Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

D. Sebastião, Procura-se

É triste ver Portugueses ignorantes defenderem monstros históricos como António de Oliveira Salazar, fascismo, nazismo ou defenderem o comunismo. Nota-se que Portugal não conhece a sua própria História. Aquilo que os Portugueses conhecem da História de Portugal baseia-se n'Os Lusíadas ou n'A Mensagem. Infelizmente o Portugal retratado nesses poemas é fictício. O grande Império Português que navegou por mares nunca antes conhecidos nunca existiu. Foi uma invenção de Camões que quis glorificar o seu País. Na vida real Vasco da Gama não era um herói e matava comerciantes mouros queimando-os vivos, os Portugueses conquistavam as terras e havia guerras. É falso a ideia que os Portugueses descobriam terras e vinham em paz e faziam acordos pacíficos com os nativos. Houve uma guerra entre Portugal e a Pérsia pela posse das especiarias da Rota da Seda quando Portugal atacou a Índia. A Índia já era conhecida na Grécia Antiga, Alexandre Magno invadiu a Índia por exemplo, não é verdade qu…
Mensagens recentes

O Apocalipse dos Coletes Amarelos III: O Regresso dos Impostos

Têm havido várias greves. A greve dos professores, da polícia, dos enfermeiros, dos bombeiros profissionais, dos maquinistas dos Comboios de Portugal, dos estivadores e até, surpreendem-se, dos juízes. Sim, há também uma greve de juízes. Não, não são os advogados a fazerem greve, são mesmo os juízes. Na greve dos taxistas, estes eram contra a competição de plataformas digitais de táxis como a Uber ou a Cabify. Os estivadores incultos eram contra a competição de estivadores licenciados. Os professores exigem que as suas carreiras sejam "descongeladas". Na greve dos taxistas, um energúmeno mutila ferozmente um carro da Uber. Em Paris, França; os camionistas profissionais destroem Paris metamorfoseando-a num Inferno dantesco. O Arco do Triunfo passa a ser o Arco do Armagedão. Faz sentido porque segundo uma lenda franco-cristã, o Armagedão relatado no Apocalipse, a luta final entre o Arcanjo S. Miguel e o Diabo, passaria-se não no Monte Megido mas sim em França. Os intitulados …

Touros Indolores n'O Anfiteatro da Dor e Matadores que Pensam que São Gladiadores

A minha posição (sim, eu sou uma pessoa que tem posições em relação a tudo nem seja a sua ausência de opinião, sim eu sei, é um oxímoro) em relação à tourada, é que sou contra o uso de bandarilhas no lombo taurino. Para ser sincero, a situação da tourada, se sim ou se não, resolve-se com uma lei muito simples. Proibir as touradas não é solução, pois os aficionados não gostariam. Mas permitir o uso de bandarilhas no lombo do touro (sou lisboeta escrevo touro e não toiro) é tortura lúdica para o bel-prazer de milhares espectadores n'O Anfiteatro da Dor, e não agradaria a quem acha que mal-tratar animais para fins lúdicos não é ético. Por isso deve existir o meio-termo e criar uma lei nesse sentido. E a lei muito simples que iria resolver esta alegadamente complexa questão, pois parece mais uma questiúncula, é simplesmente proibir o uso de bandarilhas mas deixar a tourada continuar a existir mas sem a morte do touro na arena e sem as bandarilhas. Esta solução, a única possível, iria …

Luís Filipe Vieira e a conta da electricidade

Assistimos a uma imensa manobra de contorcionismo por parte de Luís Filipe Vieira. E como se isso não fosse suficientemente mau, ainda expõe essa sua débil condição em justificações aberrantes, que nenhum líder do S. L. Benfica, se deveria permitir colocar.
Hoje sabemos que a iluminação que deu a Luís Filipe Vieira, foi a lanterna de Rui Vitória, quando disse que não abdicaria de um euro do seu contrato. É, portanto, uma questão do elevado preço da energia.
Tendo em conta esta nobre divergência de kilowatts, considero que, apesar do tão celebrado abraço, pouco espaço subsiste para a relação profissional entre os dois.



Tauromaquia - A favor ou contra?

Juíz Sérgio Moro - O Político

Rede social na ignorância

Seria absolutamente irresponsável, do ponto de vista do risco público, escolher um dia de jogo em Alvalade, para decidir realizar as competentes buscas, à sede da Juventude Leonina. Esta realidade só por si, roçaria a negligência grosseira por parte do Juiz/Órgão de Polícia Criminal que assina o respectivo mandado.
Por isso, deixem-se de conspirações e caça às bruxas. A escolha do dia, e inclusive a hora, não tem outro fundamento senão a pura estratégia de investigação processual, na busca e apreensão de provas relevantes para os processos em apreço.

