30/01/2007

Apresentação animadora.


Sim, é verdade. Lá se passou mais um dia, mas desta vez, reforço a ideia que a união faz a força. Sim, é verdade. Senão, o que não passaria de uma 3º feira normal, foi terrivelmente animada, com uma apresentação de um trabalho de uns colegas meus. Decididamente, fizeram-no só para espevitar o pessoal, e mesmo no meio da loucura, fazer raiar, uma gargalha daquele amigo menos resistente a um bom Sketch de humor. Como a união é algo que hoje, dia 30 de janeiro, pelas 21:46, eu dou imenso valor, mostro-me disposto a distribuir, tal galhofa, e estado de alegria! Ficam com um pequeno relato, sobre o grande momento. Acabei de chegar á sala. Logo desconfiei, que se tratava de dia de apresentação de trabalhos, pois estava um portatil da Hp (por acaso parecido com o meu .. cof..cof..tinha controlo remoto e tudo!), um retro-projector, da praça (Não sei se era da praça, mas para quem tava na sala, vai achar isto engraçado tá?), uma tela branca, de tamanho, assim mais ou menos, vá... grande. Sentei-me no lugar, estilo aluno bem comportado que não sou, e a apresentação começou. Lá bem no meu cantinho, ainda tive tempo de assaltar o meu colega do lado, a fim de o violar 7 vezes e roubar uma folha e 1 caneta. (Foram 7 vezes, porque ele dizia que não era assim e tal) "Ah, coiso.. és tão bruto! Com beijinhos, arrepias-me,tá?" ..Enfim opiniões! Com a caneta e com o papel, fiz uma botija de oxigénio e fui para o mar! Não, não fui nada!"Com a folha e com o papel, fiquei a escrever um resumo, de apresentação, responsavelmente elaborada, pelos meus colegas. Perdido a escrever o titulo na minha folhita, minha atenção foi desviada" pois tinha começado a apresentação com "Não ..errr... diz tu!" Achei, engraçado, e depois a matéria abordada, tembém tinhas a sua piada. Das frases que consegui retirar, por exemplo .. (sei lá)... "Nomear o nome" "Emulação de Hardware" "Hei, não vaías assim" "Continuar os processos que estão terminados" "Seja algo que pronto, não é tão immportante quanto isso" Por esta hora, já o meu colega, o senhor da apresentação, tentava utilizar o tal controlo remoto do portatíl, mesmo direitinho á tela branca, mas infelizmente, esta não dizia "Hp". Bolas... Agora, estavamos claramente, noutra etapa da apresentação, pois os Pivots da apresentação lutavam, com opiniões iguais, apenas ditas por outras palavras, mas lutavam! Não achamos piada alguma, até porque não goostamos de violência, principalmente, daqueles que não se sabem bater.. aiai.. A tristeza só sucumbio, quando a apresentação voltou á normalidade, e então aí pude ouvir mais noções interessantes, do tipo: "Na primeira vez o utilizador "Redefine" e posteriormente é que define" "Ms-Dos, mas não confundir, com a linhas de comandos" "Não ocupam muita memória, MAS ao mesmo tempo, deixam que o sistema funcione correctamente" "Podemos termina-los, mas também podemos pará-los" (sim, esta ultima, estão mesmo a pensar, que eu sou doido, pois parar e terminar, são conceitos diferentes, mas... não quando se fala sobre processos! Por fim d apresentação, fiz questão de mostrar em suma, todo o meu trabalho, aos meus colegas que o apresentaram. Levantei-me, dirigi-me ao fenómeno; este pegou na folha com um sorriso, mas depois, de olhar para a mesma uns 60 segundos (até podia ser 1minuto, mas não foi.. eu é que lá estava eu é que sei yah?) diz-me.. "Não tou a preceber, estou a olhar e a juntar as letras mas não estou a ler" Pronto, agora sim, faz sentido!

Ps: A foto, é do meu pé sim! Podem encostar lá o nariz, porque não cheira mal! O pior foi para a fotografa, essa sim, foi parar nos
Infeccto-contagiosos, agora voçês, não tem perigo!

Ivo Almeida

29/01/2007

Realmente, o que nos preocupa?

