30/04/2007

Trip Around Braga

As personagens da cena

Bruno – Grande senhor do álcool, com umas máximas (acerca de mim) que eu adorei. Sabedoria alquimista, e o estádio do BRAGA é horrível! Esta criatura ensinou-me como uma quinta-feira pode ser MUITO poderosa. Em fotos há quem diga que os nossos olhos falavam por sí!! Enfim! LOL

Liliana – A menina da voz, que mesmo quando era para falar mais baixo, não foi suficiente. (Ohhhhhhhhhh…) Então, vá venham as cadeiras (estiquei-me!! =x) (Agora mais fofinho... assim...tipo... Xôm xôm xôm.. fofinhuuu..) Lili... depois não tes esqueças DA ****** DAS FOTOS PAHHHHHHHH!!!!! e tal... ai ai iuuupppyyy iupppy heiiii!!

Ana – A menina que tomava banho comigo!! Vergonha? Não há nem pode haver! Foi positivo,, porque aguentei 4 dias sem lhe dizer "Ana emprestas-me uma caneta?" =x

Gonçalo – A criatura curandeira do grupo, menino das mil caretas, mas que não se alterou nem com malaguetas. Houve uma noite… tenho de falar contigo ..lol mas para já, acho que devias beber água!

Andreia – Grande maluca, diz que não viu que não viu, mas a partir daquele dia, andava com outro sorriso na cara.. lol Sobreviveu, á minha tentativa de a afogar, em plena disco, mas ainda não desisti!

João – O homem das promessas do snoker, bilhar.. lol “Não acerto esta vou-me embora!!” Mas não te zangues, já sei!! Chama-se Bilhar Americano!!

Jorge – O homem que a pouca pigmentação na pela, lhe deu o dom de voar. Com Jorge e malaguetas por perto, ninguém está a salvo. We love your black hair!

Panda – O homem, que escolhe quando adormecer, da mesma maneira que apago a luz do meu quarto. Se alguém o estiver a chatear… Off! Vai dormir com T-shirts que dizem "Why i Can´t wear shorts" e depois, passa a vida aos miminhus no Jorge e com um pau grande na mão a tentar meter a bola preta! =X lol

Cláudia – Menina, que depois dos patinhos, adormecia. Nada a falar, pois eu só acordava depois dos patinhos!! (Né Brunooo?)

Personagens Especiais


Daniela – Suas aparições em forma de anjo, fizeram milagres. Com pipocas mistura e com o calor de lançamento de moedas. Merd* para o volvo! XD LOOL

Senhor castanho – Personagem por alguns muito visionada, mas que fugia da Ana, como o diabo da cruz.

Ivo – Moscas?? Moscas?? Sôôô Sôôôôôôôô Sôôôôôôô…pffff Adoro.. Adorar-vos!! ** [][] =)

