30/10/2006

Acabou a Ditadura!

Revolucionário
"Yo, Valete, o people está a preparar um K.O.
definitivo a América.
Vai haver uma concentração clandestina no México, em
Guadalajara...e queremos saber se vais ou não?"
Valete
Eu sou Valete, bro, e sempre quis ser regicida
Sacrificar a vida pela maioria oprimida
Sem contrapartida, pela revolução sou suicida
Reserva um bilhete de ida para mim, ‘tou de partida
E vou com anti-americanismo que Mao Tse Tung
propagandeara
Com a filantropia com que Platão revolucionara,
outrora
Com aquele Marxismo que Trotsky impulsionara
Estou farto da senzala, chao, só me galas em
Guadalajara
A minha aversão ao imperialismo não sara
Não quero fama, nem glória, dá-me só uma T-shirt de
Che Guevara
Põe-me num 7.4.7, México aqui vou
Viajo lembrando de como a segunda torre se desmoronou
Depois de 15 horas de voo, meu boeing aterrou
Já fora do aeroporto, houve um bro que me identificou

"irmão Valete, eu vim-te buscar para a concentração
Entra no carro só faltas tu para começar a acção"

Chegámos ao ponto rapidamente, assim clandestinamente
Provavelmente eu nunca vira pela frente tanta gente
Era uma cidade subterrânea cheia de dissidentes
Só resistentes e combatentes naquele contingente
Eu vi Sardar, Saramago, Mia Couto e Chomsky
Também vi os mentores do atentado de Nairobi
Nipónicos pa' vingar Hiroshima e Nagasaki
Fidel Castro, Arafat, Chavez e Khadafi
Activistas do Hamas, Jihad e Hezbollah
Zapatistas, Talibãs e bombistas da Fatah
Todos diferentes mas com um objectivo em comum:
Acabar com esta ditadura que a América implantou
A sede de vingança deixava todo o exército operante
Deram o sinal pa' nos reunirmos numa sala gigante
Em cima do palanque ‘tava um fulano que elaborava o
plano
Com style de saudita ou iraquiano, só queria saber
quem é esse mano
Deixava toda a gente focada enquanto ele liderava

(Outro Revolucionário) "Yo Valete é o Bin Laden"
(Valete) "Bin Laden"

Bin Laden
Voz alterada sem barba e com cara totalmente
modificada
Eu não o curtia mas ele era o que a América merecia
Radical sem diplomacia, assim como se exigia
Formulou o plano perfeito pá' revolução que se
pretendia
Tínhamos túneis subterrâneos até à cidade de
Alexandria
Hackers bloqueavam a informação da NSA e da CIA
Tínhamos M1's, F 16's e muita artilharia, eu ria.

Informador
"Informação, informação.
As bases militares americanas em todo o mundo, já
estão controladas pelas FARC
Al Qaeda e milhões de civis revoltosos.
O ataque aéreo ao pentágono está previsto para as 3h e
36 m.
Os ataques bombistas serão às 3h e 42 m
A invasão à Casa Branca ficará para 4h e 28m
Já sabem o que têm a fazer!"

Era um batalhão de insubmissos pa' acabar com aquela
arrogância
‘Tava incluído na missão Invasão à Casa Branca
Que seria reforçada pelo movimento black phanter
Garanto qu'América nunca vira tanta encrenca
Fomos pelo túnel a dentro e chegámos em meio-dia
Alexandria tinha como Washington, cidade vizinha
E quando lá cheguei era inenarrável o que eu vira
América já ardia, rendida à nossa investida
Ficaram na defensiva, deixámos tropas sem vida
Éramos só homicidas com ira, topa a chacina
Numa outra ofensiva, edifício da ONU caíra
Largámos bué da mísseis em New York, Carolina
Califórnia, Lusiana, Detroit e Virgínia
Geórgia, Indiana, Illianois, Pensilvânia e Kansas
Ás quatro e um quarto já ‘tava tudo controlado
Nossos soldados já tinham a Rádio a TV e o Pentágono
Passado mais um bocado, Fidel leu o comunicado
"Acabou a Ditadura" podes crer é o golpe de estado.
E à porta da Casa Branca fiquei com Bin Laden a sós
Disse-lhe sem hesitar um coche: Deixa-me cuidar o
George
Ele esboçou um sorriso e olhou-me fundo nos olhos
Sentiu segurança na minha voz e passou-me uma
Kalashnikov
Era só ódio destruitivo na minha cabeça
Kalash fui exibindo assim a dar paleta
Eu fui o homem escolhido pa' ditar a sentença
Olha o meu peito erguido pa' vingar o planeta
Entrei na Casa Branca assim cheio de moral
Nossos snipers iam abatendo a escolta presidencial, eu
andava
No piso inferior de corredor em corredor
Abria porta a porta à procura daquele estupor
Vi a porta dos fundos, senti um feeling interior
Abri...até que enfim Seu Ditador
Agora sente o pavor
Vais pagar pela tua merda e pela dos teus
antecessores
Isto é pelas vítimas das guerras que vocês fabricaram
Pelas bocas k morreram d fome pela falta d pão k vocês
negaram
Pelo terror que semearam alastraram e perpetuaram
Pelos homens e mulheres que as vossas bombas
mutilaram
Pelo suor dos trabalhadores que vocês escravizaram
Pela alma deste planeta que vocês danificaram!
(Tiros)