What's wrong with the world, mama...People livin' like they ain't got no mamas; I think the whole world addicted to the drama. Only attracted to things that'll bring you trauma. Overseas, yeah, we try to stop terrorism, But we still got terrorists here livin' In the USA, the big CIA.
The Bloods and The Crips and the KKK, But if you only have love for your own race, Then you only leave space to discriminate.
And to discriminate only generates hate, And when you hate then you're bound to get irate.
Madness is what you demonstrate, And that's exactly how anger works and operates
Man, you gotta have love just to set it straight, Take control of your mind and meditate. Let your soul gravitate to the love, y'all, y'all
People killin', people dyin'
Children hurt and you hear them cryin'
Can you practice what you preach
And would you turn the other cheek
Father, Father, Father help us
Send some guidance from above
'Cause people got me, got me questionin'
Where is the love?
Where is the love ?
Where is the love?
Where is the love?
The love, the love?
It just ain't the same, always unchanged, New days are strange, is the world insane, If love and peace is so strong. Why are there pieces of love that don't belong, Nations droppin' bombs Chemical gasses fillin' lungs of little ones, With ongoin' sufferin' as the youth die young; So ask yourself is the lovin' really gone:
So I could ask myself really what is goin' wrong
In this world that we livin' in people keep on givin'in Makin' wrong decisions, only visions of them dividends, Not respectin' each other, deny thy brother. A war is goin' on but the reason's undercover. The truth is kept secret, it's swept under the rug, If you never know truth then you never know love.
Where's the love, y'all, come on (I don't know)
Where's the truth, y'all, come on (I don't know)
Where's the love, y'all
People killin', people dyin'
Children hurt and you hear them cryin'
Can you practice what you preach
And would you turn the other cheek
Father, Father, Father help us
Send some guidance from above
'Cause people got me, got me questionin'
Where is the love (Love)
Where is the love (The love)
Where is the love (The love)
Where is the love
The love, the love
I feel the weight of the world on my shoulder, As I'm gettin' older, y'all, people gets colder. Most of us only care about money makin', Selfishness got us followin' our wrong direction. Wrong information always shown by the media; Negative images is the main criteria, Infecting the young minds faster than bacteria. Kids wanna act like what they see in the cinema; whatever happened to the values of humanity. Whatever happened to the fairness in equalit Instead in spreading love we spreading animosity.Lack of understanding, leading lives away from unity
That's the reason why sometimes I'm feelin' under! That's the reason why sometimes I'm feelin' down!
There's no wonder why sometimes I'm feelin' under, Gotta keep my faith alive till love is found
Now ask yourself :
Where is the love?
Where is the love?
Where is the love?
Where is the love?
Father, Father, Father help us
Send some guidance from above
'Cause people got me, got me questionin'
Where is the love?

Porque realmente há coisas importantes no mundo, a que a todos diz RESPEITO!

Ivo Almeida

O que lá vai, lá vai.

Mais um referendo, Hurra! Hurra! Ai.. eu aqui com esta idade, e ainda sou do tempo, que se falava da Casa Pia!


Ivo Almeida

27/01/2007

House MD Bloopers - Demais mesmo! -

Sem dúvida, dos melhores vídeos que encontrei no YouTube. Lindo, Lindo!

Galeria Flintstone

Não faço ideia, quem seja este cabeçudo, mas sem dúvida que já o vi em algum lado! É tipo, o baú das cenazinhas deprimentes, tal e qual, e hoje voçês têm acesso! Claro que já sabem, que ao carregar nas imagens, elas CRESCEM! =O

(Sim, o belo do chapéu de palha, e estilo, demais! Foi em -Viana do Castelo-)

(Lá estou eu de novo, mais o meu papá, desta vez na estufa fria. Só se ri, o macaquinho! -Lisboa-)

(Ora, eu; na minha casinha antiga, Miratejo! Esse puto, sempre a rir, uma constante!)

(Bem, esta sou eu, mais a minha mamã, feira algures, carrinhos e choque ! E ri-se! -Espanha-)

(Ora, aqui está o meu padrinho. E raio do Puto que só se ri!)

(Praia, Praia, Praia! Mais a mamã! E o canuquinho ri-se!)

