21/12/2007

Portugal grande?

Enfim, aqui para nós, eu acho que Portugal para ser um pais com prestigio,devia ter um senhor que fosse Presidente dos E.U.A e não da Comissão Europeia...
Ivo Almeida

20/11/2007

(Tu) Como uma ilha

Tu és todos os livros, todos os mares Todos os rios e todos os lugares
Todos os dias, todo o pensamento
Todas as horas, o teu corpo no vento Tu és todos os sabados
Todas as manhãs, toda a palavra
Ancorada nas mãos.
Tu és todos os lábios, todas as certezas
Todos os beijos, desejos, Princesa...
Como uma ilha, sozinha..

Prende-me em ti
Agarra-me ao chão
Como barcos em terra
Como fogo na mão
Como vou eu esquecer-te?
Como vou eu perder-te?
Se me prendes em ti
Agarra-me ao chão
Como barcos em terra
Como fogo na mão
Como vou eu lembrar-te?
Se a metade que parte
É a metade que tens!!!

Tu és todas as noites, em todos os quartos
Todos os ventos, em todos os barcos
Todos os dias, em toda a cidade
Ruas que choram, mulheres de verdade
Tu és só o começo, de todos os fins
Por isso eu te peço, fica perto de mim
Tu és todos os sons, de todo o silêncio
Por isso te espero, te quero e te penso...
Como uma ilha, sozinha...
Como uma ilha, sozinha...

Ivo Almeida

19/11/2007

Ai é?!

Bem, extraordinariamente, em plena aula, a professora Doutora relata-nos uma história que se passou com ela, na qual a sua infância foi passada na Alemanha. Pois, precisamente um colega de faculdade, dirige-se á senhora e diz:
"És Portuguesa?" , ao que a professora responde:
"Sim, sou, porquê?"
- "É que eu tenho uma empregada lá em casa Portuguesa, e tu..."
- "Pois, eu também tenho um cão lá em casa que é Alemão, é um pastor" ...

(Isto claro, em plena aula)

Ivo Almeida

07/11/2007

SpiderPig!

Spiderpig, Spiderpig, does whatever a Spiderpig does!

Can he swing, from a web, no he can't, he's a pig!

Look oooout he is a Spiderpiiiiig!*

Palavras para quê? ...

E assim me fico!

Ivo Almeida

18/10/2007

Lento, eu vi morrer o tempo
Morto por fora e por dentro, como um pai enganado
Um filho roubado
Uma mão de soldado um pecado
Um cálice um princípe
Um salto de Lince
Um fim que está perto
Um quarto deserto
Dois tiros no escuro
Um peito feito num muro
E o rosto já frio, som da morte no cio
O passo a compasso das botas cardadas
Espadas á espera, o Gume luma da fera
E ninguém percebeu que o mundo inteiro...
Somos nós...
Longe, o mar que se rasga na foz
Uma dor, que por mais que se aloje,
Não vale o aço da bala
Coração quem e embala que estala que empalha, no medo...
Um devil, um dedo
Um gatilho já preso, um rastilho acesso
Um fogo ás cores pelo céu, desenhos loucos no breu
Pintura pura a canhão
Talvez vinte homens não cheguem, talvez aqueles me levem, talvez os outros se lembrem
Que são homens, como os que fogem
E nenhum deles é maior, num ódio feito de dor
Mas ninguém reparou, que o mundo inteiro, parou...
A cada não que dizes, abre-se um lugar no céu...
Fracos, como farrapos na cama
Orgulho feito de lama
E o verbo ser a partir
Palavras presas na alma, ruas de vento vivalma
Um límpido tiro, um suspenso suspiro
Bietarras, notícias...
Gravatas impunes, negando esses vícios
Vozes de ferro e de fogo, de fome de fuga de facas...
E as rugas, pobres já fracas..
Um poço morto de sede
Grafites numa parede
E ninguém percebeu, que o mundo inteiro,
Sou eu...
Outros...
Loucos, perdidos sentidos certeiros
Crianças feitas guerreiros...
Quem foi roubado, perdão...
Dois braços cheios de pão
Uma bala na palma da mão...
Um fosforo fato
Nos jornais um retrato, de um estilhaço
Um abraço
Um pedaço de espaço de uma pátria sem chão
Uma pétala pródiga
Um remorso confesso, traz a dor no regresso
Talvez um dia o inverso
Mas isso já eu não peço
O mundo inteiro a fugir
O mundo inteiro a pedir..
Que se apalte o teu não!

A cada não que dizes, abre-se um lugar no céu...






Continua G.W.Bush. .... Fraco.
Ivo Almeida

09/09/2007

Um roubo!

Acabei de ser assaltado!
Por um radar do Marquês de Pombal.
Mas acho que fiquei espectacular na fotografia.
E pus rímel na matricula.

Ivo Almeida

Humor, é Humor!

Graham Chapman, membro dos Monty Python´s, morreu em 1989.
No seu funeral foi feito um discurso pelo John Cleese (membro dos Monty Python´s) que demonstra o que de melhor a comédia tem.
Provar que mesmo em situações mais delicadas o poder avassalador da comédia pode (e deve) ter a última palavra.
Este video que já conheço há um bom tempo, mostra esse mesmo momento.
E o quanto à frente é preciso estar para o poder fazer.
E prova o verdadeiro humor inglês.
Vejo-o vezes e vezes sem conta.
E agora, aqui está ele.



posted by Bruno Nogueira @ Sábado, Setembro 08, 2007

Ivo Almeida Blog, curiosidade

Porque em tempos:

"És difelente e eu goxto dixo....mete pica :P"




Cláudia (Clá-Clá) in IvoAlmeidaBlog Comment's

Ivo Almeida

07/09/2007

Copo de água VS Copo com água

Bem, e venho por este meio por fim ao grande dilema que foi criado. Então será copo com água, ou mesmo copo de água? Pessoalmente, entendo que devemos continuar a pedir um Copo de água, e não quer dizer que o copo seja feito de água.
Pelo menos só enquanto, os Chapéus de sol, não forem feitos de sol!

Ivo Almeida

06/09/2007

É um só medo

Tu não sabes, que alguém, chama por ti
Enquanto o rio, se torna negro
Em tons de Outono rápido
Ou um relógio que suprimi...


Tu não sabes, que eu não sei...
Que palavras eu vou usar
Quando o teu sono te chegar
Ou quando o negro te disser:

"Vens comigo" ...


Será que sabes...

Que o teu eu, vive em mim
Porque tu, entendeste assim
Este ar fresco, chama-se orgulho...

Tu não sabes...

Tu não sabes... que o teu medo
É já meu...
O preto de ontem, envelheceu...

O branco de hoje
Faz-me Sorrir!!!
Pois essa ideia..

Ainda é minha...

Eu amo-te.

Ivo Almeida

05/09/2007

Repelente

Tomei repelente anti-estupidez, vamos ver quem me abandona primeiro, o coração ou a mente.

Ivo Almeida

04/09/2007

Logica Falaciosa

Em pleno 13 de Maio, e enquanto os canais de televisão, públicos e privados, debitam verborreicamente orações e frases sem nexo, num país que é laico no papel, há dúvidas que me assolam, como sempre. Uma das principais é a tentativa de compreensão da falta de raciocínio crítico por parte dos crentes. Se não, vejamos, por exemplo o caso da pequena Madeleine, que numa acção totalmente desprezível e intolerável foi raptada dos seus pais, disso ninguém tem dúvidas. Também não há dúvidas é do aproveitamento religioso de que foram alvo imediatamente. Alguém me explique. O vosso Deus é omnipresente, omnipotente e omnisciente certo? Tendo como base estes poderes que qualquer super herói invejaria, à excepção do super homem talvez, e à base da vossa doutrina, parece-me que o vosso Deus já sabia que isto ia acontecer, já se encontrava rascunhado no seu plano divino. Se assim é porque estão a rezar para devolver a míuda? Já se aperceberam que estão a ir contra o seu desejo? É algo irónico não? Arriscam-se a ser castigados por aqueles acessos de raiva divina dos quais a bíblia está repleta. Vamos colocar outra hipótese: o vosso Deus não vos controla, mas como omnipotente e omnisciente sabia que alguém estava a levar a garota e não fez nada. Ou não é tão omnipotente como dizem ser ou então é cruel. E agora os crentes dizem: ele está a testar a família para provarem a sua fé. Se ele "sabe" tudo precisa de testar as pessoas para quê? Quando se testa alguém é quando se tem dúvidas acerca das capacidades dessa pessoa. Se o vosso Deus tem dúvidas bem que poderiam ter arranjado um Deus melhor.
Esta lacuna extrema de raciocínio crítico assombra-me e faz-me cada vez menos acreditar que realmente somos um ser racional, porque não o somos, e os livros deveriam ser reformulados...
Só para terminar, a hipocrisia ultrapassa-me.