Como já escrito há imenso, a consequência do “Efeito da ignorância” é manifestamente, a conspiração.


A projecção do bem [Trecho de memória]

A certa altura, enquanto um pobre agricultor Escocês trabalhava no campo a tentar ganhar a vida para alimentar a sua família, ouviu uma voz infantil aflita, vinda de um pântano próximo. Largou de imediato as suas ferramentas de trabalho, e desbravou o mato na direcção do grito de socorro. Chegado ao pântano um menino chorava, enfiado até à cintura, em areias negras e implacáveis à fragilidade do pequeno corpo.
O agricultou salvou o menino, do que seria uma morte lenta, dolorosa, horrível. O menino assustado, fugiu para casa e o agricultor, voltou para sua.
No dia seguinte, enquanto o agricultor tomava o seu chá, uma nobre carruagem aproximou-se da sua fazenda. Dela, um nobre, de jaqueta, chapéu e bengala saiu, aproximou-se do agricultor e diz-lhe serenamente;
- “Eu quero compensá-lo. O Senhor salvou a vida do meu filho, ontem. Retirou-o do pântano”.
- “Não posso aceitar pagamento algum pelo que fiz” – respondeu o agricultor. Entretanto o filho do pobre agricultor, chegou à porta.
O nob…

Tânia Laranjo VS Fernanda Câncio

É com efusivo deleite, que sou espectador assíduo dos mais ácidos debates em crónicas, contudo, julgo ser a primeira vez que leio alguém, de forma tão directa, apelidar de prostituta, à destinatária da sua mensagem.

Ficamos sempre divididos quando se travam combates entre personagens que só concordamos com 0,001% das vezes que escrevem uma letra, todavia, a Tânia Laranjo, com aquela pronúncia de “tipo de Alfama”, a querer oferecer lições é melhor que o “Casados de fresco”.

«O pudor e o respeito
Cara Fernanda, funcionária de Proença de Carvalho e subalterna dos dois jornalistas que o namorado queria ver à frente de um dos grupos que manda na comunicação social. Escrevias tu, há dias, que eu, funcionária da Cofina, com carteira profissional de jornalista, iria ser julgada por violação de segredo de justiça por divulgar os interrogatórios no processo Vistos Gold. Insurgias-te com a CMTV pelo trabalho no caso da viúva Rosa para terminares, onde querias começar, no processo Marquês e na di…

O Juiz Sérgio Moro resolveu assumir a sua condição de político profissional [Com versão Podcast]

O Juiz Sérgio Moro resolveu assumir a sua condição de político profissional.
A verdade, é que não existe problema algum num individuo deixar a magistratura e optar pela carreira de político. O problema é mesmo ter passado alguns anos a fazer isso, com uma Beca vestida. Isso sim, é perverso.
Esta minha posição tem levantado réplicas de alguns arautos que em demonstram que o sectarismo ideológico se sobrepõe com facilidade ao raciocínio e à honestidade intelectual, o que é manifestamente, lamentável.
O que parece ser uma simples aceitação de um convite para Ministro da Justiça, em pouco tempo se retira desta, um raciocínio imoral que me proponho partilhar.
O agora Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, foi vencedor sem programa, mas com ideias. Se é mau ser um Presidente sem programa, pior se torna quando as ideias são, só por si, de cariz surreal de alguém que propõe, entre outras medidas igualmente desprezíveis, amplificar o conceito de legítima defesa ao ponto de incitar veementeme…

As declarações do Juiz Carlos Alexandre (Com versão PodCast)

O Juiz Carlos Alexandre, não se dá bem com entrevistas. É uma espécie de alergia. Não sendo bastante, se inicialmente, concedeu uma entrevista onde abordou questões da sua vida pessoal que facilmente se associavam a retrucar determinados factos alegados a arguidos no processo Operação Marquês, (dizendo que não tinha amigos pródigos que lhe emprestassem dinheiro – curiosidade essa que se veio a revelar falsa, na operação Fizz) desta vez, procurando salvaguardar-se sempre numa argumentação hipotética, como se fosse o jornalista a afirmar os seus mais prementes pensamentos, deu a entender ter existido hipótese de introdução de determinados factores/informações no algoritmo responsável pela distribuição da instrução do processo, capazes estes, de diminuir a sua probabilidade de nomeação, em detrimento do Dr. Ivo Rosa.
Sem me debruçar sobre a veracidade das declarações do Juiz Carlos Alexandre, o que não concedo pela informação que disponho, certo é que identifico dois erros lamentáveis, s…