(O meu papá a tentar ensinar-me a tocar viola; tempo perdido, como se algum dia..lol) (Mas alguém lhe diz que rir faz mal ao estômago? - Sul espanha-Fuengirola -)

(Viagem de pópó, Benidorm-Madrid-Lisboa . Minha mamã, claro!)

(Eu e a minha mamã, ficamos com estas caras quando o calor passa dos 50º Mesmo assim, o miudo ... Ri-se ... Não vale a pena... - Fuengiorla -)

(lá está ele, e a rir-se pois claro! - Miratejo, i guess)

(Bem, segundo ouvi dizer, isto é um sitio muito conhecido.. não me lembro! Depois altero! Calem-me o Puto!!! )

24/01/2007

O Aborto!

O Aborto! Muito Prazer Ivo almeida!
Assunto discutido mil e uma vez, e no fim de tanta reflecção ao assunto, ainda se coloca a pergunta "A favor do aborto?" Sim ou não?
É mesmo uma tristeza, e com alguma vergonha que digo ao mundo, que o meu país perdeu tempo e não foi mais além da triste questão "Sim ou não?"
Depois de tantas vezes abordado por pessoas com tão pouco a dizer ao mundo, como o nosso amigo Padre, que ameaçou não aceitar baptimo,
nem mesmo fazer um funeral religioso, a quem votasse, "sim" ao Aborto (Para mais; Clique aqui ), chego á conclusão
que só falto mesmo eu, para conseguirmos juntar, o maior número de patetas, a dar opiniões igualmente patéticas, sobre o tema.
Com este peso sobre os ombros, (De ser um patéta igualmente valoroso) tremo um pouco, pois acho que a concorrência é forte. Ainda assim, vou tentar dizer alguma
coisa.
Não considero que questão do aborto, apresente uma solução simplesmente, com um falso dilema que é o "sim" ou o "Não". Penso que seja um tema delicado
que exije um pouco mais de fléxibilidade, para que assim todos alcançem, uma estabilidade, de forma a não se sentirem injustiçados com a decisão.
Não é nessessário uma grande consciência, para enumerar situações a favor, e situações contra a liberalização do Aborto. Concordo que seria pouco razoavél,
a liberalização total, pois é claro que pelo decorrer dos tempos e dos truques que a população cria sempre, para se melhorar (ou não) o nivel de vida, não seria
agradavél, viver com a ideia, que existem mil e muitos casais, impossibilitados de ter filhos, e por outro lado, outro casal a abortar de 2 em 2 meses,
por questaõ de pura irresponsabilidade, e falta e respeito pela sociadade.
Partindo do principio que um fecto, embora não possua todas as capacidades, que eu ou um ser adulto tem, deve ainda ser relembrado como Humano que é.
No mundo, e neste caso em Portugal, alguns reclusos foram julgados e condenados a penas pesadíssimas, por terem cometido o crime de homicídio, que segundo
regra mundial, é designado como "não conselhavél a prática". É mesmo uma pena, pois eu parece que não tenho jeito para nada, e aí era mais uma area que me atrevia a experimentar,
mas enfim, não deixa, não deixam!
Para algumas pessoa que não consideram que um fecto com (por exemplo) 2 meses de gestação, seja considerado como um ser vivo, pois não possúi meios de comunicação,
nem meios de sobrevivência e principalmente de auto-manutenção, até podem criar exemplos,(Vamos ser radicais) comparando com um prédio, acabado, e um progecto de
prédio, lógicamente, por acabar.
Devo salientar a ENORME diferênça que se intromete, por meio de ambos, pois simplesmente um fecto o fim de 2 meses, embora não possua, os meios de sobrevivência
suficiente, para ser avaliado, como tendo algum valor, possui, uma linda faculdade (não muito rara) que aterroriza a tese defendida por este numero de pessoas;
que se chama "sentir".
É verdade, apenas com 2 meses de gestação um fecto "apesar de limitado", consegue ser sensivél á voz da mãe, consegue não ser indiferente ao toque. Por outro lado
não me parece que um prédio, ou mesmo projecto, seja capaz de retribuir uma pedra atirada por uma criança, á parede lateral do mesmo. E desconfio