"Uma força de dez mil homens, liderada pelo Exército, vai garantir a segurança do Papa Bento XVI durante a sua visita ao Brasil, de amanhã a domingo, informou hoje o Ministério da Defesa. A operação de segurança contará com 3200 soldados do Exército, bem como elementos da Marinha, Força Aérea, polícia militar, civil, de trânsito e membros da guarda metropolitana de São Paulo."
in Público


Parece que nem o papa acredita na força do seu Deus...


Sem senso comum
Não resisti não postar este video...

Pedro Abrunhosa

São artistas, donos de trabalhos como este, que nos fazem sentir pequenos. Que notamos cada vez mais que os nossos gestos são uma migalha neste mundo de problemas. É impossível ficar indiferente, cada palavra nos remete a lembrar estas duras "realidades nocturnas".

Obrigado Pedro, por cantares por todos nós, a música que nenhum se lembrou...

26/08/2007

Realmente...

O primeiro ministro disse que "As estatísticas são por vezes usadas com fins demagógicos", e eu pergunto: E há estatísticas sobre o uso demagógico das estatísticas?

Ivo Almeida

19/07/2007

E sou assim

Bem, eu já falei disto aos ouvintes masoquistas que até fazem por exprimir um sorriso, na tentativa de me ouvir. Sinto que sou dono de um sintoma, um tanto ou quanto estranho, que vos passo a apresentar. Quem priva comigo, certamente já me ouviu colocar questões, as quais podem padecer de um certo tipo de complexidade, entre muitas é por exemplo : "A Índia existe?". É fácil de ver que esta perguntou só pode ter tido proveniência de um cérebro ou de um louco. Eu de cérebro não tenho muito ou mesmo nada, por isso faço questão de passar a explicar. Tendo uma certa tendência para duvidar de tudo o que é constantemente falado, e eu ainda não tive oportunidade de confirmar, partindo de um dos meus sentidos, que aqui para nós, tenho alguns. Por exemplo, da Lua, do Cristo Redentor no Brasil, na Alexandra Solnado, e mesmo no Pentágono. Bem, perante isto, já esqueceram a parte do "cérebro", é normal, mas qualquer das formas, vou tentar redimir-me.
A questão põe-se em, desconfiar constantemente em algo ou pessoa que não tenha comprovado a sua existência, a partir de um dos meus sentidos. Entende-se por "sentidos do Ivo" algo semelhante a audição, visão, tacto, gosto ou paladar e olfacto. Bem, por sinal entende-se por mais umas quantas situações, mas para o leitor estas 5 chegam. No fundo sei responder que a índia existe, mais no mais intimo de mim, a questão permanece até algum destes sentidos me provar a sua existência. Há quem dia que é um certo cepticismo doentio, eu aceito esta visão leve da situação, mas ainda assim, acalmo por completo, pois, os adeptos do Benfica em Braga, também acreditavam na possibilidade de ser construída a tal catedral da luz, em território bracarense, portanto, se é para começar-mos com suposições irracionais, não me considero muito afastado da realidade ao questionar se existe realmente as pirâmides do Egipto.
Outro sintoma paralelo a este é a ideia de só dar importância alguém que estimo, quando na verdade já não se encontra á minha frente, isto é : Imagine-se que eu aprecio muito Pedro Abrunhosa, e vou ver um concerto. É certo que até a personagem aparecer, estou ali, um pouco nervoso e ansioso para o ver ao vivo e a cores, depois quando apareceu, pronto está ali semplesmente. Toda a carga é perdida. Por outro lado quando este artista se vai embora, é normal me encontrarem a olhar para o tripé e a pensar.."uau, ele esteve ali.." Não é normal certo?

Ivo Almeida

16/07/2007

Religião

Olá a todos. Sim estou disposto a ser apedrejado mal tratado e insultado na rua depois deste post, mas ainda assim vou falar. A religião é um fenómeno meramente pessoal e privado. Aderir a uma religião significa adoptar comportamentos, práticas, rituais, formas de culto, dogmas e crenças sobre aspectos importantes que revelam a realidade. Devido a isso as religiões influenciam profundamente as sociedades em que vivemos. Subitamente podia colocar a questão, "Qual serão os critérios para escolher uma ou outra religião?" mas, por sua vez, vou um pouco mais atrás e formulo a questão para "Será mesmo essa a verdadeira realidade?" Esta é a questão que nos aparece ao longo de anos, que se mostra absurda para alguns crentes e completamente absurda acreditar numa realidade como esta, aos olhos de alguns cépticos da área.
Em minha opinião, considero que não é muito racional acreditar em alguma situação que não possamos comprovar, tanto com os sentidos, como com argumentos.
Com um exemplo, em que as crenças tenham um valor vital, mostro um exemplo concreto no qual ilustra perfeitamente uma ideia de se provar algo.
Imaginemos um armador, possui um navio, que vai enviar para o mar. Ele sabia que o navio era velho, e não tinha uma boa construção, nem sequer segurança de navegabilidade. Esta ideia assombrava-lhe o espírito constantemente. Teria de mandar inspeccionar o navio, para aprovar assim a viagem em segurança, mas não possuía dinheiro, e essa inspecção era muita cara.
Disse para si próprio que o navio que o navio já tinha realizado tantas viagens em segurança, enfrentado tantas tempestades, que adquiriu como ideia que era uma perca de tempo supor sequer que o navio não regressaria em segurança de mais uma viagem. Confiaria na providência que nunca o deixara de proteger. Afastou o seu espírito de todas aquelas ideias mesquinhas, e deste modo obteve uma convicção sincera e confortavel de que o seu navio era inteiramente seguro. A viagem correu mal, e o navio afundou-se.
Ora, penso que o armador seja culpado, pela morte de toda a tripulação do navio. O facto do armador acreditar na solidez do navio é irrelevante. A crença formada por ele, não o torna menos culpado.
Agora, imaginemos que a viagem tinha corrido sem problema nenhum. Será que esta situação já isenta o armador de qualquer responsabilidade ao acreditar na solidez do navio?
Bem, criticamente, continuo a argumentar que não. Tal como é publico sou completamente a favor da teoria deontológica, e assim sendo encaro que o importante de uma acção é o seu motivo e não a sua consequência. Por este olhar, este exemplo não escapa ao meu olhar e daí eu afirmar que não isenta o armador de culpas.
O importante neste ponto, é a forma como o armador chegou á sua crença, visto que não tinha provas de que o navio aguentaria mais uma viagem ou não, pois não realizou a tal inspecção. O facto de o navio ter sobrevivido a mais uma, não retira culpa.
O armador, continua a ser culpado por ter adquirido uma crença, sem fundamentos, ou seja sem provas concretas disso.
Quero fazer ver com isto que Acreditar sem provas em algo verdadeiro, é tão eticamente errado, como acreditar em algo falso sem provas suficientes. O que está errado é acreditar em algo sem provas, quer se acerte ou não, por sorte ou azar.
Dado que agimos em função daquilo em que acreditamos, quando as nossas acções podem prejudicar alguém, temos o dever de avaliar cuidadosamente a informação que dispomos antes de acreditarmos no que quer que seja.
Mas e se as nossas crenças não prejudicarem ninguém, será legitimo acreditar naquilo que mais nos convém?
Isto é um assunto um pouco mais complexo, mas ainda assim, acredito que todas as nossas crenças, têm uma dimensão social, pois não há crenças que apenas digam respeito a quem as tem. Até mesmo a crença religiosa, dizem respeito não só ás pessoas que acreditam, mas sim a terceiros. Para não falar que essa crença nunca será explicada imparcialmente aos filhos, amigos, etc.
Em suma, não discordo que os crentes de uma religião, o façam, mas discordo por outro lado, aqueles que o defendem, sem saberem explicar porquê.
Entende-se pessoas que não sabem explicar porquê, não só aquelas que dizem "não sei", como a todas as outras que cometem falácias argumentativas, recorrendo a círculos viciosos, e por aí foram.
Na verdade, uma resposta, ou justificação do porquê, da grande entidade divina ter permitido, os ataques da Eta em Espanha, o terrorismo na Wall Street, aos edifícios World Trade Center, bem como o terrorismo em Londres, na Kings Cross Station. Se não falar em terrorismo, vamos falar no que aconteceu na Ásia, com o tsunami, que matou milhares de pessoas. Quanto a isto, que dizer?... apenas expliquem-me, porque eu não sou um anjo, mas não desejei isso... apenas não o pude impedir.