Desde já as minhas desculpas pela grande ausência de postagens, mas uma viagem a Braga falou mais alto, e então foi onde estive, nos últimos 4 dias.
A começar pelo encontro com o pessoal na estação do Pragal, bem junto ao Pingo Doce, a viagem de ida correu bem, e até foi giro, pois o João já queria deixar a bagagem no Pragal (já estava a pesar).
Lá dissemos que talvez fosse melhor levá-la, e com uns miminhos ele voltou atrás e pegou na mala. Entre o sono e a estupidez, lá toquei, como não podia deixar de ser, na altura mais que nunca, o grande êxito musical “A serra do Pilar” Parei de tocar a tempo de me desviar dos arremessos de latas de Coca-Cola e ice-tea’s de pêssego.
Chegamos ao porto, e foi uma alegria tal, que por segundos perdíamos o autocarro, caso não fosse o Panda a olhar e dizer um palavrão. Corri muito para o autocarro, mas em vão, o Luís continuava e não aparecer..
Chegamos a Braga e logo a minha alma viu aquilo que esperava á 5 horas, alguém com Sotack do norte. Achei fofo e quase chorei.
Chegamos a pousada, voltei a colocar a omoplata no lugar e deitei-me no beliche de cima.
Assustador, até, pois a meu lado estava um Urso Polar e um Panda. É obvio que pensei logo, que durante a noite o acasalamento iria ser complicado comigo ali no meio.
Então, para desanuviar fui jantar ao McDolnalds, e fazer a digestão no parque com baloiços, onde até ajudei o Gonçalo a partir o Cóccix.
Nessa noite, reparamos que o pão em Braga era dono de um preço enorme e decidimos fazer uma manifestação, em plena baixa Bracarense. Foi chamada a polícia local e tudo, mas tudo acabou em bem, porque o Gonçalo achou o senhor policia um pão, e a preço bem baixo.
Saímos do local a falar sobre o Livro de S.Sepriano e do Luís.
Jurei a mim mesmo, que me sinto um panasca tipo o Panda, quando me confrontam com assuntos, como o Luís.
Mas tarde viemos a saber que o Jorge, era dono de uma fábrica de malaguetas estragadas, que apenas causam danos nos olhos.
Decidimos ir para a pousada tentar dormir.
Só esta frase já por si é gira, mas ainda assim fomos mesmo para a pousada tentar dormir.
De noite o Panda chorava que queria miminhos do Jorge, e então eu dava-lhe com umas quantas almofadas para cima, assim a nível profissional, para tentar fazer dele um homem.
A meio da noite, uma pressão imensa, tomou conta do meu peito e o susto foi maior que muito, pois por segundos, pareceu-me ver o Luís, liguei o telemóvel, mas descansei porque era só a Cláudia com sono.
Criaturas extremamente parecidas, e donas de umas bochechas aterradoras.
Ainda assim, aguentei.
Dia seguinte acordou o Jorge a chorar e a dizer que o pessoal fazia barulho com pouca organização.
Ao que me lembro “Nem um diagrama de entidades relação? Vou dormir para outra pousada!”
O pessoal, achou que seria um golpe rude no coração do Panda, e até pusemos Cremezinho no pescoço do Jorge. Ele lá ficou.
Dirigimo-nos para a faculdade, e fomos bem recebidos com uma seca belíssima, só para tentarmos apanhar aquele sotack magnifico. Quase resultou!
Já dentro da faculdade, ouvimos uma explicação completa sobre servidores e computadores, ao que o João depois da grande explicação do homem, diz “essa caixa preta” … Aí sim, o homem afinou, e disse.. “É um servidor” ..
De seguida ouvimos o Hugh Laurie a falar e também um home… Uma pessoa que o Panda piscava o olho constantemente, ainda não entendo o porquê.
O Jorge começou a ficar ciumento com a história do Panda e do ..da pessoa, e ameaçou dormir noutra pousada de novo. O grupo mais uma vez, achou mal, e foi quase todo a pé, a fim de deixar o Jorge o Panda e o João, um pouco mais á vontade no autocarro, para resolverem o problema das partilhas.
Quando nos encontramos já estavam melhor, os dois a brincavam com bolas e com o Pau. (Snoker, a que o João quase me agrediu a dizer “È BILHAR AMERICANO PAH” ) (Esse também anda a abusar, vale-se de ser grande, e mete-se comigo, senão… )

… Continua …

20/04/2007

Evolução

Desde novo, fui pensando na vida. Por consequência da idade, das brincadeiras propícias aquela faixa etária, obviamente as opiniões formadas hoje, não coecidem com as ideias criadas na altura. Com o passar do tempo fui ganhando gosto pela arte de bem argumentar, pela magia de deixar os terceiros a pensar, e tornei a filosofia a minha religião. Andei por todos os lados com olhares diferentes dos que tinha, olhei para todas as luas, tomei-as nos olhos, e eram apenas uma lua, vi o mesmo filme duas vezes, e tinham duas histórias diferentes. A isto chamei-lhe mudança, crescimento. As pessoas que fui conhecendo pela vida, sempre me intitularam de perspicaz; mas ainda assim, usando todas essas minhas virtudes, acabo por chegar á conclusão de que não tenho mesmo ideia de qual será o próximo passo; o que será a sociedade amanhã? Ao mesmo tempo que nos provam como estamos evoluídos, por outro lado reparo em massacres em Virgínia, Extremas-direitas a causa revoluções e xenofobismos, e a aclamarem Hitler como um Deus. Pior ainda que todas estas demonstrações de que o ser humano age para não estar quieto, e não quando necessita, é este grande ciclo histórico que todos nós estudamos enquanto petizes, e a questão fica…
“Como estará o carteiro amanhã?”