sériamente, que nem se sente muito incomodado com tal atitude do petiz. Enfim, são feitios!
Para além do que já falei, há ainda (muito utilizada) a tese de que não será justo, por um lápso momentanêo, uma pessoa ficar condicionado para toda a vida, com um
filho nos braços.
Na verdade, imagino que seja chato, por uma diversão, por um desvaneio de responsabilidade, acontecer tal drama. Admito até que talvez seja um preço alto demais
para se pagar o "pouco" lapso que foi. Mas o que é certo é que esse lapso, eu vida a alguém, esse lápso, por muita ou pouco culpa que se atribua, ao bebé não é certamente.
Este sim, não tem culpa alguma, da falta de responsabilidade dos progenitores.
Talvez um preço demasiado caro (ok, muito caro), mas nem se deve, adiar o pagamento de uma "pequena ou grande" Irresponsabilidade, com a morte de um ser vivo.
Apesar de parecer (ou não) uma tese bem sustida, não me atrevo á radicalidade de responder que "não" á liberalização do aborto. E porquê?
Ora, não é estar a denegrir a capacidade de precepção do leitor, mas sim a alertar o mesmo, quanto á minha falta de expressão, que digo "Vamos aos exemplos!"
Sem dúvida alguma, que um não seria pesado para a sociedade, não me imagino, na verdade, completamente "recluso" de ter a braços um ser com problemas motores, que
visto ter sido diagnosticado com antecedência, porque não evitar o sofrimento de 2 pessoas? Não imagino, alguém no país que temos, que infelizmente as etnias, raças e até
personalidades, são avaliadas, com efeito de gozo, e discriminação; fico só por aqui a pensar no que seria a vida de uma criança que nasceria para ser vitíma do seu problema motor
e vitíma do país que temos.
Sou lógicamente a favor do Aborto, neste caso, pois o "pequenito" foi o unico, que não pediu para nascer; seria uma falta de respeito, e não saber viver em sociedade.
No fundo, acabo por relatar argumentos no qual açeito a liberalização do Aborto, e argumentos em que contesto a liberalização do mesmo.
Mas, por sim pelo não, o que mais contesto, e e revolta é estes elementos do governo, que á força de mil e uma votação, iram repetir até obterem um resultado que lhes agrada.
Por enquanto, não é liberalizado, porque se fosse, jamáis haveria urnas abertas, para aqueles que não o açeitam.
Estou perfeitamente consciente, que o liberalização do aborto, vai ser açeite no próximo referendo ao aborto, porque caso não seja, haverá outro referendo, e entao se der para o torto,
ainda outro, e outro, e os nessessários até á liberalização do mesmo.
Por outro lado, a revolta impõe-se em gosverno este, que nos coloca falsos dilemas no referendo, com uma questão de escolha multipla, que no meu caso a resposta iría ser "Depende".
Enfim, como cidadão não tenho esse direito.
E, já agora é interessantíssimo, a espectativa que este referendo está a causar no país, á custa de tantas opiniões, e diverências. Mas eu vou facilitar a situação; vou dizer-vos que a
Liberalização do aborto, vai sair de toda a história com grande vantagem.
O quê? não, não conheço a maya, nem me arrisco a lançar cartas e artfáctos, simplesmente, acho sarcástico até, os "Nuestro Hermanos" já estejam a investir em Portugal, com clinicas
Abortivas, mesmo com o risco de por fim, o aborto não ser liberalizado... ou será que não haverá hipotese de tal acontecer? Pois, é... também acho que isso não pode acontecer, simplesmente
porque o nosso governo quer esse investimento, nessessita de tal.
E pronto, afinal estou de parabens, pois ultrapassei as espectativas, e criei este espécie de "coisa" mesmo patética, e assim junto-me ao resto das opiniões.
Saudações!

Ivo Almeida

23/01/2007

São situações que no ultrapassam...