Ivo Almeida

06/07/2007

DVD

É com alguma alegria que passo a informar que o Dvd da nossa "longa metragem" Romeu&Julieta já se encontra disponivel. Está ao que parece, um trabalho bastante agradavél, que eu tenho o maior prazer a apresentar. (lol) Interessados a adquirir o dvd, é só contactar para IvofilipeAlmeida@gmail.com




Ivo Almeida

04/07/2007

Diagnótico perfeitoo

È com imensa pena, que vou relatar factos reais, que se passaram comigo. È quando me preparo para o começo dos relatos mirabulantes, que me ocorre, pelo acontecimento dos mesmos, que talvez eu seja mesmo um rapaz, de quem ninguém tem muito prazer de dialogar, ou mesmo "SÒ" estar presente com ele.. o que me deixa triste.. Triste, mas ainda assim.. nem por isso arrependido! Isto é como um ponto final, como um grito do Ipiranga, que digo e repito, - Não vou mudar! - Não por ser o meu feitio teimoso a surgir á tona, nem simplesmente, por achar que tenho razão neste ou naquele aspecto, mas simplesmente, porque acho que estou certo! (O que é diferente)
Utilizando uma pequena analepse, imaginem lá um amigo.. bom amigo.. e grande.. assim mesmo amigo.. com um defeito! (Correcto.. ninguém é perfeito).. mas será normal, colocar certos valores momentanêos e temporais, á frente de valores duradouros, e com alguma história? Peço ajuda aos leitores, sinceramente, peço que o leitor tenha a ousadia de opinar sobre o assunto.. isto é: Expliquem-me, o porquê de alguns rapazes, não conseguirem falar da mesma maneira com raparigas, como falam com rapazes!!?? A ausência de uma personalidade feminina na vida de estes "caçadores furtivos" é assim tão notória, que os tornam patéticos, com uma certa semelhança a alguns seres caninos, que usam e abusam das suas tendências de íntimo, que sem as controlar, se demoninam de "Sedentos de cadelinhas". È triste quando reparamos que isto acontece com o nosso melhor amigo, ou dos melhores amigos... O que fazer?.. Continuar e açeitar, ser alguém, até ao momento que se aproxima a sua "Presa" ?..
Acho que esta metamorfose de reacção na presença de uma identidade do sexo oposto, só mostra uma insegurança aliada a uma vontade de ter o que por norma, lhe é negado!
Mas o que é engraçado é que eu não sou nenhum Doutor para chegar a este ponto, e ainda oiço simultanêamente a estes pensamentos "igoístas" algo de genero de uma "autopremiação" por claramente, o próprio notar que uma rapariga está na mesma "onda" que ele. No fim, todo o mundo se aprecebe, que a menina só lhe disse "olá" .. o que em mente canina.. talvez se equipare a uma abertura dos membros inferiores de modo a que o "sedento" se atire de cabeça!
È uma doença, estes comportamentos.. só agora reparei, porque senti o quanto é mau sermos postos para tráz, porque o nosso amigo, não pode ver uma menina, e esqueçe os amigos, as regras, até mesmo o perigo! ..
Fico á espera de observações vossas pessoal, e ainda assim deixo aqui uma mensagem de apoio aos transportantes deste síndroma ..

Rapaz.. as raparigas, podem ser bonitas ou feias, mas no fundo não gostam de ser maltratadas, e acima de tudo, quando olhares para uma, observa.. -Ela não tem a vagina na testa!- Por isso, podes continuar a ser tu mesmo, porque só assim a vais agradar! A mentira.. vem ao de cima!

Ivo Almeida

20/06/2007

Arte!

Bem, a conversa começou, quando a cátia, com imensa criatividade, me escreveu uma frase, que explica em segundos a existência humana, a ponto de reflectirmos horas a fio, sobre o mesmo.. que foi :

O que ela quer sei eu pah!!!

Tal pasmo fiquei, que me atrevi a perguntar:
- "Ai sim..? então e o que é?"

- "Ah, não sabes, então espera que eu faço-te um desenhooo!"


E pronto, é simplesmente estas obras de arte que faço ideia de passar a apresentar... Senhoras e senhores... Excitem-se por favor! LOL




(Clique nas imagens para estas ficarem maiores!)


Claro, que em comentário, a Artista (Cátia) nos vai premiar, com um Making off, e explicar de onde vieram, textos tão criativos! Ficamos á espera!

Ivo Almeida

23/05/2007

São coisas que acontecem! (Xilófónico)

Pois, é com grande tristeza, e desalento que venho aqui anunciar que o meu grande amigo Gonçalo é dono de doença estranha, que por sua vez, colocou todo o grupo de trabalho em profunda consternação. É com magoa no Peito que digo a todos, o Gonçalo sofre do síndrome de Xilonofobia, é portanto um rapaz "xilofónico"! Nesta altura, sei (pois até tive em conversa com ele na paragem) encontra-se no estágio, a fazer pela vida para pagar os tratamentos á base de mercúrio, nesta grande luta contra o demónio xilofónico. Xilofonia, tem sintomas que embaraçam qualquer ser humano (que se encontre perto de um que a tenha), pois a insaciável vontade de arrotar que nem um porco e falar soltando perdigotos como senão houvesse amanhã é o pão de cada dia de um doente xilofónico. Após noites a fio passadas com um doente xilofónico em Braga, devo acrescentar que em fase mais avançada, demonstra um carinho especial por pessoas do mesmo sexo, que por sinal também denotem esta mesma carência afectiva. A titulo de exemplo, fica assim explicado o porquê da quantidade de mimos que este nosso amigo nessecitou por parte do Panda.
Agora que falo no assunto, não podia deixar de fazer zelo á minha ligação contra a - Liga portuguesa Protectora dos animais - e digo, o Gonçalo também tem coisas boas! ...
Apelo incessantemente para o cuidado com este tipo de sintoma, principalmente aos professores de matemática... são episódios que nos fazem chorar demais, tanto que ficamos sem lágrimas para o "Felizmente há luar!" ..
Ainda com magoa que me lembro do professor a questionar rudemente: "Gonçalo.. mas tens algum problema???"
ao que a resposta surge, denotando um tom de humildade de carência, levanta-se abre a boca aponta para um pé e diz... : "Sim professor, eu sou Xilofónico..."
As melhoras miudooo!!! [[]]

(Ao olharem para a foto e notarem batimentos cardiacos alterados,
e crescimento de pêlos espontaneamente,
por favor fujam dos restaurantes chineses!)