Ivo Almeida

17/04/2007

Madeira??.. FREE COUNTRY!

Pois, inevitavelmente haverá sempre o olhar hostil por parte dos amantes de futebol Ingleses, sobre os portugueses. Nós temos o Cristiano Ronaldo, mas eles têm o Ronney. As vitórias sobre os ingleses, no campeonato de Europa e Mundo, já fazem os pesadelos dos mais que muitos que rezam todos os dias pela selecção. O que é certo, é que apesar de toda esta ânsia de superioridade, toda esta gana de vencer Portugueses, não puderam deixar de dar o braço a torcer, e elegeram mesmo o nosso Cristiano Ronaldo, para receber o prémio de melhor jogador da liga inglesa. Ainda assim, a imprensa inglesa, não admitiu tudo por inteiro e chegou mesmo a publicar algo do tipo "Com os índices de velocidade, potência e técnica, Cristiano Ronaldo só pode mesmo ter vindo de outro planeta". Será esse outro planeta de nome Portugal?... Ou será esta uma forma de prestaram admiração por um jogador que a nada querem que este faça parte dos "portugueses" ? Desconfio que Alberto João Jardim, terá mais apoiantes, pois não vai tardar muito, para a imprensa inglesa dizer " We think Madeira should be a autonomous country" ... 'BoraJoãozinho, cada vez estás mais perto, e desta vez contas com o apoio de uma Enorme potência a nível mundial...

Ivo Almeida

16/04/2007

Alfabeto aeroviário


A = Alfa B = Beta C = Charlie D = Delta E = Eco F = Fox G = Golf H = Hotel I = India J = Juliet K = Kilo L = Lima M = Mike N = November O = Oscar P = Papa Q = Quebec R = Romeu S = Sierra T = Tango U = Uniform V = Victor W = Whisky X = Xadrez Y = Yanke Z = Zulu

Segundo os alertas lançados, sobre a gripe das aves, questiono o porquê desta tão grande preocupação, se no fundo até descobrimos a linguagem que estas simpáticas aves se comunicam.
Afinal a linguagem Aeroviária, não é assim tão complicada.

Ivo Almeida

15/04/2007

Comment da semana

Não sei se já se aperceberam, mas o blog tem um novo aspecto. Desde noticias a Chat, mesmo ao irritante jogo do SUDOKU, aqui se encontra tudo. Também em tom de inovar, devo informar os demais, que a partir de hoje, domingo, será publicado (em barra lateral) o comentário eleito como "O comentário do Mês". Bem, não é por nada, mas comecemos com as inspirações cibernautas, aqui para o amigo bloguista. Beijos, abraços e um queijo.



Ivo Almeida

03/04/2007

Esta é que é a verdade!


Uma coisa que me intriga são as canções que são ensinadas à canalhada nos infantários. Isso sim é a causa da delinquência juvenil, assim como os rebeldes da Morangada que ensinam a violar moçoilas. Ora analizemos a letra do clássico "Atirei o pau ao gato":
Atirei o pau ao gato.. ---> O que é isto?! Atirar um pau a um bicho coitado? Até parece que mandar paus aos animais é uma coisa banal que se faz todos os dias. Parece que nao mas as criancinhas são muito influenciaveis..
..mas o gato nao morreu. ---> Então a intenção inda era matar o bicho? Esta parte está carregada de violência extrema. Isto sim é violencia doméstica porque é violencia num animal doméstico.
O resto da letra parece nao ter nada de assinalável.. Parece! Porque se metermos o resto da música a tocar de trás para a frente ouve-se uma mensagem satanica que é tao grave que nem posso po-la aqui.
Agora analizemos a letra da música "Indo eu":
Indo eu, indo eu ,a caminho de Viseu.. ---> Para já esta parte exerce uma grande influência nas fugas dos jovens de suas casas. Segundo um estudo que a Universidade da California fez, 80% dos jovens que fugiram de casa foi devido a esta música.
Encontrei o meu amor.. ---> Nesta parte nota-se bem que foi um encontro marcado atraves de um chat por duas pessoas que nem se conheciam, porque para conhecer alguem de Viseu bonito é dificil.
..ai Jesus que lá vou eu ---> Lá vou "eu" aonde?? O que é isto? Já vamos ver a seguir!
Ora zuz, truz, truz,
ora zás, traz, traz,
ora chega, chega, chega,
ora arreda lá p'ra trás.
---> Aqui está mais que evidente "aonde" é que "ele" ia. Sem comentários.