Morre filho da puta!!!
(Tiro faz eco)

Ivo Almeida

28/10/2006

Calinadas (parte 1)

“Dói-me o pé direito da perna esquerda.”
“Vamos organizar trios de quatro pessoas”
“Eu não consigo passar se não me deixarem passar...”
“Ontem à noite estudei o dia inteiro.”
“É mais ou menos a mesma coisa, mas não tem nada a ver...”
“Este pássaro tem tracção às quatro, neste caso às duas.”
“Não se vestia à militar mas sim à marinheiro.”
“... e casou-se com a sua mulher.”
“Quais são as diferenças entre estes vestidos? R.: São os dois feios!”
“... estão sempre juntos e sempre um ao pé do outro.”
”O Minho nasce no mar e desagua no mar.”
“A repórter está neste momento a entrevistar o morto...”
“Em Portugal é o Mário Soares, na Rússia é o Fidel Castro.”
“Aconteceu um acontecimento...”
“Se ela está ali não está aqui.”
“Achas que vais ter fraco ou nega?”
“Impossíveis podem não existir”
“É o início onde se começa!”
“Uma salva de aplausos!!!”
“Adverbial não leva E.”
“Sinónimo de vícios? R.: Desqualidades.”
“... pesava toneladas de quilos.”
“Dá trabalho para mangas.”
“Qual é a capital da Inglaterra? R.: Reino unido”
“Pegou num punhal e desatou aos tiros!”
“Isso aconteceu num campo de campismo.”
“... com altos e baixos relevos.”
“Acha que a culpa foi do treinador ou do seleccionador?”
“Pratica atletismo? R: Sim, pratico natação.”
“A matemática é como as batatas, anda para trás e para a frente”
“O teu tio é português? R.: Não. É do Porto.”
“Poderá existir no planeta Urânio”
“Pintei do mais claro para o mais clarinho.”

Ivo Almeida

27/10/2006

E assim foi..

Versão resumida : A Vanessa falou comigo.

Versão (um tanto ou quanto) Extensiva : Num, dos super, e fabulásticos intervalos de tempo, que antecedem a minha aula de GBD, que por sinal, São também posteriores á minha outra aula de GBD, sim, porque afinal hoje é Sexta-Feira, até que, dei uma perninha no super campo de jogos da Escola. No fim, depois, de ser ofendido, com um nome feio (que não vou aqui dizer, porque isto é um blog respeitavel), abandonei o recinto (Aquela Merd*) e dirigi-me ao chafarix máis afastado, (sim porque no próximo a água sabe assim.. a ferro!). Pelo caminho, fui mantendo dialogo deveras interesante,com um amigo meu sobre, Uma rapariga, que me dei ao luxo de dizer "hum.. é muito bonita ela". Bebi água, aliás.. bebemos água, e ao regressar, ouvi a voz de uma menina a dizer.. "olhaaa.." Sim, claro, quem mais pudia ser senão a tal rapariga... (lol) Virou-se para mim e perguntou-me "como é que te chamas?" e eu.. disse "Ivo", ao qual me voltou a dizer "Ah, tens cara de fábio" Pensei, bem pudia ser pior.. Imagina-se lá que eu teria cara de Curcubino! , ou mesmo de João Leigo! Enfim, foi só fábio, mas claro, deixo aqui o meu aviso, se aparecem muitas mais meninas como a Vanessa, aí sim a mãe da Gisela (aquela do Masterplan) que não saia á rua..

