O Recluso de Évora - Dos dois lados das grades -

Este meu lado mais Voyeurista, tornou-me leitor assíduo de um blog, cujo autor é um recluso do Estabelecimento Prisional de Évora.

Todos os Domingos lá estou eu, “Dos dois lados das grades” com o Ex-P.J., condenado por corrupção.


Tudo isto me fascina imenso e, mais ainda quando há duas semanas, o vi a citar jurisprudência num dos seus textos. Sim, jurisprudência.


Obviamente, que o Correio da Manhã, já lhe regalou uma coluna semanal. Condições? É questão de abordar uns podres de um tal de José, que mantém o seu rumo ao estrelato.

Eterno insaciável, incorrigível inconformado.

Eterno insaciável, incorrigível inconformado. 
Os meus festejos somente duram o tempo de uma célere retrospesctiva. Em cada objectivo alcançado habita a certeza de que nunca subsistiu dignidade suficiente para o ter querido, com tamanha intensidade.

Sedento na procura mas desleal na manutenção.
Nada me inspira no que já tive, o fui, o deu, ou o consegui. Exclusivamente sol amanhã, e aí, então o sonho. Oh que sonho.




Lisboa South Bay

Precisamos urgentemente de Portugueses.

Dizimam o país, extinguindo o passado conquistado. Bem ou mal, mas revelador de quem somos, como somos, de onde viemos.
A história de um país é o seu legado de maior peso, e hoje, ao peso do metal nas carteiras dos políticos, oferecem ao nosso futuro, um crescimento sem história nem consciência. Impugnam, danificam, delimitam a vida dos nossos.


Um país é muito mais que as suas fronteiras. Um país é uma bandeira e uma língua. Portugal tem uma alma.

Precisamos urgentemente de Portugueses.