Eu até podia perder tempo a falar do Jardim da Celeste mas acho que já perceberam a ideia..

Ivo Almeida

Situações que nos ultrapassam, mesmo!!! ... RIP .

O Sr. Manuel esteve no SO, do Hospital, antes de ser internado no serviço. Conheci-o ainda no SO. Ele estava no Hospital por uma pneumonia, mas tinha bastantes doenças de base. Uma delas era a Doença de Alzheimer. E foi essa que me surpreendeu.
Quando o cumprimentei, com um sonoro "Bom dia!!", arranquei-o ao sono superficial em que se encontrava. Surpreendido, esboçou um enorme sorriso, fingindo claramente um reconhecimento da minha pessoa. Acenou-me com a cabeça, dizendo muitas palavras (seriam?) ininteligíveis que soavam ao cumprimento que se dá a um velho amigo. Sorri de volta, ao que ele apontou para o braço direito, paralisado por um antigo AVC, dizendo "Já viste? O coiso... o... coiso!", e abanava a cabeça com uma expressão de aborrecimento por aquilo lhe ter acontecido. Perguntei-lhe então o nome, e a resposta que obtive foi um pequeno momento de introspecção, seguido de "coiso, ai... é... ai... coiso! Espera, ai...". Tentava repetidamente dizer o próprio nome, mas não conseguia de facto dize-lo... Nesse instante fui chamado ao exterior da sala, pelo que saí e voltei a entrar passados dois minutos. Ao ver-me entrar chamou-me de longe, parecia ter algo importante para me dizer, aflito para não perder as palavras. Agarrou-me então na mão, e disse cuidadosamente "Manuel... ai! Pe... Pereira Silva!". Abriu então um rasgadíssimo e francamente orgulhoso sorriso, ao que foi impossível responder-lhe de outra forma senão com outro sorriso e um "muito bem, Sr. Manuel, é isso mesmo!".
Já no serviço voltei a observa-lo em dois dias consecutivos. Em ambos me cumprimentou efusivamente, como da primeira vez, nitidamente fingindo o reconhecimento de que não era capaz. Eu não voltei a repetir a pergunta. Limitei-me a cumprimenta-lo de volta como a um velho amigo, o que o parecia deixar satisfeito por não ter deixado de se alegrar pela presença de uma recordação que tinha há muito perdido...

Ivo Almeida

02/04/2007

Retratos de vida

Desistis-te, mesmo a tempo. Tens medo, quem disse que eu também não o tenho? …Chamaste-me criança, mas tu é que abdicas-te tudo, inclusive de mim. Onde esta afinal esse sentimento platónico?..

Tu não sabes, quanto tempo vais poder, dizer “esta sou eu” gritar que o chão é teu..
Tu não sabes…
Que o céu chama por ti, quando a noite te sorri, quando as pétalas, se abrem só por si..
Tu não sabes…
Quando tempo irás pedir, quando o sangue te fugir, quando o punho se fechar, sobre ti..
Tu não sabes…
Que o sonho não morreu, quando um qualquer beijo se perdeu, que a manhã, acabou sobre nós…
Tu não sabes...
Que palavras vais usar, quando o sono não vier, quando a noite te disser, “onde está ele?..” ...
Que loucura irás dizer, quando que te “apertar”, te pedir para ficares, só mais um dia..
Tu não sabes…
Quantos rios se vão deter, quantos olhos vão beber, nas palavras que colas-te…
Tu não sabes…
Que os TEUS MEDOS SÃO JÁ MEUS…e vão fechar nos teus, quando os barcos se despede, na maré…
Tu não sabes…

(Retratos de vida)

Ivo Almeida

Prazos Validade. P.B

Porque será que aqueles productos que nós gostamos muito, têm na embalagem o prazo de validade. Será que eles acham que vamos demorar mais do que um dia (no máximo) a acabar com uma caixa de chocolates? Ou uma caixa de bolachas? Chato é, quando vamos buscar a caixa e alguém já comeu o que restava!!!
As caixas dos nossos productos favoritos deviam ter na gravado:
"Consumir de preferencia antes do fim da embalágem..."
Mais, nada!!!

