setembro 30, 2008

Arsenarl Vs FCP

'Foi com alegria imensa que vivi efusivamente a grande vitória do Arsenal sobre o F.C.Porto (4-0). Nem só pela Victoria em si, mas principalmente pelo domínio mostrado ao longos dos exactos 90 minutos. Mais uma vez é demonstrado como o futebol Inglês está realmente 'anos luz' acima do futebol Português, e por sua vez me remete para testemunhar que na verdade um futebol menos corrupto, e puro, consegue ainda alcançar um nível bastante elevado. Aliás, em meu ver, o melhor futebol do mundo. As questões que se põem de momento é: Um futebol menos corrupto, e puro, consegue ainda alcançar um nível bastante elevado? Ou será que para se assistir a um nível bastante elevado de futebol, temos de acabar rapidamente com a corrupção?'

'Ivo Almeida' in Relvado Tuga

IA

setembro 28, 2008

IvoAlmeidaBlog Fórum

Pois, tendo em conta que me apercebi nestes últimos dias, de que caso o IAB fosse um pouco mais privado, poderiam surgir algumas perguntas mais pesadas. O tal não acontece, pois os leitores têm algum receio, e eu desde já agradeço a preocupação.
Á luz da situação constatada, foi criado um espaço, no qual os leitores, podem colocar essas mesmas dúvidas, e ainda qualquer assunto que não imperativamente relacionado com a natureza de qualquer publicação do IAB. Esse espaço está acessível tanto no fim deste post, como na famosa barra lateral do IAB. Desde já agradeço toda a vossa colaboração. Beijos abraços, sexualmente divididos.

IvoAlmeidaBlogFórum

IA

setembro 26, 2008

Espaço vazio

Deixei as palavras
Devorar-me os segredos,
Abracei a cidade
E prendi-a entre os dedos.
Cansei-me das ruas,
Das luzes de prata,
Escondi-me nas portas
Em vertigens de faca.

Abri as janelas

Sobre praças divinas,
E fechei-te nos braços
Sob a luz das cortinas.
Mergulhei no abismo
De um olhar tão urgente,
E beijei-te sem pressa
Pedindo-te o sempre.

A vida só este espaço vazio,
Um instante demente
Entre as margens de um rio.
Um pedaço de tempo,
De mentiras eternas,
Uma névoa de gente
De esperanças pequenas.

Foi então que sonhei
Que no tinhas partido,
Que as mãos eram céu
E as noites comigo.
Acordei num abraço
Sereno de ti,
E foi preso no nada
Que no sonho morri.

Disseste que o quarto
Te fugia das mãos,
Eu perdi-me no medo
Que tivesses razão.
Mata-me a saudade
Agarra-me para sempre

IA

IvoAlmeidaBlog IA

Autónomo eu? claro que sim... mas ainda assim, não me dou ao luxo de alterar algo sem autorização expressa dos meus leitores.. alias.. não é bem assim..
No fundo este blog até é meu... e se cá estão é porque eu o criei! Assim sendo, é só para dizer que a assinatura dos post foi alterada de 'Ivo Almeida' para 'IA'.
Acho que tem muito mais impacto internacional, sei lá!
E mais! Se um tal RAP, anda pela blogosfera a assinar como tal porque não eu com 'IA'?
Sim, e não tem mesmo nada haver com o 'Imposto Automóvel'.

Imposto Automóvel?! É que vos mato a todos!

IA (viram?!)

Sexy Spot

É com estas mulheres, que um homem daria a volta ao mundo, ou não é?

IA

setembro 25, 2008

What Are You Doing Right NOW!

Hi All,
Since im full of energy and have a night free from trainings, I thought I might post this thread. Sorry if its been done before, but couldnt find any thing!
Well let me get the ball rolling...


Right Now...

I am listening to the White Album On Vinyl, having a coffee, discussing music with a friend and posting on IVOALMEIDABLOG!

IA

Who killed Dr. Martin Luther King Jr.?

Who killed Dr. Martin Luther King Jr.? For 99% of America, the answer is James Earl Ray, an alleged racist loner arrested on the run in England shortly after the assassination. Ray initially confessed, but later recanted and protested his innocence for three decades before dying behind bars in 1998.

IA

setembro 22, 2008

Fama?

