu. Só eu!
Porque mantive uma máscara de felicidade perante todos e não permiti que ninguém se aproxime o suficiente para me magoar. Não foi certamente por falta de esforço. Desculpa-me mais uma vez, Cátia.
Até mesmo quem pensou conhecer-me bem o conseguiu de facto, conheceu a pessoa que eu quis que a mesma pensasse que eu fosse.
Atrever-me-ia até a dizer que muitos Ivo's residem dentro de mim, cada um ocupando o seu espaço, confundindo-se por vezes com o Ivo real. Aquele que fica triste quando sabe que alguém próximo de si está mal e não sabendo o que dizer fica calado a ouvir apenas. Sem dizer o que é politicamente correcto (porque eu sou contra o acordo ortográfico) ou o que o outro quer ouvir. O Ivo que diz o que pensa sem ter medo das susceptibilidades que pode ferir. Será que existe? Será que acabei por perder o verdadeiro eu na busca da perfeição? Provavelmente. Mas e agora? Como voltar atrás e descobrir a verdade e a ilusão?
Eu não quero voltar atrás, afinal é bem mais fácil mudar-me já.
Parabéns para mim.

'Porque viver a pensar no passado, não me deixa viver o presente, e ainda por cima, arruína o futuro'.

IA&HA