Ivo Almeida

São coisas que acontecem! (Xilófónico)

14/05/2007

DZRT

OK, recentemente apareceram duas bandas portuguesas em alturas semelhantes a fazer furor (cada uma na sua área).
Uma, mais conhecida na urbanização, são claro os D'ZRT. Formada por Edmundo, Angélico, Vitor e Paulo.
A outra, ainda não é muito conhecida mas começa a afirmar-se no underground minhoto (e com razão) são os Daemogorgon, formados por Barroso, Chico, Carlos e Baal.
O que é que estas bandas têm em comum? Nada. Excepto, o nome da banda começar por D, serem quartetos e os musicos serem exactamente as mesmas pessoas. Como é que isto aconteceu? Simples: Eles formaram os D'zrt para ganharem fama, e o seu side-project Daemogorgon é apenas a músicas que eles realmente gostam. E não os censuro.
Mas se não acreditam vejam as fotos e comprovem vocês mesmos.
De qualquer maneira desejo lhes boa sorte em ambos os projectos.
Inté



Ivo Almeida

11/05/2007

A vida

Eu já perdoei erros que julguei imperdoáveis…
Em tempos já tentei substituir, pessoas que só por si, só pelo o que fomos, eram insubstituíveis…
E pior que tudo, esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com algumas pessoas, que nunca pensei que o fizessem… mas também já decepcionei muitas pessoas.
Já abracei para proteger… já me ri de assuntos tão sérios quanto o que sentia por ela…
Não devia…

Já fiz amigos eternos, já amei e fui amado, já amei e fui rejeitado…
Mau também quando já fui amado e não soube amar…

Já gritei e pulei de tanta felicidade, quem sabe por estar contigo… quem sabe por ter vivido…
Já vivi de amor!
E fiz juras de amor eterno que vieram a soltar-me lágrimas de sangue…

Já chorei a olhar para fotos e a ouvir música! …
Já telefonei, só para ouvir uma voz do outro lado…
Já me apaixonei por um sorriso…
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade, e tive medo de perder alguém especial…lol …
acabei por perder...

… Sobrevivi e ainda vivo…
Não passo pela vida, e tu também não devias passar, pois o passado faz a nossa história e o presente pode fazer a nossa felicidade.

Aprende-se muito… Aprendi muito, com pessoas certas, e com a dor por demais…

Bom mesmo é ir á luta com determinação…Abraçar a vida e viver com paixão… É perder com classe e vencer com ousadia… Pois o mundo pertence a quem se atreve… Atreve-te…contra tudo… contra um passado…!

Porque a vida é muito para ser insignificante! - Adoro-te -


Ivo Almeida

03/05/2007

Nem tudo faz um político

Carmona Rodrigues, Jogador de Rugby ( no CDUL ) , foi campeão nacional. Engenheiro. Doutorado. Professor universitário. Respeitado profissional e académicamente. Trabalhador e com uma imagem de integridade. Não filiado em nenhum partido.
Quando chega à política activa em 2001, com 45 anos, como nº 2 da Câmara de Lisboa, não é o que se possa chamar um "político profissional" e parece reunir todas as condições para ser um bom governante seja a nível autárquico seja a nível nacional.
Em 2003 é ministro das Obras Públicas ( 15 meses ) no XV Governo Constitucional. Regressa à CML quando Santana Lopes é 1º ministro. Em 2005 é eleito presidente da Câmara.
6 anos bastaram para provar que todo aqule currículo não é condição suficiente para se ser um bom político !

Ivo Almeida

30/04/2007

Trip Around Braga

As personagens da cena

Bruno – Grande senhor do álcool, com umas máximas (acerca de mim) que eu adorei. Sabedoria alquimista, e o estádio do BRAGA é horrível! Esta criatura ensinou-me como uma quinta-feira pode ser MUITO poderosa. Em fotos há quem diga que os nossos olhos falavam por sí!! Enfim! LOL

Liliana – A menina da voz, que mesmo quando era para falar mais baixo, não foi suficiente. (Ohhhhhhhhhh…) Então, vá venham as cadeiras (estiquei-me!! =x) (Agora mais fofinho... assim...tipo... Xôm xôm xôm.. fofinhuuu..) Lili... depois não tes esqueças DA ****** DAS FOTOS PAHHHHHHHH!!!!! e tal... ai ai iuuupppyyy iupppy heiiii!!

Ana – A menina que tomava banho comigo!! Vergonha? Não há nem pode haver! Foi positivo,, porque aguentei 4 dias sem lhe dizer "Ana emprestas-me uma caneta?" =x

Gonçalo – A criatura curandeira do grupo, menino das mil caretas, mas que não se alterou nem com malaguetas. Houve uma noite… tenho de falar contigo ..lol mas para já, acho que devias beber água!

Andreia – Grande maluca, diz que não viu que não viu, mas a partir daquele dia, andava com outro sorriso na cara.. lol Sobreviveu, á minha tentativa de a afogar, em plena disco, mas ainda não desisti!

João – O homem das promessas do snoker, bilhar.. lol “Não acerto esta vou-me embora!!” Mas não te zangues, já sei!! Chama-se Bilhar Americano!!

Jorge – O homem que a pouca pigmentação na pela, lhe deu o dom de voar. Com Jorge e malaguetas por perto, ninguém está a salvo. We love your black hair!

Panda – O homem, que escolhe quando adormecer, da mesma maneira que apago a luz do meu quarto. Se alguém o estiver a chatear… Off! Vai dormir com T-shirts que dizem "Why i Can´t wear shorts" e depois, passa a vida aos miminhus no Jorge e com um pau grande na mão a tentar meter a bola preta! =X lol

Cláudia – Menina, que depois dos patinhos, adormecia. Nada a falar, pois eu só acordava depois dos patinhos!! (Né Brunooo?)

Personagens Especiais


Daniela – Suas aparições em forma de anjo, fizeram milagres. Com pipocas mistura e com o calor de lançamento de moedas. Merd* para o volvo! XD LOOL

Senhor castanho – Personagem por alguns muito visionada, mas que fugia da Ana, como o diabo da cruz.

Ivo – Moscas?? Moscas?? Sôôô Sôôôôôôôô Sôôôôôôô…pffff Adoro.. Adorar-vos!! ** [][] =)