Ivo Almeida

Leva-me contigo

... Olho para tudo e tudo me faz chorar
Deixas-me muda já não posso mais falar
Sei que estás confuso mas isso é normal
Para mim és alguém muito especial
Já não te vejo há um dia para mim pareceu-me um mês

Já te disse o que sentia agora é a tua vez
Deixa-me voar quero sair daqui
Quero estar no teu lugar queria-te ter só a ti


Em ti estou segura daqui não vou sair

Nem que atravesse o muro com o risco de cair
Não me largues mais eu não te quero perder
Tens de voltar ao cais que eu sem ti não sei viver
Já senti a plenitude não importa o que tinha feito
Eras a minha virtude nunca foste o meu defeito
Digo-te o que sinto não pareces entender
É verdade eu não minto tenho mesmo que te ver

Leva-me contigo na palma da tua mão
Que eu já não consigo pisar mais este chão
Leva-me para longe que eu não consigo andar
Quero estar contigo teu mundo é meu lugar
Acabaram-se as palavras que saíam de ti
Estivesses onde estavas eu sentia-te em mim
Abraça-me uma vez e outra a seguir
Abraços já são três já te estou a sentir

Não te quero enganar sentia-me tão bem
Quero-te olhar eu sem ti não sou ninguém
Podes prender-me em ti podes voltar a gostar
Diz-me o que é que fiz que eu tento mudar
Não suporto ver-te assim tu sentes-te culpado
Ponho a culpa em mim acho que foste pressionado
Tenta perceber não te sintas mal
Tenho que dizer que tudo em ti é especial
Uma pagina rasgada e arrancada pelo vento
Não penso em mais nada não me sais do pensamento
Estás em todo o lado nas paredes e no mar
Não quero ficar parado não te quero largar
Passa a noite e o dia sem que os sinta a passar
Tudo o que eu queria era o tempo a parar
Ficava sozinha talvez a pensar demais
Mas talvez é um caminho para atingir meus ideais

Leva-me contigo na palma da tua mão
Que eu ja não consigo pisar mais este chão
Leva-me para longe que eu não consigo andar
Quero estar contigo o teu mundo é meu lugar
Acabaram-se as palavras que saíam de ti
Estivesses onde estavas eu sentia-te em mim
Abraça-me uma vez e outra a seguir
Abraços já são três já te estou a sentir

Leva-me contigo na palma da tua mão
Que eu já não consigo pisar mais este chão
Leva-me para longe que eu não consigo andar
Quero estar contigo o teu mundo é meu lugar
Acabaram-se as palavras que saíam de ti
Estivesses onde estavas eu sentia-te em mim
Abraça-me uma vez e outra a seguir
Abraços já são três já te estou a sentir

Ivo Almeida

19/10/2006

London


Não posso dizer que seja a minha terra, mas é sem dúvida o local onde gosto de estar. É por isso que, infelismente não pude deixar de reparar, no "algo" que assombrava a vida daquele povo incrivél, com a cobardia ilimitada, pudia sentir nos coração daquela gente, e chorar com eles..pois as noções eram...: Londres em estado de sítio, com não sei quantas explosões numa manhã. Quem foi, quem não foi. Pessoas que iam ter um dia normal afinal morrem ou ficam feridas. Pessoas com família, com amigos, com o futuro a que tinham direito todo mudado para sempre. Ao ver estas imagens, ao olhar com os meus olhinhos para enormes jardins com flores e crianças a chorar o pai, e mãe.. ao ver king's Cross Station completamente destruida.. penso sempre...a quem é que esta estupidez interessa? Filhos de uma grande puta. O terrorismo é de uma cobardia repugnante.

Ivo Almeida

Que toxicocaroxo!!

PS - Ou ando a fumar droga e a tomar comprimidos com muitas cores ou há novelas que dão 4 vezes por dia!!!?? ...

Ivo Almeida

11/10/2006

Sinto a Tua falta.. E sinto-me estúpido por isso!!