O Sr. Manuel esteve no SO, do Hospital, antes de ser internado no serviço. Conheci-o ainda no SO. Ele estava no Hospital por uma pneumonia, mas tinha bastantes doenças de base. Uma delas era a Doença de Alzheimer. E foi essa que me surpreendeu.
Quando o cumprimentei, com um sonoro "Bom dia!!", arranquei-o ao sono superficial em que se encontrava. Surpreendido, esboçou um enorme sorriso, fingindo claramente um reconhecimento da minha pessoa. Acenou-me com a cabeça, dizendo muitas palavras (seriam?) ininteligíveis que soavam ao cumprimento que se dá a um velho amigo. Sorri de volta, ao que ele apontou para o braço direito, paralisado por um antigo AVC, dizendo "Já viste? O coiso... o... coiso!", e abanava a cabeça com uma expressão de aborrecimento por aquilo lhe ter acontecido. Perguntei-lhe então o nome, e a resposta que obtive foi um pequeno momento de introspecção, seguido de "coiso, ai... é... ai... coiso! Espera, ai...". Tentava repetidamente dizer o próprio nome, mas não conseguia de facto dizê-lo... Nesse instante fui chamado ao exterior da sala, pelo que saí e voltei a entrar passados dois minutos. Ao ver-me entrar chamou-me de longe, parecia ter algo importante para me dizer, aflito para não perder as palavras. Agarrou-me então na mão, e disse cuidadosamente "Manuel... ai! Pe... Pereira Silva!". Abriu então um rasgadíssimo e francamente orgulhoso sorriso, ao que foi impossível responder-lhe de outra forma senão com outro sorriso e um "muito bem, Sr. Manuel, é isso mesmo!".
Já no serviço voltei a observa-lo em dois dias consecutivos. Em ambos me cumprimentou efusivamente, como da primeira vez, nitidamente fingindo o reconhecimento de que não era capaz. Eu não voltei a repetir a pergunta. Limitei-me a cumprimenta-lo de volta como a um velho amigo, o que o parecia deixar satisfeito por não ter deixado de se alegrar pela presença de uma recordação que tinha há muito perdido

Ivo Almeida

20/01/2007

Sim "Shôr Padre"

Estou emocionado, com as declarações feitas pelo senhor padre, de uma certa paróquia que para ser sincero, não sei qual.
Mas o importante aqui, são a delarações por ele proferidas. A sua ideia argumentativa, constou em nada mais ou menos que
uma ameaça, em tons de parvo, que diz não Baptisar, nem mesmo elaborar um funeral Religioso, a qualquer cidadão que
vote sim ao aborto.
No fundo até que entendo o senhor Padre; Supostamente se o aborto fosse um acto encorajado, na altura que o mesmo
abriu olhos ao mundo, a sua mamã teria fechados as pernas sobre ameaça de reprodução de gente estúpida, tal como se verificou que ele veio a ser.
Qualquer das formas, devo também frisar que é mesmo de bom tom, e extremamente hilariante o facto de o suposto, ser acima, de os que aceitem estar "abaixo"
ser tão convincente ao ponto de tais declarações.
Quer a Igreja angariar população, mas depois colocam pessoas como estas á frente de tal obra com cargos de reponsabilidade, e a verem a floribella, pois é claro...
Dá nisto.
Quanto ao aborto sem crer entrar em promenores, as estatisticas mostram-nos uma situação engraçada, pois pelos vistos, e afinal 50% dos pecados abortivos
feitos em portugal, foram por padres de provincias de interior.
Ai sim considero um problema! Seria extremamente doloroso de engolir, um senhor padre de tal declarações, descobrir agora que iria ser pai.. ou então..
resolvia o problema!

Ivo Almeida

17/01/2007

Aborto

Bem, já que me pediram, eu deixo-vos aqui a minha opinião sobre o Aborto. Noção esta que está representada por esta imagem, perfeitamente ao corrente das minhas ideias e príncipios.


Bem, agor fora de brincadeira, fica aqui a promessa que voltarei ao assunto, mas desta vez a sério!

Ivo Almeida

15/01/2007

Fim de ano!!

Isto foi uma ausência que me facilitou a pensamento, e Deus me perdoe, mas é que ninguém me tira da cabeça, como até em marcos importantes como o festejar do ano novo, há pessoal, que não interessa, nem só um pouco.
Acho que o Saddam afinal passou o Reveillon em casa. era pa ir com os amigos, mas parece que o deixaram pendurado!

Ivo Almeida