Desde já as minhas desculpas pela grande ausência de postagens, mas uma viagem a Braga falou mais alto, e então foi onde estive, nos últimos 4 dias.
A começar pelo encontro com o pessoal na estação do Pragal, bem junto ao Pingo Doce, a viagem de ida correu bem, e até foi giro, pois o João já queria deixar a bagagem no Pragal (já estava a pesar).
Lá dissemos que talvez fosse melhor levá-la, e com uns miminhos ele voltou atrás e pegou na mala. Entre o sono e a estupidez, lá toquei, como não podia deixar de ser, na altura mais que nunca, o grande êxito musical “A serra do Pilar” Parei de tocar a tempo de me desviar dos arremessos de latas de Coca-Cola e ice-tea’s de pêssego.
Chegamos ao porto, e foi uma alegria tal, que por segundos perdíamos o autocarro, caso não fosse o Panda a olhar e dizer um palavrão. Corri muito para o autocarro, mas em vão, o Luís continuava e não aparecer..
Chegamos a Braga e logo a minha alma viu aquilo que esperava á 5 horas, alguém com Sotack do norte. Achei fofo e quase chorei.
Chegamos a pousada, voltei a colocar a omoplata no lugar e deitei-me no beliche de cima.
Assustador, até, pois a meu lado estava um Urso Polar e um Panda. É obvio que pensei logo, que durante a noite o acasalamento iria ser complicado comigo ali no meio.
Então, para desanuviar fui jantar ao McDolnalds, e fazer a digestão no parque com baloiços, onde até ajudei o Gonçalo a partir o Cóccix.
Nessa noite, reparamos que o pão em Braga era dono de um preço enorme e decidimos fazer uma manifestação, em plena baixa Bracarense. Foi chamada a polícia local e tudo, mas tudo acabou em bem, porque o Gonçalo achou o senhor policia um pão, e a preço bem baixo.
Saímos do local a falar sobre o Livro de S.Sepriano e do Luís.
Jurei a mim mesmo, que me sinto um panasca tipo o Panda, quando me confrontam com assuntos, como o Luís.
Mas tarde viemos a saber que o Jorge, era dono de uma fábrica de malaguetas estragadas, que apenas causam danos nos olhos.
Decidimos ir para a pousada tentar dormir.
Só esta frase já por si é gira, mas ainda assim fomos mesmo para a pousada tentar dormir.
De noite o Panda chorava que queria miminhos do Jorge, e então eu dava-lhe com umas quantas almofadas para cima, assim a nível profissional, para tentar fazer dele um homem.
A meio da noite, uma pressão imensa, tomou conta do meu peito e o susto foi maior que muito, pois por segundos, pareceu-me ver o Luís, liguei o telemóvel, mas descansei porque era só a Cláudia com sono.
Criaturas extremamente parecidas, e donas de umas bochechas aterradoras.
Ainda assim, aguentei.
Dia seguinte acordou o Jorge a chorar e a dizer que o pessoal fazia barulho com pouca organização.
Ao que me lembro “Nem um diagrama de entidades relação? Vou dormir para outra pousada!”
O pessoal, achou que seria um golpe rude no coração do Panda, e até pusemos Cremezinho no pescoço do Jorge. Ele lá ficou.
Dirigimo-nos para a faculdade, e fomos bem recebidos com uma seca belíssima, só para tentarmos apanhar aquele sotack magnifico. Quase resultou!
Já dentro da faculdade, ouvimos uma explicação completa sobre servidores e computadores, ao que o João depois da grande explicação do homem, diz “essa caixa preta” … Aí sim, o homem afinou, e disse.. “É um servidor” ..
De seguida ouvimos o Hugh Laurie a falar e também um home… Uma pessoa que o Panda piscava o olho constantemente, ainda não entendo o porquê.
O Jorge começou a ficar ciumento com a história do Panda e do ..da pessoa, e ameaçou dormir noutra pousada de novo. O grupo mais uma vez, achou mal, e foi quase todo a pé, a fim de deixar o Jorge o Panda e o João, um pouco mais á vontade no autocarro, para resolverem o problema das partilhas.
Quando nos encontramos já estavam melhor, os dois a brincavam com bolas e com o Pau. (Snoker, a que o João quase me agrediu a dizer “È BILHAR AMERICANO PAH” ) (Esse também anda a abusar, vale-se de ser grande, e mete-se comigo, senão… )

… Continua …

20/04/2007

Evolução

Desde novo, fui pensando na vida. Por consequência da idade, das brincadeiras propícias aquela faixa etária, obviamente as opiniões formadas hoje, não coecidem com as ideias criadas na altura. Com o passar do tempo fui ganhando gosto pela arte de bem argumentar, pela magia de deixar os terceiros a pensar, e tornei a filosofia a minha religião. Andei por todos os lados com olhares diferentes dos que tinha, olhei para todas as luas, tomei-as nos olhos, e eram apenas uma lua, vi o mesmo filme duas vezes, e tinham duas histórias diferentes. A isto chamei-lhe mudança, crescimento. As pessoas que fui conhecendo pela vida, sempre me intitularam de perspicaz; mas ainda assim, usando todas essas minhas virtudes, acabo por chegar á conclusão de que não tenho mesmo ideia de qual será o próximo passo; o que será a sociedade amanhã? Ao mesmo tempo que nos provam como estamos evoluídos, por outro lado reparo em massacres em Virgínia, Extremas-direitas a causa revoluções e xenofobismos, e a aclamarem Hitler como um Deus. Pior ainda que todas estas demonstrações de que o ser humano age para não estar quieto, e não quando necessita, é este grande ciclo histórico que todos nós estudamos enquanto petizes, e a questão fica…
“Como estará o carteiro amanhã?”


Ivo Almeida

17/04/2007

Madeira??.. FREE COUNTRY!

Pois, inevitavelmente haverá sempre o olhar hostil por parte dos amantes de futebol Ingleses, sobre os portugueses. Nós temos o Cristiano Ronaldo, mas eles têm o Ronney. As vitórias sobre os ingleses, no campeonato de Europa e Mundo, já fazem os pesadelos dos mais que muitos que rezam todos os dias pela selecção. O que é certo, é que apesar de toda esta ânsia de superioridade, toda esta gana de vencer Portugueses, não puderam deixar de dar o braço a torcer, e elegeram mesmo o nosso Cristiano Ronaldo, para receber o prémio de melhor jogador da liga inglesa. Ainda assim, a imprensa inglesa, não admitiu tudo por inteiro e chegou mesmo a publicar algo do tipo "Com os índices de velocidade, potência e técnica, Cristiano Ronaldo só pode mesmo ter vindo de outro planeta". Será esse outro planeta de nome Portugal?... Ou será esta uma forma de prestaram admiração por um jogador que a nada querem que este faça parte dos "portugueses" ? Desconfio que Alberto João Jardim, terá mais apoiantes, pois não vai tardar muito, para a imprensa inglesa dizer " We think Madeira should be a autonomous country" ... 'BoraJoãozinho, cada vez estás mais perto, e desta vez contas com o apoio de uma Enorme potência a nível mundial...

Ivo Almeida

16/04/2007

Alfabeto aeroviário


A = Alfa B = Beta C = Charlie D = Delta E = Eco F = Fox G = Golf H = Hotel I = India J = Juliet K = Kilo L = Lima M = Mike N = November O = Oscar P = Papa Q = Quebec R = Romeu S = Sierra T = Tango U = Uniform V = Victor W = Whisky X = Xadrez Y = Yanke Z = Zulu

Segundo os alertas lançados, sobre a gripe das aves, questiono o porquê desta tão grande preocupação, se no fundo até descobrimos a linguagem que estas simpáticas aves se comunicam.
Afinal a linguagem Aeroviária, não é assim tão complicada.

Ivo Almeida

15/04/2007

Comment da semana

Não sei se já se aperceberam, mas o blog tem um novo aspecto. Desde noticias a Chat, mesmo ao irritante jogo do SUDOKU, aqui se encontra tudo. Também em tom de inovar, devo informar os demais, que a partir de hoje, domingo, será publicado (em barra lateral) o comentário eleito como "O comentário do Mês". Bem, não é por nada, mas comecemos com as inspirações cibernautas, aqui para o amigo bloguista. Beijos, abraços e um queijo.



Ivo Almeida

03/04/2007

Esta é que é a verdade!


Uma coisa que me intriga são as canções que são ensinadas à canalhada nos infantários. Isso sim é a causa da delinquência juvenil, assim como os rebeldes da Morangada que ensinam a violar moçoilas. Ora analizemos a letra do clássico "Atirei o pau ao gato":
Atirei o pau ao gato.. ---> O que é isto?! Atirar um pau a um bicho coitado? Até parece que mandar paus aos animais é uma coisa banal que se faz todos os dias. Parece que nao mas as criancinhas são muito influenciaveis..
..mas o gato nao morreu. ---> Então a intenção inda era matar o bicho? Esta parte está carregada de violência extrema. Isto sim é violencia doméstica porque é violencia num animal doméstico.
O resto da letra parece nao ter nada de assinalável.. Parece! Porque se metermos o resto da música a tocar de trás para a frente ouve-se uma mensagem satanica que é tao grave que nem posso po-la aqui.
Agora analizemos a letra da música "Indo eu":
Indo eu, indo eu ,a caminho de Viseu.. ---> Para já esta parte exerce uma grande influência nas fugas dos jovens de suas casas. Segundo um estudo que a Universidade da California fez, 80% dos jovens que fugiram de casa foi devido a esta música.
Encontrei o meu amor.. ---> Nesta parte nota-se bem que foi um encontro marcado atraves de um chat por duas pessoas que nem se conheciam, porque para conhecer alguem de Viseu bonito é dificil.
..ai Jesus que lá vou eu ---> Lá vou "eu" aonde?? O que é isto? Já vamos ver a seguir!
Ora zuz, truz, truz,
ora zás, traz, traz,
ora chega, chega, chega,
ora arreda lá p'ra trás.
---> Aqui está mais que evidente "aonde" é que "ele" ia. Sem comentários.

