23/05/2007

São coisas que acontecem! (Xilófónico)

Pois, é com grande tristeza, e desalento que venho aqui anunciar que o meu grande amigo Gonçalo é dono de doença estranha, que por sua vez, colocou todo o grupo de trabalho em profunda consternação. É com magoa no Peito que digo a todos, o Gonçalo sofre do síndrome de Xilonofobia, é portanto um rapaz "xilofónico"! Nesta altura, sei (pois até tive em conversa com ele na paragem) encontra-se no estágio, a fazer pela vida para pagar os tratamentos á base de mercúrio, nesta grande luta contra o demónio xilofónico. Xilofonia, tem sintomas que embaraçam qualquer ser humano (que se encontre perto de um que a tenha), pois a insaciável vontade de arrotar que nem um porco e falar soltando perdigotos como senão houvesse amanhã é o pão de cada dia de um doente xilofónico. Após noites a fio passadas com um doente xilofónico em Braga, devo acrescentar que em fase mais avançada, demonstra um carinho especial por pessoas do mesmo sexo, que por sinal também denotem esta mesma carência afectiva. A titulo de exemplo, fica assim explicado o porquê da quantidade de mimos que este nosso amigo nessecitou por parte do Panda.
Agora que falo no assunto, não podia deixar de fazer zelo á minha ligação contra a - Liga portuguesa Protectora dos animais - e digo, o Gonçalo também tem coisas boas! ...
Apelo incessantemente para o cuidado com este tipo de sintoma, principalmente aos professores de matemática... são episódios que nos fazem chorar demais, tanto que ficamos sem lágrimas para o "Felizmente há luar!" ..
Ainda com magoa que me lembro do professor a questionar rudemente: "Gonçalo.. mas tens algum problema???"
ao que a resposta surge, denotando um tom de humildade de carência, levanta-se abre a boca aponta para um pé e diz... : "Sim professor, eu sou Xilofónico..."
As melhoras miudooo!!! [[]]

(Ao olharem para a foto e notarem batimentos cardiacos alterados,
e crescimento de pêlos espontaneamente,
por favor fujam dos restaurantes chineses!)

Ivo Almeida

São coisas que acontecem! (Xilófónico)

14/05/2007

DZRT

OK, recentemente apareceram duas bandas portuguesas em alturas semelhantes a fazer furor (cada uma na sua área).
Uma, mais conhecida na urbanização, são claro os D'ZRT. Formada por Edmundo, Angélico, Vitor e Paulo.
A outra, ainda não é muito conhecida mas começa a afirmar-se no underground minhoto (e com razão) são os Daemogorgon, formados por Barroso, Chico, Carlos e Baal.
O que é que estas bandas têm em comum? Nada. Excepto, o nome da banda começar por D, serem quartetos e os musicos serem exactamente as mesmas pessoas. Como é que isto aconteceu? Simples: Eles formaram os D'zrt para ganharem fama, e o seu side-project Daemogorgon é apenas a músicas que eles realmente gostam. E não os censuro.
Mas se não acreditam vejam as fotos e comprovem vocês mesmos.
De qualquer maneira desejo lhes boa sorte em ambos os projectos.
Inté



Ivo Almeida

11/05/2007

A vida

Eu já perdoei erros que julguei imperdoáveis…
Em tempos já tentei substituir, pessoas que só por si, só pelo o que fomos, eram insubstituíveis…
E pior que tudo, esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com algumas pessoas, que nunca pensei que o fizessem… mas também já decepcionei muitas pessoas.
Já abracei para proteger… já me ri de assuntos tão sérios quanto o que sentia por ela…
Não devia…

Já fiz amigos eternos, já amei e fui amado, já amei e fui rejeitado…
Mau também quando já fui amado e não soube amar…

Já gritei e pulei de tanta felicidade, quem sabe por estar contigo… quem sabe por ter vivido…
Já vivi de amor!
E fiz juras de amor eterno que vieram a soltar-me lágrimas de sangue…

Já chorei a olhar para fotos e a ouvir música! …
Já telefonei, só para ouvir uma voz do outro lado…
Já me apaixonei por um sorriso…
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade, e tive medo de perder alguém especial…lol …
acabei por perder...

… Sobrevivi e ainda vivo…
Não passo pela vida, e tu também não devias passar, pois o passado faz a nossa história e o presente pode fazer a nossa felicidade.

Aprende-se muito… Aprendi muito, com pessoas certas, e com a dor por demais…

Bom mesmo é ir á luta com determinação…Abraçar a vida e viver com paixão… É perder com classe e vencer com ousadia… Pois o mundo pertence a quem se atreve… Atreve-te…contra tudo… contra um passado…!

Porque a vida é muito para ser insignificante! - Adoro-te -


Ivo Almeida

03/05/2007

Nem tudo faz um político

Carmona Rodrigues, Jogador de Rugby ( no CDUL ) , foi campeão nacional. Engenheiro. Doutorado. Professor universitário. Respeitado profissional e académicamente. Trabalhador e com uma imagem de integridade. Não filiado em nenhum partido.
Quando chega à política activa em 2001, com 45 anos, como nº 2 da Câmara de Lisboa, não é o que se possa chamar um "político profissional" e parece reunir todas as condições para ser um bom governante seja a nível autárquico seja a nível nacional.
Em 2003 é ministro das Obras Públicas ( 15 meses ) no XV Governo Constitucional. Regressa à CML quando Santana Lopes é 1º ministro. Em 2005 é eleito presidente da Câmara.
6 anos bastaram para provar que todo aqule currículo não é condição suficiente para se ser um bom político !

Ivo Almeida