Sabem estes gajos (ou gajas) que passaram os meses de Julho e Agosto a assaltar tudo e todos? Pois eu cá acho que o que os levou a realizar tais actos não tem nada a ver com carências económicas e sociais, dificuldades de integração, mau carácter, tempo livre a mais, a falta de algo excitante nas suas vidas, o desejo de brincarem aos polícias e ladrões, etc. Nada disto! É pura e simplesmente uma questão de atenção: estas pessoas sofrem de um grave défice de atenção (é sempre giro dizer isto, não é? dá um ar de quem sabe do que fala), e daí desejarem ser vistos e lidos na comunicação social. Tem tudo a ver com os tais 10 minutos de fama que todos nós desejamos (Não todos). Uns vão ao Preço Certo, outros envergonham-se perante um miúdo de 10 anos que sabe mais do que eles, outros andam encapuçados a contribuir para as estatísticas do estado português. O que acham? Estou certo ou não?

IA

setembro 21, 2008

Momento da verdade

Pois é nas bocas do pais que se trava fatídico conhecimento com uma nova plataforma televisiva de nome 'Momento da verdade'. Sinceramente, um programa em que ligam o concorrente a um polígrafo, colocam-lhe questões pessoais, nas quais se as respostas corresponderem á verdade, e os mesmos ganham dinheiro, até que se denota um certo ambiente de curiosidade nos Portuguesitos, e claro que por sua vez, este se traduz em polémica.
Agora tenho que partilhar convosco algumas ideias, (Já relativamente ao concorrente ultimo) entre elas, dizer que este concorrente é a prova provada de que aquela frase que muitos reproduzem, que todos os homens deveriam ir à tropa para se tornarem senhores, é errada. Este concorrente é bastante ilustrativo do estado do nosso país. Esse sujeito não só não se fez homem na tropa, como nas missões que a um ano segue. Aliás, ele homem é, agora um cavalheiro e um senhor, não é certamente. Um cavalheiro é, acima de tudo, respeitador do próximo e ainda mais das senhoras, não trai a própria companheira consecutivamente. Um senhor então nunca será…
Portanto meus caros, lamento mas a tropa nem as missões militares fazem senhores preparados para a vida civil, nem para a consequente necessidade de sobrevivência social, e muito menos cavalheiros. Produz sim primatas amestrados com algum sentido de responsabilidade e companheirismo, nada mais.
Sobre os comentadores, sendo rápido, Cláudio Ramos igual a si próprio, Luísa Castel-Branco, uma verdadeira senhora e Gonçalo Câmara Pereira, um escroque.
Juro-vos que cheguei a pensar que Gonçalo estava embriagado ou drogado. A falta de respeito que ele tem pelas mulheres é uma coisa aberrante. A naturalidade com que ele encara as constantes traições, como “obrigações de um homem” é assustadora.
Esse Gonçalo deveria era preocupar-se em deixar de ser um “badóchazito” com a mania que tem graça. O que mais me revolta é que Gonçalo é apenas um dos muitos homens em Portugal que pensa desta forma. Enquanto esta gente com um grande défice mental existir, Portugal continuará a ser o país de subsidiados de cerveja na mão a encher as tascas de todo o país, emplastros da sociedade.
E assim termino o meu parecer antes que mais me agonie e exagere nas palavras. HONRA E RESPEITO SOCIAL é o que precisamos!

Ivo Almeida

Why Obama or McCain?

Why do they HAVE to vote for Obama or McCain ?
There are also 4 Independents running for President.
Ralph Nader
Cynthia McKinney
Bob Barr
and
Chuck Baldwin

I personally don't like either of the two major candidates and am considering one of the Independents.
Does anyone have any complaints about any of these people ?

setembro 20, 2008

L.A





Tem cheiro diferente, ou então é só por ser férias. Ah o senhor da esquerda não deve parecer ninguém, talvez só certas semelhanças.

Ivo Almeida

Estatísticamente falando...

Num inquérito feito a 850.000 habitantes em Portugal foi colocada a questão:
"Você pensa que há demasiados imigrantes em Portugal?"

20% dos inquiridos respondeu "Sim"
13% dos inquiridos respondeu "Não"
67% dos inquiridos respondeu "Oi?"

Roubado ao 'Cão com Pulgas'
Ivo Almeida

E eu adoro o algave!



E qualquer dia para além de 'Understands' ainda hão-de vender "bleeding", ou não será Portugal, um país onde se faz a melhor Sangria do mundo.