Eu até podia perder tempo a falar do Jardim da Celeste mas acho que já perceberam a ideia..

Ivo Almeida

Situações que nos ultrapassam, mesmo!!! ... RIP .

O Sr. Manuel esteve no SO, do Hospital, antes de ser internado no serviço. Conheci-o ainda no SO. Ele estava no Hospital por uma pneumonia, mas tinha bastantes doenças de base. Uma delas era a Doença de Alzheimer. E foi essa que me surpreendeu.
Quando o cumprimentei, com um sonoro "Bom dia!!", arranquei-o ao sono superficial em que se encontrava. Surpreendido, esboçou um enorme sorriso, fingindo claramente um reconhecimento da minha pessoa. Acenou-me com a cabeça, dizendo muitas palavras (seriam?) ininteligíveis que soavam ao cumprimento que se dá a um velho amigo. Sorri de volta, ao que ele apontou para o braço direito, paralisado por um antigo AVC, dizendo "Já viste? O coiso... o... coiso!", e abanava a cabeça com uma expressão de aborrecimento por aquilo lhe ter acontecido. Perguntei-lhe então o nome, e a resposta que obtive foi um pequeno momento de introspecção, seguido de "coiso, ai... é... ai... coiso! Espera, ai...". Tentava repetidamente dizer o próprio nome, mas não conseguia de facto dize-lo... Nesse instante fui chamado ao exterior da sala, pelo que saí e voltei a entrar passados dois minutos. Ao ver-me entrar chamou-me de longe, parecia ter algo importante para me dizer, aflito para não perder as palavras. Agarrou-me então na mão, e disse cuidadosamente "Manuel... ai! Pe... Pereira Silva!". Abriu então um rasgadíssimo e francamente orgulhoso sorriso, ao que foi impossível responder-lhe de outra forma senão com outro sorriso e um "muito bem, Sr. Manuel, é isso mesmo!".
Já no serviço voltei a observa-lo em dois dias consecutivos. Em ambos me cumprimentou efusivamente, como da primeira vez, nitidamente fingindo o reconhecimento de que não era capaz. Eu não voltei a repetir a pergunta. Limitei-me a cumprimenta-lo de volta como a um velho amigo, o que o parecia deixar satisfeito por não ter deixado de se alegrar pela presença de uma recordação que tinha há muito perdido...

Ivo Almeida

02/04/2007

Retratos de vida

Desistis-te, mesmo a tempo. Tens medo, quem disse que eu também não o tenho? …Chamaste-me criança, mas tu é que abdicas-te tudo, inclusive de mim. Onde esta afinal esse sentimento platónico?..

Tu não sabes, quanto tempo vais poder, dizer “esta sou eu” gritar que o chão é teu..
Tu não sabes…
Que o céu chama por ti, quando a noite te sorri, quando as pétalas, se abrem só por si..
Tu não sabes…
Quando tempo irás pedir, quando o sangue te fugir, quando o punho se fechar, sobre ti..
Tu não sabes…
Que o sonho não morreu, quando um qualquer beijo se perdeu, que a manhã, acabou sobre nós…
Tu não sabes...
Que palavras vais usar, quando o sono não vier, quando a noite te disser, “onde está ele?..” ...
Que loucura irás dizer, quando que te “apertar”, te pedir para ficares, só mais um dia..
Tu não sabes…
Quantos rios se vão deter, quantos olhos vão beber, nas palavras que colas-te…
Tu não sabes…
Que os TEUS MEDOS SÃO JÁ MEUS…e vão fechar nos teus, quando os barcos se despede, na maré…
Tu não sabes…

(Retratos de vida)

Ivo Almeida

Prazos Validade. P.B

Porque será que aqueles productos que nós gostamos muito, têm na embalagem o prazo de validade. Será que eles acham que vamos demorar mais do que um dia (no máximo) a acabar com uma caixa de chocolates? Ou uma caixa de bolachas? Chato é, quando vamos buscar a caixa e alguém já comeu o que restava!!!
As caixas dos nossos productos favoritos deviam ter na gravado:
"Consumir de preferencia antes do fim da embalágem..."
Mais, nada!!!

Ivo Almeida

Saudades, por demais..

São experiências de vida, que falam de nós, e se encaixam de uma forma metafisica, inexplicavél.. E uma vez, ele... alguém.. ele..

Saiu pela noite, pelas ruas do Porto, procurando, os seus olhos, num copo já morto,
Perdeu-se na vida, encontrou-a na foz, entre a má e a avenida, há tanta gente a sós.
E eu e tu, somos iguais..
Esconderam palavras por de traz das palavras, disseram amor sem se perceber…
Dançaram na estrada no asfalto dos loucos, entre o céu e o nada, foram morrendo aos poucos.
E pedia-se um beijo, uma mão que os agarre, parados no tempo, para que o tempo não pare.
E quando perceberam eu a noite era só deles, mataram desejos, enrolaram beijos, colados ao corpo, perdidos no chão; então os dois foram um, e o tempo nenhum, para o que tinham para se dar, põe o teu corpo no meu, deixa a noite acabar…
Então de um fez-se dois, e o tempo depois, foi tão pouco para viver… Põe o teu corpo no meu, deixa o meu amanhecer…
Enrolou um cigarro que fumaram a dois, revivendo o prazer, que viria depois… Beberam olhares, em lugares de veneno, mas nas paredes de um quarto, o mundo é tão pequeno.
Partiram no carro a voar na cidade, despistando as luzes, encantando a vontade, deram-se as mãos os corpos também, a duzentos á hora, não os vai vencer ninguém.
E pararam o mundo, numa rua qualquer, um abraço sereno, sem ninguém perceber…



Ivo Almeida

01/04/2007

Em conversa de msn...

10th grade

As I sat there in English class, I stared at the girl next to me. She was my so called "best friend". I stared at her long, silky hair, and wished she was mine. But she didn't notice me like that, and I knew it. After class, she walked up to me and asked me for the notes she had missed the day before and handed them to her. She said "thanks" and gave me a kiss on the cheek. I wanted to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

11th grade
The phone rang. On the other end, it was her. She was in tears, mumbling on and on about how her love had broke her heart. She asked me to come over because she didn't want to be alone, so I did. As I sat next to her on the sofa, I stared at her soft eyes, wishing she was mine. After 2 hours, one Drew Barrymore movie, and three bags of chips, she decided to go to sleep. She looked at me, said "thanks" and gave me a kiss on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

Senior year
The day before prom she walked to my locker. My date is sick" she said; he's not going to go well, I didn't have a date, and in 7th grade, we made a promise that if neither of us had dates, we would go together just as "best friends". So we did. Prom night, after everything was over, I was standing at her front door step. I stared at her as she smiled at me and stared at me with her crystal eyes. I want her to be mine, but she isn't think of me like that, and I know it. Then she said "I had the best time, thanks!" and gave me a kiss on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

Graduation Day
A day passed, then a week, then a month. Before I could blink, it was graduation day. I watched as her perfect body floated like an angel up on stage to get her diploma. I wanted her to be mine, but she didn't notice me like that, and I knew it. Before everyone went home, she came to me in her smock and hat, and cried as I hugged her. Then she lifted her head from my shoulder and said, "you're my best friend, thanks" and gave me a kiss on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

A Few Years Later
Now I sit in the pews of the church. That girl is getting married now. I watched her say "I do" and drive off to her new life, married to another man. I wanted her to be mine, but she didn't see me like that, and I knew it. But before she drove away, she came to me and said "you came!". She said "thanks" and kissed me on the cheek. I want to tell her, I want her to know that I don't want to be just friends, I love her but I'm just too shy, and I don't know why.