Music Video Codes by VideoCure



Longe, estás...
Na estrada vou passando..
Mas, vi-te bem ao meu lado..
Eu..com a música no ouvido..
Sinto-te, a olhares para mim..
Sinto-te a cantares comigo..
Com a tua voz, caíem-me lágrimas..
É o coração a bater..
Sou eu a chamar por ti..
És tu ao longe, a gozar comigo..
Páro, ao ver o vermelho..
Desfoca, de humidade...
Arde de dor..
Olho para ti..
És só o som...
És só as gotas no vidro..
Ouvi-te de novo..
Pediste-me para avançar..
Passo o verde..
Com a tua respiração...sonho demais..
Pouca sorte..
Vou voltar a parar..

(11/10/2006)




A motivação é a minha grande aptidão...

Ivo Almeida

01/10/2006

Meu professor da língua Materna

Tudo bem, que o nível de escolaridade, ao ser superior, os próprios professores, nos começem a encaminhar para um tipo de interesses diferente dos habituais até á data, mas daí a "Atirarem-se de cabeça" ao expor o seu gosto e opinião, acho mesmo que é um grave erro! Primeiro, considero de muito pouca conveniência, me quererem virar para as discussões politicas, visto que ainda gosto tanto do Dragon Ball, e até mesmo de jogar Pókemon, no meu GameboyColor. Ainda assim, ter um professor, que assumindo, ser alguém que nos está a incutir, regras, cultura e princípios, não deveria querer (praticamente) monopolizar, as mentes da turma, ao ponto de denegrir uma pessoa desta forma: «ele mostrou-se invejoso, era solidário e de Direita!» Mostrar-se completamente Antí-Salazarista, ainda que era capaz de se aceitar como normal, visto, que se fez poder, em tempos com um movimento tão radical, para o habitual no país. Agora, daí até estar em risco de melindrar qualquer educando, que tenha sido criado com a reza, na ponta da lingua todos os domingos, na capela de São João da Lapa, é considerado perigoso! Até porque se o Educando cresceu nesse mau ambiente, logo devem-lhe ter explicado, que a PIDE, poderia ripostar todas essas ideias magnificas do meu professor. O que não deixa de não ser mau, afinal, assim, posso não por de lado a hipotese, de ver o velhote aparecer esticadinho e frio, num canto da escola e com 9 milímetros de chumbo cravado no corpo.
Estava para aqui, a critícar o professor a toda a força, mas até acho que estou com ele. Quem, já formou a ideia de que o homem devia levar com uma bigorna da cabeça, então APLAUSOS!, pois ou eu sou muito bom no que toca a presuadir, neste caso ao leitor, ou então, eu mantenho-me com as mesmas, e poucas capacidades, e afinal és só tu, leitor, que és muito burro e completamente influênciável. Pensa nisso!
Ainda assim, não vou ser tão demonstrativo das minhas opções, como o meu professor, mas é obvio que penso que uma das razões porque o País não evolui, simplesmente por pensamentos que, o senhor meu professor crítica. As altas tradições do nosso país, chegam a enjoar-me. Ao contrário de 98% da população, não gosto de Fado! Sim fado, aquele tipo de música portuguesa, que geralmente, as pessoas alcoolizadas, todas se dizem Experts a cantar. Mas é também a razão porque a política de direita continua hoje em dia a manter-nos presos ás tradições, não sei bem a razão, mas imbicam, em por olhos no passado do país, enquanto o nosso presente e foturo, fica nas mãos dos emigrantes, porque nós portugueses (Espertos) saí-mos do país. É verdade, que o nosso país é o nosso, mas as condições mostram-se mais competentes e doradouras lá fora. (Estava a fugir do assunto!)
É um exemplo simples. A direita olha para o passado, assim como acontece, que um condutor vá a dirigir a viatura, de olhos postos no espelho retrovisor... enfim, sabem o que custuma acontecer nesses casos não sabem? Cabum!...
Se eu disser "Direita Suck's!!!" ninguém me levaria á séria, simplesmente porque a maneira como me expressei, foi um pouco "Slam". Assim sendo, já fiz um texto grandinho, que no fundo 77% é palha, mas sempre mantêm a sua aparência! É o que se corre para atingir os objectivos, os se lhe quiserem chamar, é o meu "Capital de risco". Agora sim, vou tentar novamente.. (já depois do leitor ter levado uma seca, aqui com o texto palha) .. DIREITA SUCK'S!

Ivo Almeida