Ivo Almeida

Saudades, por demais..

São experiências de vida, que falam de nós, e se encaixam de uma forma metafisica, inexplicavél.. E uma vez, ele... alguém.. ele..

Saiu pela noite, pelas ruas do Porto, procurando, os seus olhos, num copo já morto,
Perdeu-se na vida, encontrou-a na foz, entre a má e a avenida, há tanta gente a sós.
E eu e tu, somos iguais..
Esconderam palavras por de traz das palavras, disseram amor sem se perceber…
Dançaram na estrada no asfalto dos loucos, entre o céu e o nada, foram morrendo aos poucos.
E pedia-se um beijo, uma mão que os agarre, parados no tempo, para que o tempo não pare.
E quando perceberam eu a noite era só deles, mataram desejos, enrolaram beijos, colados ao corpo, perdidos no chão; então os dois foram um, e o tempo nenhum, para o que tinham para se dar, põe o teu corpo no meu, deixa a noite acabar…
Então de um fez-se dois, e o tempo depois, foi tão pouco para viver… Põe o teu corpo no meu, deixa o meu amanhecer…
Enrolou um cigarro que fumaram a dois, revivendo o prazer, que viria depois… Beberam olhares, em lugares de veneno, mas nas paredes de um quarto, o mundo é tão pequeno.
Partiram no carro a voar na cidade, despistando as luzes, encantando a vontade, deram-se as mãos os corpos também, a duzentos á hora, não os vai vencer ninguém.
E pararam o mundo, numa rua qualquer, um abraço sereno, sem ninguém perceber…



Ivo Almeida

01/04/2007

Em conversa de msn...

10th grade

As I sat there in English class, I stared at the girl next to me. She was my so called "best friend". I stared at her long, silky hair, and wished she was mine. But she didn't notice me like that, and I knew it. After class, she walked up to me and asked me for the notes she had missed the day before and handed them to her. She said "thanks" and gave me a kiss on the cheek. I wanted to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

11th grade
The phone rang. On the other end, it was her. She was in tears, mumbling on and on about how her love had broke her heart. She asked me to come over because she didn't want to be alone, so I did. As I sat next to her on the sofa, I stared at her soft eyes, wishing she was mine. After 2 hours, one Drew Barrymore movie, and three bags of chips, she decided to go to sleep. She looked at me, said "thanks" and gave me a kiss on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

Senior year
The day before prom she walked to my locker. My date is sick" she said; he's not going to go well, I didn't have a date, and in 7th grade, we made a promise that if neither of us had dates, we would go together just as "best friends". So we did. Prom night, after everything was over, I was standing at her front door step. I stared at her as she smiled at me and stared at me with her crystal eyes. I want her to be mine, but she isn't think of me like that, and I know it. Then she said "I had the best time, thanks!" and gave me a kiss on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

Graduation Day
A day passed, then a week, then a month. Before I could blink, it was graduation day. I watched as her perfect body floated like an angel up on stage to get her diploma. I wanted her to be mine, but she didn't notice me like that, and I knew it. Before everyone went home, she came to me in her smock and hat, and cried as I hugged her. Then she lifted her head from my shoulder and said, "you're my best friend, thanks" and gave me a kiss on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

A Few Years Later
Now I sit in the pews of the church. That girl is getting married now. I watched her say "I do" and drive off to her new life, married to another man. I wanted her to be mine, but she didn't see me like that, and I knew it. But before she drove away, she came to me and said "you came!". She said "thanks" and kissed me on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

Funeral
Years passed, I looked down at the coffin of a girl who used to be my "best friend". At the service, they read a diary entry she had wrote in her high school years. This is what it read: I stare at him wishing he was mine, but he doesn't notice me like that, and I know it. I want to tell him, I want him to know that I don't want to be just friends, I love him but I'm just too shy, and I don't know why. I wish he would tell me he loved me! `I wish I did too...` I thought to my self, and I cried


Todos nós sabemos o que temos de fazer... mas só os inteligentes o fazem..
Como os invejo..



Ivo Almeida