Funeral
Years passed, I looked down at the coffin of a girl who used to be my "best friend". At the service, they read a diary entry she had wrote in her high school years. This is what it read: I stare at him wishing he was mine, but he doesn't notice me like that, and I know it. I want to tell him, I want him to know that I don't want to be just friends, I love him but I'm just too shy, and I don't know why. I wish he would tell me he loved me! `I wish I did too...` I thought to my self, and I cried


Todos nós sabemos o que temos de fazer... mas só os inteligentes o fazem..
Como os invejo..



Ivo Almeida

30/03/2007

Se um dia...

Quando, me estiveres a contar algo, que a minha primeira resposta seja "tens razão" ... então muito mal penso eu de ti.


Ivo Almeida

28/03/2007

Assim se passava o tempo ás 3 e meia da manhã!

Bem, meus amigos, hoje tirei o dia, para realizar uns pequenitos exames de sociedade. Fartei-me de mandar sms's (para 91 Exclusivamente, porque é á borlix) com, e simplesmente a palavra "AMPOLA". Não entendi muito bem, o que me deu, mas enfim, eu sou mesmo assim não é? Começei a receber as ripostações, das cubaiazinhas, e devo salientar que a príncipal, e mais comum resposta que obtive foi algo do género : "Oi tudo bem? Ampola? lol"
Ora qui está!! Primeiro, disse-me "oi tudo bem" o que mostra que é educadinha, sim, revela que eu, Ivo Filipe Almeida, por muito doido que seja, simplesmente me dou a conhecer com pessoas de extrema simpatia e educação. Aí acho que mostra logo a estrípe que eu sou pah.. Depois, também é notório, o ponto de interrogação.. ou seja, a pequenina, esperava por resposta, do "je". O que mostra agora ao leitor super cibernáuta e do meu blog consumista, que o Ivo é uma pessoa agradavél, de quem todos os contactos esperam por resposta, e nunca um estrovo!!! Atenção!! É notório!!
Também acho por bem salientar, a confiança que os meus amigos fazem em mim, pois assim na loucura e quase a saltar de cabeça, não se intímidou, ou recuou, em dizer de novo a palavra "AMPOLA". É uma verdadeira prova de confiança, pois atira-se para uma aventura desconhecida, simplesmente porque o Ivo, proferiu tal palavra... logo se ele disse, eu vou acreditar nele.. e pumbas! AMPOLA! (viram mais uma vez? ahahah)
E por fim, para acabar com a análise, é completamente visível, o espanto e ao mesmo tempo o toque de gragalhada, por parte da cubaia. "Lol" (Viram?).. Ou seja, qualquer um sabe que apesar de não saber o que quer dizer AMPOLA (héhé mais uma vez curtiram?..) Riu-se, pois pensou que teria muita piada, apenas porque.. sim!
É certo e sabido para mim, como já um bloguista esperimentado, e mais.. um telecomunicador telefónico via sms's fanático, foi fácílimo, para mim decifrar o que vos acabo de contar e ainda muito mais! Notei logo que pela forma como a mensagem soou, no meu telemovel( Aquele som inequívoco, que é o assobiar de um rapaz, possuidor de uma visão extra planetária de uma menina, e achou portanto, por bem, fazer-se ouvir!), logo aí ouvi, e pensei.. "bem.. esta... quer é coisas.." ISto é o quê? Quando eu digo que quer é coisas, ela é uma marota, porque para os leitores mais experiêntes nas sms's, claramente isto é para voçês; e sei que também repararam que ela está caidínha por mim, tinha vontade de trocar o "AMPOLA" por "QUERO TER FILHOS TEUS IVO!", mas não o fez, por respeito á nova experiência, por mim iníciada! Fiquei logo surpreendido, com a sms recebida, por notei imediatamente que no fundo da coisa, aquela vontade de me despir e fazer amor louco comigo, estava presente naquelas letras.. eu ví..
Em suma, bem, nunca por nunca mais quero ouvir dizer "Para bom entendedor meia palavra basta!" NUNCA! (Até já estou fulo comigo mesmo, só porque o repeti ainda agora!) .. porque assim do nada, estamos todos a fazer figuras de parvo, tipo o que eu tenho estado a fazer até agora!
Saudações camaradas cibernautas e consumistas de Ivo Almeida Blog!!

Se soubessem...

Sempre disse e repito a todo o mundo, que deve ter como objectivo a felicidade. Sempre incentivei á mudança, á busca do melhor, arriscar é uma virtude.
Se sempre o disse, e nunca o fiz. Nunca acho que o meu caso é igual, nunca penso que o meu caso é o ideal para arriscar. É sempre diferente.
Uma mentira, é simplesmente igual a tantos outros, simplesmente não tive coragem para o fazer, tive medo do outro lado, medo da reacção... "como será que vou ser visto?"..."O que irá pensar de mim?"...
diagnostiquei por completo este meu problema, esta minha estupidez, mas no entanto, nunca resolvi mudar...
Nunca resolvi abrir-me e explicar-te tudo...
Quem me dera ser capaz de te mostrar...
Mesmo que não seja nada de sério..
há qualquer coisa que te devia dizer...
Quem sabe um dia...


Ivo Almeida

22/03/2007

Why the people.... ?...