Ivo Almeida

setembro 19, 2008

Esta coisa de gostar de alguém

Esta coisa de gostar de alguém. Esta coisa de gostar de alguém não é para todos e por vezes — em mais casos do que se possa imaginar — existem pessoas que pura e simplesmente não conseguem gostar de ninguém. Esperem lá, não é que não queiram — querem — mas quando gostam — e podem gostar muito — há sempre qualquer coisa que os impede. Ou porque a estrada está cortada para obras de pavimentação. Ou porque sofremos de diabetes e não podemos abusar dos açúcares. Ou porque sim e não falamos mais nisto. Há muita gente que não pode comer crustáceos, verdade? E porquê? Não faço ideia, mas o médico diz que não podemos porque nascemos assim e nós, resignados, ao aproximar-se o empregado de mesa com meio quilo de gambas que faz favor, vamos dizendo: “Nem pensar, leve isso daqui, que me irrita a pele.” Ora, por vezes o simples facto de gostarmos de alguém pode provocar-nos uma alergia semelhante. E nós, sabendo-o, mandamos para trás quando estávamos mortinhos por ir em frente. Não vamos. E muitas das vezes sabendo deste nosso problema escolhemos para nós aquilo que sabemos que invariavelmente iremos recusar. Daí existirem aquelas pessoas que insistem em afirmar que só se apaixonam pelas pessoas erradas. Mentira. Pensar dessa forma é que é errado, porque o certo é perceber que se nós escolhemos aquela pessoa foi porque já sabíamos que não íamos a lado nenhum e que — aqui entre nós — é até um alívio não dar em nada porque ia ser uma chatice e estava-se mesmo a ver que ia dar nisto. E deu. Do mesmo modo que no final de dez anos de relacionamento, ou cinco, ou três, há o hábito generalizado de dizermos que aquela pessoa com quem nos casámos já não é a mesma pessoa, quando por mais que nos custe, é igualzinha. O que mudou — e o professor Júlio Machado Vaz que se cuide — foram as expectativas que nós criámos em relação a ela. Impressionados? Pois bem, se me permitem, vou arregaçar as mangas. O que é difícil — dizem — é saber quando gostam de nós e quando afirmam isto, bebo logo dois “dry” Martinis para a tosse. Saber quando gostam de nós? Mas com mil raios, isso é o mais fácil, porque quando se gosta de alguém não há desculpas nem “Ai que amanhã não dá porque tenho muito trabalho”, nem “Ai que hoje era bom mas tenho outra coisa combinada” nem “Ai que não vi a tua chamada não atendida”. Quando se gosta de alguém — mas a sério, que é disto que falamos — não há nada mais importante do que essa outra pessoa. E sendo assim, não há SMS que não se receba porque possivelmente não vimos, porque se calhar estava a passar num sítio sem rede, porque a minha amiga não me deu o recado, porque não percebi que querias estar comigo, porque não recebi as flores que pensava não serem para mim, porque não estava em casa quando tocaste. Quando se gosta de alguém temos sempre rede, nunca falha a bateria, nunca nada nos impede de nos vermos e nem de nos encontrarmos no meio de uma multidão de gente. Quando se gosta de alguém não respondemos a uma mensagem só no final do dia, não temos acidentes de carro, nem nunca os nossos pais se sentiram mal a ponto de impossibilitar o nosso encontro. Quando se gosta de alguém, ouvimos sempre o telefone, a campainha da porta, lemos sempre a mensagem que nos deixaram no vidro embaciado do carro desse Inverno rigoroso. Quando se gosta de alguém — e estou a escrever para os que gostam — vamos para o local do acidente com a carta amigável, vamos ter com ela ao corredor do hospital ver como estão os pais, chamamos os bombeiros para abrirem a porta, mas nada, nada nos impede de estar juntos, porque nada nem ninguém é mais importante do que nós.

Ivo Almeida

setembro 12, 2008

Damn!

What happens when your lovelly drug become the main source of a pain?


Ivo Almeida

setembro 10, 2008

Pouca sorte mesmo

Ora, houve um estudo que provou que a fome estimula a memoria. Estive aqui a pensar para os meus botões, e cheguei á conclusão que as crianças na Etiópia para alem da pouca sorte de terem muita fome nunca se vão esquecer disso...

Ivo Almeida

setembro 05, 2008

Notting at all

I know when he's been on your mind
That distant look is in your eyes
I thought with time you'd realize
It's over, over
It's not the way I choose to live
And something somewhere's got to give
And sharing this relationship gets older, older
You know I'd fight for you
But how I can fight someone who isn't even there
I've had the rest of you now I want the best of you
I dont care if that's not fair
Cause I want it all
Or nothing at all
There's no where left to fall
When you reach the bottom it's now or never
Is it all
Or are we just friends
Is this how it ends
With a simple telephone call
You leave me here with na-thing at all...

There are times it seems to me
I'm sharing you with memories
I feel it in my heart
But I don't show it, show it
And then there's times you look at me
As though I'm all that you can see
Those times I don't believe it's right
I know it, know it
Don't make me promises
Baby you never did know how to keep them well
I've had the rest of you
Now I want the best of you
It's time for show and tell
Cause you and I
Could lose it all if you've got no more room
No room inside for me in your life
Cause I want it all
Or nothing at all
There's no where left to fall
It's now or never
Is it all

Ivo Almeida