1. Sing the Batman theme incessantly.
2. In the memo field of all your checks, write "for sensual massage."
3. Specify that your drive-through order is "to go."
4. Learn Morse code, and have conversations with friends in public consisting entirely of "Beeeep Bip Bip Beeep Bip..."
5. If you have a glass eye, tap on it occasionally with your pen while talking to others.
6. Amuse yourself for endless hours by hooking a camcorder to your TV and then pointing it at the screen.
7. Speak only in a "robot" voice.
8. Push all the flat Lego pieces together tightly.
9. Start each meal by conspicuously licking all your food, and announce that this is so no one will "swipe your grub".
10. Leave the copy machine set to reduce 200%, extra dark, 17 inch paper, 98 copies.
11. Stomp on little plastic ketchup packets.
12. Sniffle incessantly.
13. Leave your turn signal on for fifty miles.
14. Name your dog "Dog." 15. Insist on keeping your car windshield wipers running in all weather conditions "to keep them tuned up."
16. Reply to everything someone says with "that's what YOU think."
17. Claim that you must always wear a bicycle helmet as part of your "astronaut training."
18. Declare your apartment an independent nation, and sue your neighbors upstairs for "violating your airspace".
19. Forget the punchline to a long joke, but assure the listener it was a "real hoot."
20. Follow a few paces behind someone, spraying everything they touch with Lysol.
21. Practice making fax and modem noises.
22. Highlight irrelevant information in scientific papers and "cc:" them to your boss.
23. Make beeping noises when a large person backs up.
24. Invent nonsense computer jargon in conversations, and see if people play along to avoid the appearance of ignorance.
25. Erect an elaborate network of ropes in your backyard, and tell the neighbors you are a "spider person."
26. Finish all your sentences with the words "in accordance with the prophesy."
27. Wear a special hip holster for your remote control.
28. Do not add any inflection to the end of your sentences, producing awkward silences with the impression that you'll be saying more any moment.
29. Signal that a conversation is over by clamping your hands over your ears.
30. Disassemble your pen and "accidentally" flip the ink cartridge across the room.
31. Give a play-by-play account of a persons every action in a nasal Howard Cosell voice.
32. Holler random numbers while someone is counting.
33. Adjust the tint on your TV so that all the people are green, and insist to others that you "like it that way."
34. Drum on every available surface.
35. Staple papers in the middle of the page.
36. Ask 1-800 operators for dates.
37. Produce a rental video consisting entirely of dire FBI copyright warnings.
38. Sew anti-theft detector strips
into peoples backpacks.
39. Hide dairy products in inaccessible places.
40. Write the surprise ending to a novel on its first page.
41. Set alarms for random times.
42. Order a side of pork rinds with your filet mignon.
43. Instead of Gallo, serve Night Train next Thanksgiving.
44. Publicly investigate just how slowly you can make a "croaking" noise.
45. Honk and wave to strangers.
46. Dress only in clothes colored Hunters Orange.
47. Change channels five minutes before the end of every show.
48. Tape pieces of "Sweating to the Oldies" over climactic parts of rental movies.
49. Wear your pants backwards.
50. Decline to be seated at a restaurant, and simply eat their complimentary mints by the cash register.
51. Begin all your sentences with "ooh la la!"
52. ONLY TYPE IN UPPERCASE.
53. only type in lowercase.
54. dont use any punctuation either
55. Buy a large quantity of orange traffic cones and reroute whole streets.
56. Pay for your dinner with pennies.
57. Tie jingle bells to all your clothes.
58. Repeat everything someone says, as a question.
59. Write "X - BURIED TREASURE" in random spots on all of someone's roadmaps.
60. Inform everyone you meet of your personal Kennedy assassination/UFO/ O.J Simpson conspiracy theories.
61. Repeat the following conversation a dozen times: "Do you hear that?" "What?" "Never mind, its gone now."
62. Light road flares on a birthday cake.
63. Wander around a restaurant, asking other diners for their parsley.
64. Leave tips in Bolivian currency.
65. Demand that everyone address you as "Conquistador."
66. At the laundromat, use one dryer for each of your socks.
67. When Christmas caroling, sing "Jingle Bells, Batman smells" until physically restrained.
68. Wear a cape that says "Magnificent One."
69. As much as possible, skip rather than walk.
70. Stand over someone's shoulder, mumbling, as they read.
71. Pretend your computer's mouse is a CB radio, and talk to it.
72. Try playing the William Tell Overture by tapping on the bottom of your chin. When nearly done, announce "no, wait, I messed it up," and repeat.
73. Drive half a block.
74. Inform others that they exist only in your imagination.
75. Ask people what gender they are.
76. Lick the filling out of all the Oreos, and place the cookie parts back.
77. Cultivate a Norwegian accent. If Norwegian, affect a Southern drawl.
78. Routinely handcuff yourself to furniture, informing the curious that you don't want to fall off "in case the big one comes".
79. Deliberately hum songs that will remain lodged in co-workers brains, such as "Feliz Navidad", the Archies "Sugar" or the Mr. Rogers theme song.
80. While making presentations, occasionally bob your head. like a parakeet.
81. Lie obviously about trivial things such as the time of day.
82. Leave your Christmas lights up and lit until September.
83. Change your name to "AaJohn Aaaaasmith" for the great glory of being first in the phone book. Claim it's a Hawaiian name, and demand that people pronounce each "a."
84. Sit in your front yard pointing a hair dryer at passing cars to see if they slow down.
85. Chew on pens that you've borrowed.
86. Wear a LOT of cologne.
87. Listen to 33rpm records at 45rpm speed, and claim the faster speed is necessary because of your "superior mental processing."
88. Sing along at the opera.
89. Mow your lawn with scissors.
90. At a golf tournament, chant "swing-batabatabata-suhWING-batter!"
91. Ask the waitress for an extra seat for your "imaginary friend."
92. Go to a poetry recital and ask why each poem doesn't rhyme.
93. Ask your co-workers mysterious questions, and then scribble their answers in a notebook. Mutter something
about "psychological profiles."
94. Stare at static on the TV and claim you can see a "magic picture."
95. Select the same song on the jukebox fifty times.
96. Never make eye contact.
97. Never break eye contact.
98. Construct elaborate "crop circles" in your front lawn.
99. Construct your own pretend "tricorder," and "scan" people with it, announcing the results.
100. Make appointments for the 31st of September.
101. Invite lots of people to other people's parties.

Ivo Almeida

21/03/2007

Romeu&Julieta

A peça estreou-se e o eco foi óptimo. O público esgotou a sala de maneira a que os actores não tinham espaço para sair de palco. Os calorosos aplausos, não passaram indiferentes nem ao mais profissional dos actores. Mas por agora… Faltam trinta minutos para começar a peça, a sala está a abarrotar, os actores desesperam, não só com os nervos mas também com o calor que o publico emana. Foram trinta minutos rápidos, com leves vistas de olhos pelos guiões, e estávamos prontos. No camarim, vivia a maior desarrumação do planeta, mas ainda assim foi deveras divertido. Peça acabou e foi um êxito, muitas e muitas foram as pessoas que vieram falar com os actores, com intuito de nos dar os parabéns. Peça vai estar em exibição, n prova inter-escolas de teatro, em Almada, e desta vez é a valer. No quem e toca, espero realmente aquele salão cheio e caloroso, de forma a que nós actores possamos gradar a vocês público, e será uma grande noite! Para já, fica aqui um cheirinho do que foi a estreia da grande peça “Romeu & Julieta
(Porque quando Romeu e a Julieta se encontram, algo especial surge)

( E depois de se olharem, não sabem ficar quietos)


( Romeu e Julieta, e esta parte que tantas gargalhadas nos deu!)


(Que ar tão sérioooo)

(É aquele! É aquele o olhar fuzilador! lol)

(Porque morreu o melhor amigo de Romeu)

(Calma Mafalda, a peça vai corre bem! Ou então não! pronto!)

(Julieta morreu... é com saudade que nos despedimos lol)

(E morrem os dois... ai que lindo!!! LOL )


Agora os Actores :

1º Actor : Diogo Laborde, o grande homem da viola, portou-se muito bem e todos nós adoramos vê-lo de fatinho, até porque não é todos os dias!

2º Actor : Diogo Fernando, Foi um dia muito complicado para ele, os problemas familiares por vezes pregam-nos partidas, mas ainda assim um grande desempenho, e um muito obrigado pelo esforço último.

Criado : A encarnar mais que uma personagem, melhorou mesmo muito, ao longo dos ensaios, e proporcionou muitos risos e boa disposição. A sua pose, de mau da fita jamais será esquecida!

Romeu: O pior de todos as actores, esforça-se, mas as suas limitações estão sempre a leva-lo a cair na real. Quando parece que vai bem, lá aparece a válvula e pronto.

Mercurio: Grande actor se revelou, desde observador de peças passadas, até hoje, a brindar-nos com a história da rainha Mab que jamais será esquecida (pelo menos pelo Romeu), e a grande capacidade de quebrar punhais com os abdominais.. O grande Paulo além da grande representação que exibe, tem um gosto muito especial por argumentar (e bem) assuntos diversos. Sem dúvida uma das pessoas que não me importo de me sentar a uma mesa e "discutir" mil e um assuntos durante várias horas (Isto se houver comer saudável.. é que eu tenho uma válvula..). Grande companheiro e amizade sempre demonstrada.

Ama: Com muito jeito para as cenas que realizou, nunca vou esquecer o super riso, que nos faz ouvir em todos os ensaios e peças. "E a patétinha começou a rir e disse assim.."

Julieta: Energia em pessoa, era difícil acompanha-la... ainda assim foi comigo ao altar umas quantas vezes. Os olhos azuis inquietantes, e os ambiente que tem um cheiro esquisito, marcaram as aparições do casal maravilha.

Lady Capuleto: A menina que se mostrou sempre disposta a aprender, e que em discurso com Romeu, esperamos que a peça tivesse muita "munhanhã" para que esta pudesse correr bem!

Boticário: A mais novinha de todas as personagens, não conseguio fazer um ensaio correcto, mas na peça surpreendeu-nos com uma excelente representação.

(Todas as outras personagens, desdobradas, não foram frisadas)

Ivo Almeida